Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

IMPRENSA EM QUESTãO > IRÃ

Jornalista de canal saudita expulso do país

05/09/2008 na edição 501

O governo do Irã baniu, esta semana, o chefe da sucursal de Teerã da emissora de notícias saudita al-Arabiya, e avisou que ele deve deixar o país o mais rápido possível. Segundo um representante do canal, Hassan Fahas – que vive na capital iraniana desde 2000 – teve sua credencial de imprensa revogada pelo Ministério da Cultura e foi declarado ‘persona non grata’.


Autoridades iranianas já haviam reclamado de que a cobertura da al-Arabiya sobre o país é ‘parcial’. A emissora refutava a acusação, alegando que sempre deu aos oficiais iranianos a chance de participar dos programas. Fahas é o terceiro correspondente da al-Arabiya expulso do Irã desde a abertura da sucursal, em 2003. Não se sabe o quanto esta recente expulsão irá interferir no trabalho local. ‘Não ficou claro se eles estão deportando nosso chefe ou fechando o escritório [em Teerã]’, afirmou um funcionário da al-Arabiya à agência de notícias Associated Press, sem se identificar. ‘De uma maneira ou de outra, a mensagem ao canal é clara’.


Em declaração, Fahas afirmou que a decisão de expulsá-lo faz parte da ‘campanha pública do Irã contra a al-Arabiya, orquestrada por algumas autoridades iranianas e pela mídia pró-governo’. A agência de notícias oficial Irna confirmou a expulsão e sugeriu que um programa exibido pela emissora sobre os acontecimentos anteriores à Revolução Islâmica de 1979 pode ter insultado o aiatolá Khomeini, líder espiritual e político da revolução, e provocado a ira do governo. Informações de Barbara Surk [Associated Press, 2/9/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem