Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1067
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Jornalista do sapato diz que foi torturado na prisão

16/09/2009 na edição 555


O jornalista iraquiano Muntader al-Zeidi, que passou os últimos nove meses na prisão depois de arremessar seus sapatos no então presidente americano George W. Bush, foi libertado na terça-feira [15/9]. Em uma coletiva de imprensa horas após a soltura, al-Zeidi afirmou que foi torturado enquanto esteve na cadeia; foi espancado com canos e cabos de aço e submetido a choques elétricos.


O jornalista não respondeu perguntas após sua declaração, mas seus parentes afirmaram que ele deve viajar para a Grécia, onde receberá tratamento médico e psicológico. O irmão de al-Zeidi, Uday, afirmou que o jornalista tem pressa em sair do Iraque porque teme por sua vida, já que pretende divulgar os nomes das pessoas que o torturaram na prisão – incluindo os oficiais do alto escalão.


Em uma sala lotada de repórteres, al-Zeidi manteve o discurso contra a invasão americana ao Iraque. ‘Estou livre, mas meu país continua capturado’, declarou, descrevendo a raiva e a impotência que sentiu após o início da guerra, em 2003, ao testemunhar o sofrimento das viúvas e dos órfãos. ‘Eu vi uma chance e aproveitei’, afirmou sobre o ataque a Bush em dezembro do ano passado em uma coletiva de imprensa em Bagdá. ‘Se aqueles que me julgam soubessem sobre quantas casas destruídas eu passei com aqueles mesmos sapatos; quantas vezes aqueles sapatos se misturaram ao sangue de inocentes; quantas vezes aqueles sapatos entraram em casas de pessoas que tiveram suas vidas desgraçadas, [talvez vissem] que aquela foi provavelmente uma resposta apropriada’. Informações de Marc Santora [The New York Times, 16/9/09].


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem