Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Jornalistas serão libertados quando muçulmanos forem soltos nos EUA

24/08/2006 na edição 395

Um grupo islâmico desconhecido exigiu, no dia 23/8, que os EUA libertassem todos os prisioneiros muçulmanos no país em troca da libertação dos funcionários da Fox News Steve Centanni e Olaf Wiig, seqüestrados no dia 14/8 em Gaza.


O grupo, auto-intitulado Brigada da Guerra Santa, não se disse responsável pelos seqüestros nem fez quaisquer exigências até a última quarta-feira, quando divulgou um comunicado junto a um vídeo dos dois homens. ‘Vamos dar uma chance que não será repetida: a libertação de muçulmanos em prisões americanas em troca dos detidos em nossas mãos’, dizia o comunicado. ‘Se satisfizerem nossa condição, cumpriremos nossa promessa’.


Segundo reportagem de Greg Myre [The New York Times, 24/8/06], o comunicado fazia referências ao Corão e dizia que os EUA tinham 72 horas, a começar ao meio-dia do dia 23/8, para decidir o que iriam fazer. Não foi dito o que vai acontecer se a exigência não for atendida.


No vídeo, o repórter Centanni e o cameraman Wiig aparecem sentados de pernas cruzadas, descalços e relaxados. ‘Estamos vivos e bem’, disse Centanni. ‘Estamos com boa saúde. Temos água potável e comida todo dia, acesso a banheiro, chuveiro, roupas limpas e nossos seqüestradores nos tratam bem’. Wigg acrescentou que ‘se alguém puder pressionar politicamente o governo local em Gaza e na Cisjordânia, o gesto seria bem vindo.’


A fita, enviada a uma produtora de TV em Gaza, foi retransmitida pela al-Jazira. Fox News e outras organizações noticiosas também exibiram trechos.


Em Washington, o Departamento do Estado disse que não vai ceder às chantagens dos seqüestradores. ‘Não fazemos concessões a terroristas e continuamos exigindo a libertação desses jornalistas incondicionalmente’, disse Gonzalo Gallegos, porta-voz do governo, à Associated Press.


Desde os recentes seqüestros, muitas organizações noticiosas retiraram suas equipes jornalísticas de Gaza. Diplomatas americanos alertaram para a ameaça real de outros seqüestros ocorrerem na região. A Associação de Imprensa Estrangeira em Israel também aconselhou seus membros a terem ‘cuidado extremo nos próximos dias’.


Terra de ninguém


Por muitos anos, os palestinos recebiam com prazer e até vontade jornalistas estrangeiros, voluntários e outros ocidentais em Gaza. Mas a região virou território sem lei nos últimos dois anos à medida que a autoridade do governo palestino degringolou enquanto grupos armados proliferaram.


Mais de uma dúzia de ocidentais foi seqüestrada na Faixa de Gaza nos últimos dois anos, mas em todas as ocasiões foram libertados sem ferimentos em 24 horas. O vídeo e a exigência de libertação de prisioneiros foram sinal de que a situação de segurança em Gaza piorou um ano após os israelenses desocuparem a região. Além disso, essa foi a primeira vez que seqüestradores de Gaza exigiram medidas políticas mais amplas que o conflito imediato entre israelenses e palestinos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem