Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

IMPRENSA EM QUESTãO > EU, ERRADO?

Colunista cria polêmica ao defender jabá

06/04/2006 na edição 375

Presentes e gratificações no meio jornalístico – os conhecidos jabás – não costumam ser bem vistos, mas isto não impede que alguns profissionais os aceitem. Assim o fez David Pogue, colunista de tecnologia do New York Times e colaborador da CBS News e da National Public Radio. Inconformado com as desculpas dadas por Pogue por ter aceitado um ‘presentinho’, o jornalista Matt Smith publicou um artigo sobre o desdobramento do caso no SFWeekly [5/4/06].


Smith reconhece que Pogue é realmente original, engraçado e criativo nas colunas que escreve sobre tecnologia. No entanto, depois de sua última ‘brincadeira’, Smith o classifica como mais do que uma pessoa meramente divertida. Para ele, o colunista é uma pessoa hilária.


No mês passado, Pogue aceitou US$ 2 mil em serviços de uma empresa que recupera dados de HD, mas alegou que a atitude estava de acordo com a prática habitual das empresas de mídia, constrangendo seus empregadores. O colunista não parou por aí. Pogue conseguiu cometer uma gafe ainda maior depois do furor que o caso ganhou na rede, após Smith ter publicado uma coluna sobre o jabá. Em um podcast na CNET, Pogue sugeriu aos ouvintes que, até Smith ter escrito a coluna o denunciando, as empresas de mídia não viam nenhum problema em ele ter aceitado o ‘presente’.


Desculpas esfarrapadas


A explicação para o jabá: há alguns meses, o colunista teve um problema no seu HD, que o levou a procurar a firma DriveSavers para recuperar os dados. Com o problema resolvido, ele escreveu artigos sobre o serviço prestado para a National Public Radio, o New York Times e a CBS News. A DriveSavers então decidiu não cobrar pelo serviço, alegando se tratar de uma ‘cortesia profissional’. No meio jornalístico, aceitar um valor significativo de alguém sobre o qual se está escrevendo prejudica a objetividade e é considerado um conflito de interesses.


Depois da coluna de Smith denunciando o jabá, Pogue desculpou-se publicamente na CBS e o âncora Charles Osgood pediu desculpas aos telespectadores em nome da rede. Segundo Smith, Osgood parece ter exagerado no arrependimento de Pogue. Na verdade, mesmo tendo pedido desculpas, o colunista ainda continuava achando que não havia agido de forma errada. ‘Meus editores, produtores e eu concordamos nestes pontos: as desculpas públicas foram dadas, a DriveSavers foi reembolsada e agora vamos em frente. Meus produtores na CBS também sabem dos motivos que levaram a tudo isto’, respondeu Pogue.


O que pensam as empresas


Depois das desculpas do colunista, Smith decidiu entrar em contato com a porta-voz da CBS, citada no podcast da CNET. Ela afirmou que a rede de televisão não sabia que Pogue havia recebido US$ 2 mil em serviços da DriveSavers.


O colunista também sugeriu em suas declarações que o New York Times não tinha normas éticas nas quais seu caso pudesse se encaixar. ‘O Times não tem normas sobre serviços. Eu posso te mandar cópias das normas éticas e não há absolutamente referência ao que fazer sobre a crítica de serviços’, afirmou. Smith entrou em contato com Diane McNulty, porta-voz do Times citada no podcast. ‘David Pogue aparentemente não entendeu as normas, se pensou que elas permitiam que ele poderia escrever críticas sobre um serviço técnico sem pagar por ele’, disse ela, informando ainda que as normas oficiais seriam modificadas; a palavra ‘serviço’ será incluída para evitar que jornalistas pensem que há uma brecha nas normas de não se aceitar presentes.


Em seu podcast, Pogue também teria afirmado que uma citação de Diane sobre aceitação de presentes por críticos de bar, restaurantes ou jornalistas da seção de viagens, publicada na coluna de 15/3 de Smith, não tinha ‘relevância’ para o seu caso.


Em vez de deixar quieto…


No entanto, Diane estava rebatendo a afirmação do colunista, que teria dito que a prática de receber presentes era comum a outros repórteres do jornal. Continuando as críticas a Smith, Pogue afirmou: ‘O que o cara da SFWeekly está dizendo é que eu chamei a DriveSavers um dia e disse para eles que se eles consertassem meu computador eu os colocaria na televisão.’


Smith rebate: ‘Na verdade, eu escrevi que o colunista do New York Times David Pogue, que também é colaborador da CBS News e da National Public Radio, recebeu US$ 2 mil da DriveSavers em serviços para recuperação de dados pessoais de seu computador, relacionados a artigos escritos por ele para as três empresas de mídia.’ Ainda assim, Pogue criou um fórum na internet para tentar mostrar que o que ele fez não se trata de violação de normas éticas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem