Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1043
Menu

ENTRE ASPAS >

Jornais reclamam de blog da Petrobras

Por Luiz Antonio Magalhães (seleção de textos) em 10/06/2009 na edição 541


Leia abaixo os textos de terça-feira selecionados para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 9 de junho de 2009


BLOG DA PETROBRAS


Igor Gielow


A transparência dos brucutus


‘Tem a cara do governo Lula a nova diretiva de comunicação da Petrobras em tempos de guerra, aliás, CPI. A empresa inaugurou um blog no qual faz comentários, digamos assim, editoriais sobre reportagens que lhe dizem respeito. Mas não é só isso.


Questionamentos de jornalistas são publicados com as respostas que o Oráculo de Macaé achar adequadas. A Petrobras alega que isso é uma inovadora política de transparência de informações públicas.


Cascata. O objetivo é tentar esvaziar a bola das denúncias que inevitavelmente chegarão a seu balcão, contrainformação pura. Há uma quebra de contrato ao divulgar as informações de que os jornalistas dispõem, não raramente peças de quebra-cabeça ainda em formação.


Pior, se publicadas apressadamente, erros podem ser cometidos. O blog alega ridiculamente que não divulga mensagens dos jornalistas, mas ‘apenas’ seu conteúdo. Ah, tá.


Com isso, a Petrobras acha que vai desestimular as apurações -isso para não falar em ética jogada ao ralo. Além de brucutu, a teoria é burra: tudo o que a empresa ganhará em troca será mais ânimo investigativo da imprensa, além da já mencionada chance de ser vítima de erros.


A leitura (http://petrobrasfatosedados.wordpress.com) é reveladora. Abundam comentários laudatórios -deve ser a tal transparência em ação. A imprensa é pintada como o diabo, como de resto crê mesmo o governo. Isso é um daqueles ranços que não tem ‘Carta ao Povo Brasileiro’ que apague do coração dos petistas que aparelharam a empresa e o Planalto.


O dirigismo é primário. Notas do ‘Painel’ desta Folha sobre a estratégia da empresa para a CPI são criticadas; informações da mesma seção sobre o que os tucanos estão aprontando são destacadas. Alguém no Oráculo, ou na Secretaria de Comunicação Social, deve considerar isso exemplo de isenção.’


 


 


Plínio Fraga


Lodo não é petróleo


‘A Petrobras é a maior empresa brasileira, construiu uma imagem de reconhecida competência e inovação na extração de petróleo em águas profundas e na espetacular descoberta de reservas que podem atingir 8 bilhões de barris no pré-sal, a milhares de quilômetros de profundidade.


Na sua megaestrutura, sempre teve nichos técnicos competentes e nichos políticos aproveitadores. Por muitos anos, ainda no governo FHC, foi dominada por estruturas viciadas pertencentes ao então PFL, hoje DEM. Com esses próceres, a Petrobras não fez a opção pelo Estado mínimo, mas pelo Estado dízimo, recheando caixas ao bel-prazer da manietação política.


Não foi diferente com os petistas, que mantiveram a convivência de quadros técnicos com operadores eleitorais interessados em transformar sua gestão em domínio de feudos para que deles brotem votos.


Acuado com a CPI, a Petrobras diz que o TCU é um órgão com interesses políticos, no que tem razão. Mas essa acusação genérica não responde às centenas de restrições técnicas que auditores têm feito aos contratos da Petrobras.


A um questionamento, a Petrobras responde com um espernear, para o qual desembolsa dinheiro público, como no episódio de contratação de uma empresa de assessoria só para rebater acusações veiculadas na imprensa.


Em estratégia intimidatória, a Petrobras decidiu publicar em um blog as respostas aos questionamentos que os jornalistas fazem à empresa, antes mesmo de as reportagens serem veiculadas.


Jornalistas fazem perguntas em busca do esclarecimento. E, a partir das respostas que obtêm, redirecionam suas apurações, modificam seus enfoques, atrás do interesse público. A traquinagem do blog da Petrobras mostra a opção da empresa pelo lodo, como se este fosse também petróleo.’


 


 


Folha de S. Paulo


ANJ condena uso que Petrobras faz de blog


‘A ANJ (Associação Nacional de Jornais) condenou a decisão da Petrobras de divulgar num blog as perguntas enviadas por jornalistas à assessoria de imprensa e as respostas da estatal, antecipando-se à publicação das reportagens nos jornais.


Em nota assinada por Júlio César Mesquita, vice-presidente e responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão, a ANJ manifestou repúdio ao que considerou ‘atitude antiética e esquiva’, ‘canhestra tentativa de intimidar jornais e jornalistas’, além de ‘inaceitável quebra de confidencialidade’.


‘Como se não bastasse essa prática contrária aos princípios universais de liberdade de imprensa, os e-mails de resposta da assessoria incluem ameaças de processo no caso de suas informações não receberem um ‘tratamento adequado’, diz o comunicado da ANJ (leia a íntegra abaixo).


Em resposta, a Petrobras divulgou nota defendendo a utilização do blog e afirmando respeitar ‘os princípios universais de liberdade de imprensa’.


‘Quanto à suposta ameaça citada na nota da ANJ, esclarecemos que a Petrobras respeita a imprensa e jamais faria ou fez qualquer ameaça a jornalistas ou jornais. A nota se refere a uma mensagem de segurança padrão e automática, sem qualquer vínculo com o relacionamento com a imprensa e veiculada há anos na correspondência eletrônica emitida a partir do correio eletrônico da Petrobras, por todos os funcionários da empresa’, diz a nota, também divulgada no blog (http://petrobrasfatosedados.wordpress.com).


O presidente da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), Sérgio Murillo de Andrade, diz que a Petrobras ‘cria um clima de constrangimento e coação’. ‘É um passo atrás na relação da empresa com jornais e jornalistas, criando um conflito ético absolutamente inaceitável’, afirmou.


A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) sustenta que após a publicação da reportagem, a Petrobras tem o direito de confrontar suas respostas com o que foi publicado. ‘Mas, ao divulgar os questionamentos e eventuais respostas antes da veiculação da reportagem, a estatal federal prejudica o trabalho jornalístico do profissional que, de boa-fé, procura a empresa para checar alguns dados.’


Já o presidente da ABI (Associação Brasileira de Imprensa), Maurício Azedo, defendeu o blog da Petrobras. ‘Acho que a Petrobras está sendo alvo de uma barreira de agressões dos meios de comunicação, especialmente de veículos impressos, e tem o direito de se defender das formas adequadas, inclusive aplicando, utilizando, a tecnologia de informação que a internet proporciona, como a criação de blog para responder a esses ataques’, declarou.’


 


 


***


Estatal diz em nota respeitar a imprensa


‘‘A propósito da nota da Associação Nacional dos Jornais sobre o blog Fatos e Dados, emitida pela entidade em 8/ 6/2009, a Petrobras declara:


O blog foi lançado com o objetivo de apresentar fatos e dados recentes da Petrobras, o posicionamento da empresa sobre as questões relativas à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e garantir a total divulgação dos esclarecimentos solicitados pela imprensa e as respectivas respostas enviadas aos jornalistas. A Petrobras respeita os princípios universais de liberdade de imprensa, tanto que, em nenhum momento, se esquivou de responder às perguntas enviadas, de forma direta e clara. Tampouco, usou de qualquer meio para evitar a publicação de reportagens e notas, mesmo quando a empresa está sendo atacada.


A noção de confidencialidade e sigilo, como a própria nota da ANJ registra, é um princípio que norteia a relação dos jornalistas com suas fontes (pessoas ou empresas, consultorias). O objetivo principal é preservar aqueles que passam informações aos jornalistas e que, por qualquer motivo, precisam ou querem se manter no anonimato. Mas não há compromisso semelhante de confidencialidade e sigilo da fonte para o jornalista, pois isso limitaria o próprio caráter público e aberto da informação.


Quanto à suposta ameaça citada na nota da ANJ, em seus parágrafos três e quatro, esclarecemos que a Petrobras respeita a imprensa e jamais faria ou fez qualquer ameaça a jornalistas ou jornais. A nota se refere, na verdade, a uma mensagem de segurança padrão e automática, sem qualquer vínculo com o relacionamento com a imprensa e veiculada há anos na correspondência eletrônica emitida a partir do correio eletrônico da Petrobras, por todos os funcionários da empresa. Essa é uma proteção amplamente adotada por provedores confiáveis, e mensagens semelhantes acompanham e-mails enviados por jornalistas de diferentes veículos. No caso da Petrobras, a mensagem é destinada, principalmente, aos empregados da empresa. Isso pode ser facilmente constatado pela própria leitura da íntegra da mensagem (O emitente desta mensagem é responsável por seu conteúdo e endereçamento. Cabe ao destinatário cuidar quanto o tratamento adequado. Sem a devida autorização, a divulgação, a reprodução, a distribuição ou qualquer outra ação em desconformidade com as normas internas do Sistema Petrobras são proibidas e passíveis de sanção disciplinar, cível e criminal). O foco interno fica bem claro na citação às normas internas do Sistema Petrobras e na menção a sanções disciplinares, o que só é possível adotar em relação a funcionários.


A Petrobras reafirma que, assim como os veículos de comunicação, defende a livre e ampla circulação de ideias, informações e conhecimento. Como companhia de capital aberto e maior empresa do Brasil, com negócios em diversos países, consideramos que é nosso dever garantir que clientes, acionistas, parceiros e toda a sociedade tenham pleno acesso aos esclarecimentos prestados por nós. Este é o nosso único objetivo.’’


 


 


***


Empresa tenta intimidar jornais, diz nota da ANJ


‘‘A Associação Nacional de Jornais (ANJ) manifesta seu repúdio pela atitude antiética e esquiva com que a Petrobras vem tratando os questionamentos que lhe são dirigidos pelos jornais brasileiros, em particular por ‘O Globo’, Folha de S.Paulo e ‘O Estado de S. Paulo’, que nas últimas semanas publicaram reportagens sobre evidências de irregularidades e de favorecimento político em contratos assinados pela estatal e suas controladas.


Numa canhestra tentativa de intimidar jornais e jornalistas, a empresa criou um blog no qual divulga as perguntas enviadas à sua assessoria de imprensa pelos jornalistas antes mesmo de publicadas as matérias às quais se referem, numa inaceitável quebra da confidencialidade que deve orientar a relação entre jornalistas e suas fontes. Como se não bastasse essa prática contrária aos princípios universais de liberdade de imprensa, os e-mails de resposta da assessoria incluem ameaças de processo no caso de suas informações não receberem um ‘tratamento adequado’. Tal advertência intimidatória, mais que um desrespeito aos profissionais de imprensa, configura uma violação do direito da sociedade a ser livremente informada, pois evidencia uma política de comunicação que visa a tutelar a opinião pública, negando-se ao democrático escrutínio de seus atos.’ Júlio César Mesquita, vice-presidente da ANJ’


 


***


Franklin afirma que decisão da estatal mostra ‘uma tendência’


‘O ministro-chefe da Secom (Secretaria de Comunicação Social), Franklin Martins, disse ontem à Folha que ‘os jornais não têm direito de pedir sigilo das perguntas’ que enviam à Petrobras, mas disse que é uma questão de ‘conversar’ com a empresa para que o conteúdo seja divulgado depois da publicação das matérias, não antes.


Na avaliação de Martins, a publicação do conteúdo total de perguntas e respostas por empresas e pelo governo é ‘uma tendência’, que só foi possível com a internet. O governo federal divulga a íntegra de entrevistas, mesmo que tenham sido divulgadas editadas pelos veículos, mas apenas depois da publicação.


O ministro José Múcio Monteiro (Relações Institucionais), por sua vez, se mostrou ontem favorável à criação do blog Fatos e Dados, colocado no ar pela Petrobras. Segundo Múcio, ele está servindo para tornar as informações transparentes.


‘A Petrobras montou um blog, algumas questões que poderiam ser colocadas na CPI já estão sendo colocadas através da internet. Todas estão tendo resposta, de maneira que as coisas vão seguir o seu curso normal’, disse após deixar reunião da coordenação política.’


 


 


***


A favor: Múcio diz que blog torna informações transparentes


O ministro das Relações Institucionais se mostrou favorável ao blog colocado no ar pela Petrobras. ‘Algumas questões que poderiam ser colocadas na CPI já estão sendo colocadas através da internet [no blog], todas estão tendo resposta, de maneira que as coisas vão seguir o seu curso normal’, disse José Múcio Monteiro ao deixar a sede do governo.’


 


Pedro Dias Leite


Gabrielli diz que divulgação ‘veio pra ficar’


‘O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, defendeu ontem a divulgação de e-mails de jornalistas no blog Fatos e Dados, da estatal, antes mesmo de as reportagens serem publicadas pelos meios de comunicação. Segundo afirmou, a prática ‘veio para ficar’.


O ‘Manual de Redação’ da Folha tem como regra sempre ouvir o outro lado dos alvos de uma reportagem antes da publicação. Ao divulgar os e-mails, o blog torna público um material exclusivo, ainda em apuração, que seria publicado nos veículos de comunicação.


Para Gabrielli, no entanto, a medida é um ‘avanço na transparência’ e também uma defesa contra ‘matérias insinuadoras, matérias criando problemas’, porque o blog divulga todos os dados na íntegra.


‘Acho que isso vai ser generalizado. Empresas, instituições passarão a usar isso porque é fato da democracia da informação que a internet traz.’


Gabrielli, que participou do ‘Roda Viva’, da TV Cultura, disse no programa que nos últimos dez dias a empresa tem sido ‘bombardeada’ com ‘denúncias infundadas’.


O presidente da Petrobras chamou de ‘barriga’ (termo jornalístico para erro) a manchete da Folha de ontem, que revelou um aumento de 84% nos custos da construção de um gasoduto. Ele atribuiu a alta a mudanças no método de construção, aperfeiçoado durante o andamento da obra, como o jornal informou em texto com o outro lado da estatal.


Gabrielli criticou ainda reportagem da Folha que apontava contratos com uma ONG da qual ele faz parte do conselho e também textos de outros meios de comunicação.


Ele negou que a criação do blog seja uma política de ‘confronto’ com a mídia, num momento em que a empresa é alvo de uma CPI no Senado.


‘Se o objetivo fosse como tática para esvaziar a matéria tudo bem, mas não é esse’, disse Gabrielli, que comparou a comissão e as reportagens ‘infundadas’ a ‘socos no fígado’ de um lutador de boxe: não derrubam na hora, mas vão minando de pouco em pouco.


Segundo ele, a Petrobras apenas divulga ‘a informação que o jornalista recebeu privadamente’, que, ‘em 90%’ dos casos, ‘foi extraída de nossos sites, de nossas informações’.


A ideia de criação do site partiu ‘da Petrobras’, disse Gabrielli, não dele próprio, tampouco da CDN, contratada para ‘gerenciar a crise’.’


 


 


Rubens Valente


Estatal omite dados antigos na internet


‘Usado frequentemente pelo presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, como resposta às críticas sobre falta de transparência nos gastos, o site da empresa na internet omite dados de contratos anteriores a junho de 2008, dedica apenas uma linha à descrição do objeto da contratação e deixa de informar a execução do contrato -quanto recebeu a empresa em certa data.


Se a prática for mantida pela empresa, em julho todos os dados de junho de 2008 desaparecerão das opções de pesquisa. E assim sucessivamente: de 12 meses para trás, os dados desaparecem.


Há uma brecha para recuperar as páginas que foram retiradas do ar entre agosto de 2007 e maio de 2008, mas isso não é explicitado no site. De agosto de 2007 para trás, não há forma de conferir os números no site.


A Folha teve que ir copiando e acumulando os números do período 2005-2007 para formar uma base de dados com 28 mil contratos referentes a quatro anos e meio.


Há falha grave na descrição do objeto do contrato. Tudo se resume a uma linha, e mesmo assim quase sempre incompleta, com palavras cortadas.


Um contrato de R$ 27 milhões com um escritório de advocacia, por exemplo, é assim descrito: ‘Serviços técnicos jurídicos para levantamento e recuperação’. Nomes de alguns fornecedores também aparecem cortados.


Os números de 2008-2009 estão praticamente escondidos na página da Petrobras. Podem ser achados a partir de um botão chamado ‘Informações Para o Governo’ -e não para o ‘Público’, o que induz o internauta a erro. O endereço é www2.petrobras.com.br/ materiaishtm/contratos _servicos/portal_1000_ s.htm


Premiado no Brasil e no exterior, o Portal da Transparência, mantido pela CGU (Controladoria Geral da União), ligado à Presidência da República, demonstra o quanto a Petrobras está aquém de melhores exemplos de transparência de gastos. O portal acumula dados sobre R$ 5 trilhões em dinheiro público. Ressalve-se que o portal trata de recursos da administração direta, enquanto a Petrobras é uma empresa estatal.


O portal identifica, de forma simples e rápida, o quanto cada órgão da União gasta em cada programa orçamentário desde o ano 2004, e com qual empresa contratada, além de apontar transferências e convênios. Identifica o servidor que é portador de um cartão corporativo e quanto ele gastou. Revela os pagamentos em diárias e indenizações, incluindo ministros de Estado.


O portal (www.portaltransparencia.gov.br) permite conferir o andamento da execução do Orçamento -o desempenho e as prioridades efetivas da máquina pública. No site da Petrobras, vê-se que o contrato foi assinado, mas não como ele é tocado.


Procurada no final da tarde de ontem, a Petrobras não respondeu até o fechamento desta edição.’


 


MÍDIA & POLÍTICA


Folha de S. Paulo


Liberdade de imprensa é tema de debate hoje na TV Câmara


‘Os presidentes da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, participam hoje, às 9h, da abertura da 4ª Conferência Legislativa sobre Liberdade de Imprensa.


O encontro será no auditório da TV Câmara, em Brasília. A coordenação do evento é da Aner (Associação Nacional dos Editores de Revistas) em promoção conjunta com a ANJ (Associação Nacional de Jornais), a Abert (Associação Brasileira de Rádio e Televisão) e a Câmara.


O primeiro painel tem como tema ‘o regime constitucional da liberdade de imprensa’ e será apresentado pelo ministro Carlos Ayres Brito, do Supremo. O objetivo é debater o possível vácuo legal criado com a extinção da Lei de Imprensa pelo STF.


Estará presente o autor da ação que resultou no fim da Lei de Imprensa, o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ).


Outros dois painéis terão como tema ‘o dever de informar’ e ‘liberdade de escolha como fator fundamental da liberdade de expressão’. Vão participar do encontro os presidentes da Aner, Roberto Muylaert, da ANJ, Judith Brito, e da Abert, Daniel Pimentel Slaviero.’


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Roda-viva


‘Nos portais e depois nos telejornais, ‘Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel’.


No instante do anúncio, José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras, estava ao vivo, mas só em transmissão on-line, no ‘Roda Viva’. A redução do preço dos combustíveis tomou parte do programa, com os jornalistas questionando seu propósito e o executivo juntando argumentos econômicos.


A transmissão ao vivo, por IPTV, foi linkada no blog Fatos e Dados, da estatal, e até no blog de José Dirceu. Foi pautada pela estatal estadual TV Cultura após entrevista anterior e às pressas com o criador da CPI da Petrobras, o tucano Álvaro Dias.


‘LULA VENCE CRISE’


O blog Radar abriu a semana no site da ‘Veja’ anotando que, ‘por incompetência da oposição, segundo dois marqueteiros próximos a ela, o governo conseguiu passar a ideia de que Lula e o governo venceram a crise e o país sairá mais forte dela’.


‘BRASIL REVIVE’


A agência de notícias americana UPI postou em sua seção ‘Ameaças emergentes’, em coluna de opinião, que no Brasil, apesar dos dois trimestres de recessão, ‘o humor é bem mais otimista’, por causa do pré-sal e da alta nas ações e commodities.


BRICS, BRICS


No indiano ‘Hindu’ e outros, destaque para o relatório do Deutsche Bank prevendo que ‘a crescente importância econômica dos Brics terá consequências importantes’, com maior pressão por reformas na Índia, investimentos no Brasil e diversificação na Rússia.


Na crescente cobertura da aproximação entre os Brics, que realizam sua primeira cúpula na semana que vem, o também indiano ‘Economic Times’ destacou, com eco no Market Watch, que o gigante de terceirização Infosys decidiu abrir unidade no Brasil.


DÓLAR, DÓLAR


A Bloomberg deu que, apesar das ameaças contra o dólar, ‘Brics elevam reservas em US$ 60 bi’, em maio. O ‘descontentamento’ existe, mas eles não sabem como reagir


EUA, CUBA E OS OUTROS


Duas colunistas conservadoras, Mary Anastasia O’Grady no ‘Wall Street Journal’ e Marifeli Perez-Stable no ‘Miami Herald’, questionaram a América Latina ontem, dizendo que optou pela ‘tirania’ ao derrubar a suspensão de Cuba na OEA e que não deve esperar que EUA e Cuba se reconciliem.


Em destaque no cubano ‘Granma’, ontem, uma ‘Declaração do Governo Revolucionário’ negou que o país venha a pedir a volta à instituição.


‘EUROPE ECOLOGIE’


Enquanto toda a Europa noticia o avanço da direita nas eleições, o ‘Libé’ deu ontem o crescimento da ‘lista’ Ecologia Europa, comandada na França por Daniel Cohn-Bendit, que já admite até sair candidato a presidente, mas só numa coligação com os socialistas


OPORTUNIDADE


Em aviso a Lula, a ex-ministra Marina Silva escreveu na Folha e deu longa entrevista ao portal Terra contra as ‘forças’ que pressionam pela ‘privatização’ da Amazônia e outras ações de impacto ambiental.


Diz que o presidente tem ‘uma oportunidade histórica para reparar um erro grave’, vetando partes da medida provisória. Recorda o Lula que chorou por Chico Mendes, mas o tom é de alerta.


PEÇA-CHAVE


Depois dos equívocos dos primeiros dias, as buscas brasileiras retomaram as páginas iniciais, ontem, com as imagens dramáticas do resgate de parte do Airbus. No topo das notícias de Brasil por Yahoo e Google, com vídeo da AP (acima) e despacho da AFP, a peça é descrita como ‘chave’ para ‘esclarecer’ a queda.’


 


INTERNET


Folha de S. Paulo


China impõe bloqueio a sites em novos PCs


‘O Ministério da Indústria da China determinou que todos os computadores pessoais vendidos no país a partir de 1º de julho incluam um programa que bloqueia automaticamente sites considerados ‘ofensivos’ pelo governo.


O software ‘Escolta da Juventude/Barragem Verde’ foi desenvolvido por uma empresa que trabalha para o Ministério de Segurança Pública e para o Exército chineses. A firma diz que só serão bloqueadas páginas com imagens e linguagem pornográficas.


Em janeiro, o governo chinês lançou uma campanha contra a pornografia na rede, que fechou 1.900 sites. Mas páginas e blogs com conteúdo político também saíram do ar.


Na semana passada, por conta do aniversário dos 20 anos do massacre na praça da Paz Celestial, vários sites, como Twitter, Hotmail e Flickr foram bloqueados -o Youtube segue inacessível no país.


As chinesas Lenovo, Hedy e Inspur concordaram em vender seus PCs com o programa já instalado. Multinacionais com boa parcela do mercado chinês, como Dell e HP, não se manifestaram.’


 


FRANÇA


Folha de S. Paulo


Integrante de ‘reality show’ tem direito trabalhista


‘A Justiça francesa determinou que os participantes de ‘reality shows’ também devem ter direitos trabalhistas, como hora extra e férias.


A Suprema Corte francesa disse que três participantes do programa ‘L’Ile de la Tentation’ (‘A Ilha da Tentação’, em que uma série de casais testa a sua fidelidade) devem receber 11 mil (cerca de R$ 33 mil) cada um. Os juízes decidiram que o trio deveria ter direito a hora extra, férias e até indenização por eliminação injusta do programa, entre outros itens.


Anteriormente, um tribunal já decidira que o trio deveria receber indenização de 8.176 (cerca de R$ 24,5 mil) em horas extras, alegando que eles trabalhavam 24 horas por dia.


A decisão deve abrir um precedente legal para os integrantes das versões francesas de programas como ‘Big Brother’. Com agências internacionais’


 


 


TELEVISÃO


Daniel Castro


Falta de lazer turbina novelas no interior


‘Em Porto Alegre, a novela ‘Caminho das Índias’ tem até agora 51 pontos, 11 a mais do que a média nacional. Em Florianópolis, ‘Caras & Bocas’ está com 42 pontos, um número que supera até os velhos bons tempos das novelas das sete da Globo. Em Salvador, ‘Paraíso’, exibida às 18h, tem 39 pontos, uma média de novela das oito para o atual padrão de São Paulo e Rio de Janeiro.


A Globo tem duas explicações para tais fenômenos regionais de audiência: a fragilidade da concorrência fora do eixo Rio-São Paulo e a falta de lazer nos centros mais afastados.


No caso de ‘Paraíso’, uma trama rural, o departamento de pesquisa da Globo identificou ‘adequação do conteúdo’ em Porto Alegre (onde dá 31 pontos), Curitiba (32) e Belo Horizonte (34). Já em Salvador e Recife (37) a novela se beneficia também do fato de no horário as concorrentes exibirem telejornais voltados para SP.


A falta de jornalismo local na Record também favorece ‘Caras & Bocas’ no Nordeste e no Sul. Por outro lado, é justamente esse jornalismo paulista que faz com a Globo tenha registrado nos últimos anos as menores audiências de suas novelas das seis e das sete em São Paulo.


Em Florianópolis e em Recife, todas as novelas da Globo se beneficiam da ausência do SBT. Em Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre, a Record só recentemente reforçou sua cobertura e é frágil no Ibope.


DUREZA 1


A Globo exibirá mais sete edições de ‘Jogo Duro’, game que estreou anteontem com média de 20 pontos, boa para o horário (após 23h). Nos próximos programas, as provas vão mudar, menos a última -disputada dentro de uma sala que se enche de água (e de cobras).


DUREZA 2


A maior parte dos animais de ‘Jogo Duro’ veio de outros países, para evitar problemas com o Ibama. É o caso das 20 cobras, todas não venenosas, mas constritivas (podem matar por estrangulamento). Os ratos são brasileiros -de laboratório.


VICE


O SBT bateu a Record no domingo, na média das 6h à meia noite, por 8 pontos a 7, mesmo concorrendo com a milionária ‘A Fazenda’, que rendeu 12,6.


NEGATIVO


O fim de semana foi péssimo para o futebol na Globo. Avaí x São Paulo, anteontem, marcou só 15,8 pontos, a menor média do Brasileirão desde agosto de 2008. E a seleção brasileira, no sábado, com 20 pontos, teve provavelmente seu pior ibope.


ESTRESSE


Rodrigo Carelli (diretor-geral de ‘A Fazenda’) e Alexandre Frota (diretor) andam se estranhando. Nada a ver com a falha de domingo, em que uma legenda entregou, aos três minutos do programa, quem seria a eliminada da noite.


MUDA JÁ


No sábado, editores do ‘Globo Esporte’ tiveram que mudar a trilha de reportagem sobre os ‘embalos de sábado à noite do Corinthians’. Estava entrando o tema de ‘A Fazenda’.’


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 9 de junho de 2009


BLOG DA PETROBRAS


Alexandre Rodrigues


ANJ vê ‘canhestra tentativa de intimidar jornalistas’


‘A Associação Nacional dos Jornais (ANJ) divulgou nota ontem repudiando a criação do blog da Petrobrás, que tem servido para a divulgação na internet das perguntas enviadas por jornalistas à assessoria de imprensa da companhia antes de as reportagens em elaboração serem publicadas pelos veículos desses profissionais. Para a entidade, a atitude quebra o caráter confidencial que deve ter a correspondência entre os jornalistas e as fontes oficiais da empresa, revelando uma ‘canhestra tentativa de intimidar’ a imprensa.


‘Como se não bastasse essa prática contrária aos princípios universais de liberdade de imprensa, os e-mails de resposta da assessoria incluem ameaças de processo no caso de suas informações não receberem um ?tratamento adequado?’, diz um trecho da nota (veja box), assinada por seu vice-presidente, Júlio César Mesquita, responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão da entidade.


Em meio ao noticiário sobre ingerências políticas, suspeitas em contratos e mecanismos de licitação e a criação de uma comissão parlamentar de inquérito no Senado para investigar a Petrobrás, a companhia criou o Blog Fatos e Dados, no qual tem publicado listas de perguntas e respostas encaminhadas por jornais como o Estado, Folha de S. Paulo e O Globo antes da veiculação das reportagens. Na prática, a empresa dá publicidade às pautas dos veículos antes que eles as concretizem.


Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, a companhia pode encontrar outras formas de garantir a transparência e a publicação de suas posições em matérias jornalísticas sem quebrar o princípio de exclusividade, que faz parte da essência da atividade.


‘Não há nada contrário a uma instituição criar um blog como fonte de informação de seu pensamento, é até recomendável. Porém, não é recomendável que se quebrem as cláusulas de exclusividade com os jornalistas. Há uma quebra dos princípios da boa convivência’, opinou Britto. Para o dirigente da OAB, a empresa pode não estar buscando desestimular a imprensa a investigá-la, mas produz esse efeito na prática. ‘Seria bom a Petrobrás rever esse procedimento. A partir do momento em que o jornal não tem a exclusividade, perde o interesse de divulgar como furo jornalístico algumas matérias. Acho que não é uma política correta.’


Já o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Maurício Azêdo, atribui a atitude da Petrobrás a falhas recorrentes da imprensa ao contemplar o chamado ‘outro lado’ em reportagens. ‘Acho que é uma forma de a empresa se proteger de distorções, se acautelar sobre suas respostas que, muitas vezes, são publicadas de forma deturpada. E aí o mal já está feito’, afirmou.


Azêdo disse que é preciso reconhecer que a imprensa tem flertado com o ‘denuncismo’ e pode estar se deixando usar numa disputa política acirrada que envolve a estatal. ‘Acho legítimo que os responsáveis pela comunicação da Petrobrás se acautelem. A imprensa precisa ter mais transparência.’


RESPOSTA


A Petrobrás respondeu à nota da ANJ no próprio blog que gerou as críticas da entidade. A empresa disse que ‘respeita os princípios universais de liberdade de imprensa, tanto que, em nenhum momento, se esquivou de responder às perguntas enviadas, de forma direta e clara’. Sobre a polêmica que envolve a divulgação prévia das pautas de órgãos de comunicação, a Petrobrás disse não ter compromisso de confidencialidade com jornalistas. ‘Isso limitaria o próprio caráter público e aberto da informação’.


A empresa negou ter ameaçado processar jornalistas. ‘A Petrobrás respeita a imprensa e jamais faria ou fez qualquer ameaça a jornalistas ou jornais. A nota (da ANJ) se refere, na verdade, a uma mensagem de segurança padrão e automática, sem qualquer vínculo com o relacionamento com a imprensa e veiculada há anos na correspondência eletrônica emitida a partir do correio eletrônico da Petrobrás.’


ÍNTEGRA DA NOTA


A Associação Nacional de Jornais (ANJ) manifesta seu repúdio pela atitude antiética e esquiva com que a Petrobrás vem tratando os questionamentos que lhe são dirigidos pelos jornais brasileiros, em particular por O Globo, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, que nas últimas semanas publicaram reportagens sobre evidências de irregularidades e de favorecimento político em contratos assinados pela estatal e suas controladas.


Numa canhestra tentativa de intimidar jornais e jornalistas, a empresa criou um blog no qual divulga as perguntas enviadas à sua assessoria de imprensa pelos jornalistas antes mesmo de publicadas as matérias às quais se referem, numa inaceitável quebra da confidencialidade que deve orientar a relação entre jornalistas e suas fontes. Como se não bastasse essa prática contrária aos princípios universais de liberdade de imprensa, os e-mails de resposta da assessoria incluem ameaças de processo no caso de suas informações não receberem um ‘tratamento adequado’. Tal advertência intimidatória, mais que um desrespeito aos profissionais de imprensa, configura uma violação do direito da sociedade a ser livremente informada, pois evidencia uma política de comunicação que visa a tutelar a opinião pública, negando-se ao democrático escrutínio de seus atos.


Júlio César Mesquita, vice-presidente da ANJ e responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão’


 


 


COMUNICAÇÕES


Gerusa Marques


País pode ter ‘apagão postal’


‘Para evitar o que já vem sendo chamado de um ‘apagão postal’, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) tenta ganhar mais tempo na Justiça para concluir a licitação lançada no mês passado para substituir as 1.429 franquias da estatal.


A Procuradoria-Geral da União entrou com recurso, na semana passada, no Supremo Tribunal Federal (STF), para ampliar por mais cinco meses o prazo de vigência dos atuais contratos, que vencem no dia 19 deste mês.


O presidente da ECT, Carlos Henrique Custódio, disse que, se o prazo não for estendido, as franquias terão de ser fechadas e a população poderá ser prejudicada, principalmente nas grandes cidades, onde há uma maior concentração desse tipo de agência. Um eventual fechamento das franquias, avalia Custódio, vai sobrecarregar as agências próprias dos Correios, que são em torno de 6 mil, e poderá provocar perda de mercado para a ECT.


As franquias, que respondem por um terço do faturamento da estatal, cumprem um papel importante na captação de clientes no segmento de encomendas, setor em que os Correios enfrentam a concorrência de empresas privadas.


Custódio disse que pretende conversar também com a desembargadora Maria Isabel Galotti, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, que foi relatora do processo, aberto pelo Ministério Público Federal. Foi o TRF que estabeleceu o prazo de 180 dias, que vence na próxima semana, para a substituição das atuais franquias por franqueados contratados por licitação.


O presidente dos Correios quer que o prazo dado pelo TRF seja considerado a partir da publicação do edital da licitação, no dia 12 de maio. Segundo ele, até novembro, será possível concluir a licitação e iniciar a operação das novas franquias, sem prejuízo para o atendimento.


DIRETRIZES


Custódio explicou que a licitação não foi lançada antes de maio porque só em abril o governo decidiu, por decreto presidencial, dar as diretrizes para a licitação. O decreto de abril, segundo o presidente da ECT, alterou um outro decreto, do fim do ano passado, que limitava as atividades das novas franquias, impedindo que elas fizessem o atendimento diretamente ao público. Com a alteração, restabelecendo a possibilidade de atendimento, a licitação pôde ser lançada.


O presidente dos Correios lembra que o Congresso aprovou no ano passado uma lei que estabeleceu prazo de novembro de 2010 para substituir as atuais franquias. Esse prazo, no entanto, foi encurtado pela decisão da Justiça. ‘Independentemente disso, queremos concluir a licitação o mais rápido possível e regularizar a situação’, afirmou.


Os atuais contratos foram renovados por várias vezes, o que levou o Tribunal de Contas da União (TCU) a questionar essa prática. Em 2006, o TCU já havia determinado aos Correios que essas lojas fossem concedidas à iniciativa privada somente por meio de licitação. A partir de então, o Ministério das Comunicações começou a trabalhar na nova legislação, que resultou na lei aprovada no ano passado pelo Congresso.


As franquias estão espalhadas por 440 municípios em todo o País, sendo 344 lojas só no Estado de São Paulo. A licitação deve ocorrer em datas diferentes para cada cidade, no fim deste mês e em julho e agosto. Os novos contratos terão vigência de 10 anos, podendo ser renovados por igual período.’


TELEVISÃO


Pedro Venceslau


Socialite em casa


‘A empresária Lucilia Diniz, do Grupo Pão Açúcar, terá um programa para chamar de seu, literalmente. Mistura de reality com talk show, o Lucilia Diniz, que tem estreia prevista para o dia 20, vai ao ar aos sábados, às 19 horas.


‘Levaremos para a TV o mundo da autoajuda, com dicas de alimentação e qualidade de vida’, conta Toninho Rosa, superintendente Comercial da RedeTV!. Com quatro cotas publicitárias já vendidas, a produção será independente e o piloto foi feito pela TV7, do Grupo Traffic.


A inspiração veio da experiência da empresária, que transformou em best seller uma bem sucedida dieta sua. Lucilia perdeu 60 quilos.


Na parte reality show do programa, em um quadro batizado de Mudança de Hábito, Lucília acompanhará uma família por uma semana, funcionando como uma conselheira emocional, e de boa alimentação, claro.


‘Não tem nada a ver com o quadro do Fantástico (o da família Meneghini) . Nesse reality vamos abordar temas delicados e fazer uma autoanálise’, fala Lucilia. ‘A ideia é ajudar sem ditar regras. Existem vários caminhos que levam à felicidade’, diz ela.


Entre-linhas


O escatológico Jogo Duro foi bem em audiência em sua estreia: registrou anteontem média de 20 pontos na Globo, ante 8 da Record no horário.


Já A Fazenda perdeu 1 ponto de audiência no embate com o Fantástico, em relação ao domingo anterior. Anteontem, dia de eliminação, o reality da Record alcançou média de 12 pontos ante 26 pontos da revista eletrônica da Globo no horário.


Aos cinco minutos do reality show, a Record colocou no ar, sem querer, o nome da eliminada da noite, antes mesmo de terminar a votação. Os dizeres ‘Franciely eliminada com 50%’ apareceram por um segundo.


Em comunicado à imprensa, a Record lamentou o ocorrido e explicou que uma falha no sistema de geração de caracteres provocou a exibição inadequada do resultado parcial da votação. Franciely foi eliminada com 45% dos votos.


‘O sistema naquele momento estava programado com o nome das três participantes que estavam no ?Tá na Roça? e com dados da votação, ainda em curso, de todas elas’, diz a nota da Record.


O canal Futura fechou parceria com a TV Timor Leste (TVTL). No acordo, o canal brasileiro colocou seu acervo de programas à disposição da TVTL e se comprometeu a cuidar da formação dos técnicos do canal parceiro. Coproduções de atrações para serem exibidas nos dois países fazem parte do pacote.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem