Terça-feira, 15 de Outubro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1058
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Competências de um jornalista

Por Gilson Pôrto Jr. em 06/10/2009 na edição 558

David Brewer, jornalista com mais de 30 anos de experiência na área profissional, tendo trabalhado na BBC News Online, CNN.com Europe, Middle East and Africa, CNNArabic.com e Al Jazeera English, partilhou alguns ‘segredos’ de profissão no Media Helping Media (MHM).

Essas dicas, são competências diversas que o jornalista deve desenvolver durante seu processo formativo inicial, em atividade enquanto profissional e ao longo de toda a vida. Veja as 50 dicas:

1. Ser jornalista é uma vocação, não um trabalho;

2. Você nasceu com um senso de notícias, este não pode ser ensinado;

3. Seu dever é o de fiscalizar o executivo, sendo uma tocha que brilha em locais escuros;

4. Todos devem ser jornalistas investigativos;

5. Você está de plantão 24 horas por dia x 7 dias por semana;

6. Não espere que as histórias lhe sejam dadas, seu trabalho é encontrá-las;

7. Seu trabalho é fazer perguntas, informações de pesquisa e descobrir fatos e, em seguida, entregar esses fatos para o público da forma mais eficaz;

8. Viva a sua vida pela regra de que ‘se não fosse por você, o mundo nunca teria conhecido’;

9. Trabalhar sempre na sua própria investigação e chegar a algo original;

10. Não viva a ‘vida por um fio’;

11. Não seja competitivo, tendo sempre o objetivo de estar à frente, encontrando suas próprias histórias e ângulos;

12. Sempre verifique outras histórias, pois pode haver uma notícia melhor (perda de emprego ou más notícias), que podem ser de maior interesse para o público;

13. Transmita informações e publique para o seu público, não para sua própria glória ou a aprovação dos seus pares;

14. Cuide, nutra e alimente os contatos;

15. Aplique o mesmo rigor jornalístico para aqueles com quem você concorda;

16. Você não tem favoritos;

17. Não faça negócios;

18. Não aceite presentes, esses geralmente acabam um dia em sua porta;

19. Não faça exceções;

20. Respeite a privacidade;

21. Tome notas e mantenha-as seguras;

22. Olhe para atrás de você, quando estiver refazendo os passos;

23. Conheça os fatos;

24. Conheça os seus limites;

25. Verifique, e verifique novamente;

26. Tenha cuidado com o pensamento, principalmente o que escreveu e o que você acha que escreveu;

27. Sempre obtenha uma segunda opinião para verificar a sua escrita, mesmo que essa pessoa não seja um jornalista;

28. Resista à pressão de trabalho de fazer uma boa introdução ou um título sensacionalista, se a história é ruim em outras partes;

29. Deixe uma nota ao sair disfarçado, só para o caso de…;

30. Mantenha um diário de histórias cobertas e acompanhamentos, em média por três meses, se a história valer a pena, é provavelmente que valha a pena acompanhar;

31. Manter cópias de todos os e-mails, textos, datas de telefonemas e não se esqueça nunca de utilizar um notebook quando estiver a distância;

32. Confie nos seus instintos quando pesquisando, mas atenha-se aos fatos quanto a transmissão ou a publicação; 

33. Verifique nas ruas ‘quando houver um incêndio na rua principal’; 

34. Perceba que um político sempre terá um script preparado;

35. Preste atenção naqueles que gostariam de vê-lo comprometido;

36. Faça um acordo com seus próprios motivos, gostos, desgostos, sentimentos, crenças; eles não devem ter impacto na produção de um jornalismo equilibrado, imparcial e objetivo;

37. Não coloque entrevistados em perigo;

38. Respeite a propriedade intelectual, mesmo quando partir de um comentário de conteúdo gerado pelo usuário e sempre reconhece-o;

39. Nunca use ‘terá que esperar e ver’ ou ‘o tempo vai dizer,’ se você não sabe como a história vai acabar;

40. Nunca diga ‘a vítima não foi identificada’, pois ela tem identificação desde o nascimento; o que se quer dizer é ‘a polícia não disponibilizou o nome da vítima’;

41. Mais do que = quantidade, mas = sobre;

42. Não use palavras longas quando palavras curtas terão melhor resultado;

43. Evite cláusulas que podem complicar e obscurecer as informações que você está tentando transmitir;

44. Transmita uma sensação de urgência, apenas quando é conveniente, mas seja honesto e não inflacione a importância, se a notícia não merecer;

45. Nunca ‘adoçar’ uma notícia com respeito, se não for devido;

46. As pessoas nunca são evacuadas de edifícios, mas intestinos são evacuados;

47. Seja sensível ao bater na porta das vítimas, algumas vão querer convidá-lo para uma xícara de chá, mostrar fotos da família e, outros irão soltar os cachorros em você;

48. Os boatos são úteis como visualizadores (heads-up) de uma história em potencial, mas eles não são notícia até que sejam verificadas;

49. Seja profundo e garanta que o seu trabalho está no local, mas não tome tempo demais polindo a notícia, existem pessoas lá fora que precisam saber sobre os fatos que você descobriu;

50. Sempre garanta a sua volta (compre uma bebida no bar).

***

Algumas são importantes, pois revelam um amadurecimento profissional. Outras são próprias de iniciantes que devem estar atentos às gafes. De qualquer forma, no conjunto do que foi apresentado, representam competências importantes a serem desenvolvidas pelo jornalista.

******

Pedagogo e jornalista, mestre em educação, doutorando em Comunicação Social

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem