Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO > GOVERNO, O PT E A MÍDIA

Irritação e relações tensas

17/11/2006 na edição 407

Delcídio contraria PT e elogia imprensa


Copyright O Globo, 17/11/2006


O senador Delcídio Amaral (PT-MS), ex-líder da bancada petista e ex-presidente da CPI dos Correios, subiu à tribuna do Senado ontem para deixar clara sua discordância em relação às críticas recorrentes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva às elites e à imprensa brasileira. Em linha oposta à dos principais dirigentes petistas, Delcídio elogiou o trabalho da mídia:


– A imprensa desenvolveu um papel fundamental nesses últimos 18 meses. Dias difíceis enfrentamos, e a imprensa nada inventou: registrou o que acontecia. Ela não é responsável pelos escândalos. Temos de virar a página, para que esse segundo mandato do presidente seja de êxito e de todos, como diz o velho lema ‘Um Brasil de todos’.


O senador disse que é preciso olhar para todos os segmentos da sociedade, numa referência às críticas de Lula às elites, sem citar o nome do presidente:


– Não podemos criticar as elites. O que são elites? Há elites de parlamentares, professores, cientistas, intelectuais, médicos. Um presidente representa todos, e não segmentos da sociedade, por mais que se deva ter uma atenção especial àqueles que precisam da mão generosa do Estado.


Senador diz que petistas têm que reconhecer erros


Para Delcídio, o PT, mais do que ninguém, precisa reconhecer os seus erros. Na verdade, o senador não consegue disfarçar a mágoa com o tratamento recebido pelo governo e o próprio partido desde a aprovação do relatório final da CPI dos Correios, que antecipou de certa forma o pedido de abertura de inquérito de 40 pessoas, entre elas várias estrelas do PT.


– Temos de ter humildade para reconhecer aquilo em que erramos, no PT especialmente, e fazer uma avaliação rigorosa dos nossos passos. Temos de ter coragem de reconhecer que erramos e de não culpar quem fez um trabalho grande, quem teve um posicionamento isento ou quem, em seu dia-a-dia, no Senado ou na Câmara, honrou o PT no Congresso – disse Delcídio, reforçando as cobranças do senador Aloizio Mercadante (PT-SP) pela retomada da reforma da Previdência.


– Não podemos, de uma hora para outra, acreditar que, com algumas canetadas, vamos fazer o Brasil crescer 5%. Por outro lado, precisamos tomar medidas cuidadosas. Portanto, prudência e canja de galinha não fazem mal para ninguém – advertiu Delcídio: – Ficamos discutindo economia, mas será que temos uma legislação que garanta os investimentos? Essa é a pergunta que tem de ser feita.


 


‘Irritação e ataques à imprensa’


copyright O Globo, 17/11/2006


Depois do descanso de vários dias em Paris, na primeira entrevista à imprensa brasileira o presidente do PT, Marco Aurélio Garcia, voltou ontem a demonstrar irritação com perguntas sobre as divergências e insatisfações no PT com o rumo da formação do novo governo Lula. Por várias vezes, disse que não era obrigado a aceitar ‘teses impostas’ pela imprensa.


Ontem à tarde, Garcia começou entrevista sobre o encontro de dirigentes do PT com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizendo que estava aberto a todas as perguntas. Mas, em seguida, demonstrou toda a sua contrariedade com perguntas de que não gostava, como, por exemplo, se o PT havia sido enquadrado por Lula no encontro. Garcia respondeu várias vezes que os jornalistas estavam querendo ‘impor uma tese’.


Perguntado se o presidente Lula havia dado um recado ao PT sobre a redução do espaço do partido para abrigar outras legendas como o PMDB, Garcia respondeu:


– É uma tese sua. O presidente não deu nenhum recado. Não me obriguem a aceitá-la. Se me derem tempo, eu respondo. Foi uma reunião extremamente positiva, na qual foi reafirmada, da parte dele e da nossa, a disposição de constituir um governo de coalizão, fruto de um segundo turno vitorioso, que aplastou a oposição politicamente. O PMDB, para nós, não é problema. O PMDB é uma grande solução – disse o presidente do PT.


Em outro momento, ao ser lembrado que vários integrantes do PT reclamaram publicamente da provável perda de cargos, Garcia disse que falava em nome da ‘comissão política do PT’ e pediu que a imprensa não tentasse criar divergências inexistentes:


– Não queiram me impor uma problemática que não é a problemática que discutimos. Não queiram fazer uma reunião que não houve lá. Não queiram criar divergências dentro do partido. Não é um partido monocórdio, então, num partido plural, é natural que as pessoas exponham seus pontos de vista.


O momento de maior irritação ocorreu no fim da entrevista, quando o petista já se encaminhava para o elevador do Palácio do Planalto e continuava cercado pelos jornalistas. Ele reagiu diante da observação de que ‘teria muito trabalho para acalmar os companheiros’:


– Não queira me impor suas teses. Qual é o seu jornal? Não pense que, porque você é do Estado de S.Paulo, que as teses do Estado de S.Paulo são as verdadeiras – disse Marco Aurélio Garcia, entrando no elevador.


E ainda disse que a ‘despaulistização do PT’ é um tema ‘grato à imprensa’.


 


Presidente do PT se irrita com jornalistas


Copyright Folha de S.Paulo, 17/11/2006


O presidente interino do PT, Marco Aurélio Garcia, irritou-se com repórteres, ao final de entrevista ontem, quando questionado sobre se o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha dado um recado de que a sigla vai perder cargos no segundo mandato.


‘Isso é uma tese sua. Não me obrigue a aceitá-la. O presidente não deu nenhum recado para o PT’, disse Garcia a um repórter que lhe perguntou se a defesa de um governo de coalizão significava a perda de espaço do PT.


Antes, Garcia já havia se irritado com as perguntas sobre essa discussão.


‘Não queiram me impor a problemática que não é a problemática que nós discutimos. Não queiram fazer uma reunião que não houve lá’, afirmou.


Questionado sobre as críticas que Lula fez à imprensa na Venezuela, quando disse ter sido ‘agredido’ pela mídia brasileira, Garcia disse que estava na Europa, em viagem, e não viu nada.

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/11/2006 Eduardo Panda

    Essa questão da imprensa e o Poder é bastante sintomática. O que aconteceu com o LULA e o PT e os grandes grupos de mídia tem muito a ver com essa relação. Vou reproduzir o que disse o Azenha num post muito interessante sobre essas relações nos EUA: ‘Conselheiros de grupos de mídia que também participam da direção de outras empresas:The New York Times:Carlyle Group, Eli Lilly, Ford, Johnson and Johnson, Hallmark, Lehman Brothers, taples, Pepsi Cola / Washington Post: Lockheed Martin, Coca-Cola, Dun & Bradstreet, Gillette, G.E. Investments, J.P. Morgan, Moody s. / Knight-Ridder: Adobe Systems, Echelon, H&R Block, Kimberly-Clark, Starwood Hotels./ The Tribune (Chicago Times e Los Angeles Times): 3M, Allstate, Caterpillar, Conoco Phillips, Kraft, McDonalds, Pepsi, Quaker Oats, Shering Plough, Wells Fargo./News Corp (Fox): British Airways, Rothschild Investments./GE (NBC): Anheuser-Busch, Avon, Bechtel, Chevron/Texaco, Coca-Cola, Dell, GM, Home Depot, Kellogg, J.P. Morgan, Microsoft, Motorola, Procter & Gamble.
    Disney (ABC): Boeing, Northwest Airlines, Clorox, Estee Lauder, FedEx, Gillette, Halliburton, Kmart, McKesson, Staples, Yahoo.
    Viacom (CBS): American Express, Consolidated Edison, Oracle, Lafarge North America; entre outros. Na verdade, todos eles formam uma ‘grande e linda família’. Mais detalhes no http://viomundo.globo.com/site.php?nome=VoceEscreve&edicao=400.

  2. Comentou em 18/11/2006 Paulo Bandarra

    Por falar em China, bancario nelson perez de oliveira junior , iturama-MG – o Irmão do ditador Fidel Castro propõe justamente mudar para o modelo de Cuba. Alina Fernández Revuelta, filha do presidente de Cuba, Fidel Castro, afirmou que o irmão do governante, Raúl Castro, pretende ‘introduzir o modelo chinês de abertura apenas econômica’, em entrevista publicada nesta sexta-feira no jornal italiano ‘Corriere della Sera’. Manter a casta no poder, e introduzir o capitalismo selvagem para criar riquezas. Fraquinha esta sua piada Cesar Pereira , Curitiba-PR – você esta mesmo “aposentado”. Já foi melhor! Deve ser as pelas suas últimas leituras! Não fica só na mídia lulista. Eles têm um péssimo senso de humor!

  3. Comentou em 17/11/2006 ADHNEMIR MARTINS DA FONSECA

    SERÁ CULPA DO PT. A PRISÃO DO FILHO DO EX=GOVERNADOR DO PSDB.ALMIR GABRIEL.SERÁ QUE O LULA NÃO SABIA. SERÁ QUE O PAI TÃO´PROXIMO NADA SABIA.

  4. Comentou em 17/11/2006 ADHNEMIR MARTINS DA FONSECA

    SERÁ CULPA DO PT. A PRISÃO DO FILHO DO EX=GOVERNADOR DO PSDB.ALMIR GABRIEL.SERÁ QUE O LULA NÃO SABIA. SERÁ QUE O PAI TÃO´PROXIMO NADA SABIA.

  5. Comentou em 17/11/2006 Sírio Possenti

    Eu vi a entrevista. Pelo menos os trechos que as TVs mostraram. Nem tudo é tão simples, mas uma coisa é clara: os repórteres atazanam o entrevistado tentando obter a manchete pronta (por isso as perguntas são do tipo: ‘O presidente enquadrou o PT?’). Se o entrevistado não responde sim ou não (os jornais gostam de objetividade, ah,ah,ah), a imprensa se considera agredida.

  6. Comentou em 17/11/2006 Sírio Possenti

    Eu vi a entrevista. Pelo menos os trechos que as TVs mostraram. Nem tudo é tão simples, mas uma coisa é clara: os repórteres atazanam o entrevistado tentando obter a manchete pronta (por isso as perguntas são do tipo: ‘O presidente enquadrou o PT?’). Se o entrevistado não responde sim ou não (os jornais gostam de objetividade, ah,ah,ah), a imprensa se considera agredida.

  7. Comentou em 17/11/2006 Jedeão Carneiro

    A Sul América retirou o patrocínio ao podcast do Mainard. E, como agora é a moda, ele tá acusando ação dos petistas. Ora, será que a Sul América não ia acabar notando o baixíssimo nível de qualidade do produto que estava associando à sua marca? Vejam: http://veja.abril.com.br/idade/podcasts/mainardi/

  8. Comentou em 17/11/2006 Tomas Berger

    Enquanto o OI era para estar fazendo o papel de consciência crítica da mídia, optou por entrar num joguinho de autovitimização, tomando as dores dos jornalistas mais bem pagos do Brasil e dos meios de comunicação mais monopolistas do mundo, esperando que seus leitores, pela insistência do choro, caiam no ridículo de achar que a liberdade de imprensa está ameaçada, que existe uma conspiração petista contra a mídia, que o senhores Ali Kamel e Victor Civita nem conseguem dormir de tão preocupados que estão com nossa liberdade. Ora, meu velho e admirado jornalista, volte ao pensamento que sempre esboçou, com a crítica com que sempre nos presentiou…

  9. Comentou em 17/11/2006 Tomas Berger

    Enquanto o OI era para estar fazendo o papel de consciência crítica da mídia, optou por entrar num joguinho de autovitimização, tomando as dores dos jornalistas mais bem pagos do Brasil e dos meios de comunicação mais monopolistas do mundo, esperando que seus leitores, pela insistência do choro, caiam no ridículo de achar que a liberdade de imprensa está ameaçada, que existe uma conspiração petista contra a mídia, que o senhores Ali Kamel e Victor Civita nem conseguem dormir de tão preocupados que estão com nossa liberdade. Ora, meu velho e admirado jornalista, volte ao pensamento que sempre esboçou, com a crítica com que sempre nos presentiou…

  10. Comentou em 17/11/2006 Mirna Vieira

    O pt que reconheça seus erros… e a imprensa?? Nada ? claro que não a imprensa NUNCA comete erros, ela é perfeita!!!!

  11. Comentou em 17/11/2006 armando dias duarte

    Porque os jornalistas da mídia brasileira insistem em tantio em entrevistar os militantes do PT.?? e os dirigentes do PT?? E os executivos do PT??E os simpatizantes do PT???. Como a mídia quer pautar o PT e seus componentes pela sua tendencia de classe (opressora) seria ótima que a mídia esquecesse por um bom tempo o pT. Acredito que todos sairiam ganhando. Nestes 26 anos de PT nunca ví o Estadão dar apoio explicito ao PT. Nem a Folha, a Veja e o Globo.
    Seria ótimo que o PT ficasse livre desta corja por 30 anos como disse o lider da mídia Jorge Bonhauser .

    A Mídia deveria fazer um pacto de silêncio a respeito do PT. Acredito que quemm sairia ganhando era o povo brasileiro.

  12. Comentou em 17/11/2006 armando dias duarte

    Porque os jornalistas da mídia brasileira insistem em tantio em entrevistar os militantes do PT.?? e os dirigentes do PT?? E os executivos do PT??E os simpatizantes do PT???. Como a mídia quer pautar o PT e seus componentes pela sua tendencia de classe (opressora) seria ótima que a mídia esquecesse por um bom tempo o pT. Acredito que todos sairiam ganhando. Nestes 26 anos de PT nunca ví o Estadão dar apoio explicito ao PT. Nem a Folha, a Veja e o Globo.
    Seria ótimo que o PT ficasse livre desta corja por 30 anos como disse o lider da mídia Jorge Bonhauser .

    A Mídia deveria fazer um pacto de silêncio a respeito do PT. Acredito que quemm sairia ganhando era o povo brasileiro.

  13. Comentou em 17/11/2006 José Marcos Oliveira

    Vc esqueceu de falar que o Senador Delcídio tambem é ex PFL e ex PSDB…

  14. Comentou em 17/11/2006 Marco Costa Costa

    A imprensa irrita até defunto em mesa de velório. Porque, então, o presidente do PT não pode se irritar com perguntas que não merecem respostas. Os jornalistas de porta de Palácio querem porque querem antecipar assuntos que ainda não estão na pauta do governo, somente para ter exclusividade para vender notícias e faturar alto para os seus patrões. Esta prática acaba antecipando notícias que não poderá, muitas vezes, serem concretizadas e, com esta atitude, por tabela, acaba ludibriando o leitor desavisado.

  15. Comentou em 17/11/2006 haroldo aquilles andrade

    Uma pergunta e espero que vocês não se irritem: Qual o problema do presidente do PT se mostrar irritado com algumas perguntas. É natural, pois não? Que mania a da imprensa (parte dela, diga-se de passagem) enxergar chifre na cabeça de sapo.
    Todos nós, repórteres, sabemos que não existem perguntas impertinentes. Mas, convenhamos, há um esforço sobrehumano da imprensa, em especial a imprensa paulista, em forçar respostas que dêem a entender que o entrevistado não gosta da imprensa. Gente, isso é forçar a barra. Todos sabemos que a grande imprensa quer pautar governos e governantes, mas hipocrisia e jornalismo de terceira categoria têem limites.
    Botem os repórteres na rua atrás de boas notícias. Assim é que se constroem boas reportagens. Acorda imprensa brasileira. Veja (sic) o que está acontecendo no País. Pare de se preocupar com o superficial e vamos discutir os problemas sérios que o país atravessa independentemente de o governo ser comandado pelo PT, PSDB ou pelo PFL. Não importa , para a imprensa e, em especial, para os repórteres, se Lula é o presidente. Mas importa para a população se a imprensa está abordando os principais problemas que nos afetam e buscando soluções pasra superá-los. Ou a imprensa não faz parte deste País?Não é parte viva da sociedade? Se paute.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem