Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > MÍDIA IMPRESSA

Circulação de jornais caiu 3,5% no país

Por Cássia Almeida em 12/02/2010 na edição 576

A crise financeira interrompeu, no ano passado, o crescimento sustentado da circulação de jornais no Brasil. Depois de três anos seguidos com altas próximas de 10%, a venda de jornais caiu 3,5%, de 4.351.400 exemplares em 2008 para 4.200.743 no ano passado, em 101 títulos diferentes. Em 2008, alta fora de 8%.


Segundo o presidente do Instituto Verificador de Circulação (IVC), Pedro Martins Silva, a crise financeira levou as empresas a adotarem uma política de investimentos mais conservadora no primeiro semestre.


O país ainda vivia em clima de recessão (a economia do país recuou no último trimestre de 2008 e no primeiro de 2009). Assim, as empresa reduziram as promoções para os leitores:


– A circulação de qualquer produto depende de promoção. No segundo semestre, com a melhora na economia, as empresas voltaram a investir, o que fez a circulação já aumentar em dezembro.


Enquanto a queda média na circulação de jornais no ano frente a 2008 foi de 3,5%, em dezembro, na comparação com o mesmo mês de 2008, a redução foi de 2%, mostrando uma recuperação, afirma Martins. A perspectiva para este ano, segundo o presidente do IVC, é ‘claramente de crescimento’.


Mesmo com a internet ganhando espaço entre os leitores, o avanço dos jornais populares, que sustentaram o crescimento da venda de jornais nos anos anteriores à crise, vai garantir o aumento na circulação, diz Martins:


– O índice de leitura no Brasil ainda é baixo. Há um potencial de leitores a ser aproveitado no Brasil.


Na comparação da circulação dos mesmos títulos que existiam em 2008 (94 jornais), a queda da circulação foi de 4,7%. Mas em dezembro, a redução ficou em 3% em dezembro, mostrando também a recuperação no fim do ano.


***


O Globo ganha mercado no Rio


Mesmo num ano de queda na circulação, O Globo aumentou sua fatia de mercado no Rio e subiu no ranking de venda na média dos sete dias no mercado nacional, com 257.262 jornais, subindo do quarto para o terceiro lugar, de acordo com os números do Instituto Verificador de Circulação (IVC). Em dezembro, a circulação do Globo ficara em 251.944.


Apenas observando os jornais do Rio, O Globo passou de uma participação de 29% em 2008 para 31% no ano passado, na média dos sete dias da semana. No mercado fluminense estão, além do Globo (281.407 em 2008), o Extra (248.119 em 2009 contra 287.382 no ano anterior), Meia Hora (185.783 em 2009 contra 231.672 de 2008), O Dia (71.736 no ano passado contra 105.084 em 2008) e Expresso (71.798 em 2009 e 62.076 em 2008).


Em dezembro, a participação de O Globo no mercado subiu para 33,2%, já superando os 31% na média de 2009. A circulação do Extra em dezembro foi de 222.545, Meia Hora, com 151.456, Expresso com 73.297 e O Diacom 58.632.


Segundo Marcello Moraes, diretor-executivo de Mercado Leitor, o desempenho do Globo foi puxado pelo aumento das vendas em bancas de 4,5% no ano passado:


– Abrimos novos canais de distribuição, criamos um programa de incentivo nos pontos de venda, o que fez com que a venda avulsa crescesse. Esperamos nova alta este ano.


Na média de circulação em sete dias, a Folha de S. Paulo liderou em 2009, com 295.558. Em dezembro, a venda fora de 289.260. Em segundo lugar veio o Super Notícia, de Minas Gerais, com 280.436 exemplares (em dezembro fora de 282.503).

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem