Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > TRASH-MÍDIA

Jornalões de domingo adotam
revistas semanais como paradigma

Por Alberto Dines em 10/07/2007 na edição 441


O Globo começou, mas o jornal não tem competidores locais no seu segmento e, aos domingos, tem pouca circulação fora do Rio.


Na paulicéia, a Folha foi a primeira a desvairar-se: inaugurou o ‘domingão fashion‘ – capa de revista dominical com conteúdo de segunda (feira).


O Estadão, felizmente mais conservador na adoção de modas, ainda resiste. Logo deverá curvar-se ao conluio entre marqueteiros, publicitários e consultores que decretou o nivelamento por baixo de jornais e as revistas de fim de semana.


O raciocínio é simples: se Veja é uma sombra do que foi e mesmo assim é a campeã em circulação, então por que gastar dinheiro e desgastar as mirradas equipes para dar um show de jornalismo no dia de maior circulação?


Na Folha, a entrevista com a ‘Musa do Escândalo’, no domingo da semana passada (1°/07), foi seguida neste último domingo (8/7) por outra no mesmo estilo e igual destaque, com o ‘Muso do Luxo’, o restaurateur e hoteleiro Rogério Fasano. Parvoice padrão Jardins, temperada pelo sotaque toscano.


Jornalismo declaratório às avessas, onde o entrevistado diz tanta bobagem que não precisa ser levado a sério. Entrevista-trash, precursora do jornalismo-trash que, em breve – com mais duas Flips & Flops – produzirá enfim a literatura-trash, destinada a acompanhar nossa fulminante trajetória rumo ao primeiro mundo.


O projeto certamente culminará com a emancipação das edições de domingo, preparadas ao longo da semana, sem compromissos com a atualidade. Como faz o Times de Londres, que no domingo tem outra cara e outro nome – Sunday Times –, mas é a mesma porcaria.


Em tempo: assim como a entrevista da Musa do Escândalo não mereceu qualquer manifestação no Painel do Leitor, ao longo de uma semana inteira (inacreditável!), a entrevista-trash com Rogério Fasano parece destinada à mesma consagração (nenhum comentário dos vigilantes leitores Folha na segunda e terça-feira).

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/07/2007 Marco Leite

    O que o mago do jornalismo moderno queria que uma entrevista com os mimados da alta burguesia, nada de bom. Só podem trazer assuntos sem utilidade alguma para deleite do grande(pequeno na quantidade) público que tem o privilegio de ler os grandes fardos da imprensa escrita. Senhor Dines, burguês tem uma grande virtude, sabe ganhar dinheiro, enquanto nós mortais servimos somente para aplaudir pessoas que intelectualmente deixa muito a desejar. Temos inúmeros exemplos na massificadora de mentes atrofiadas pela falta de cultura, assistimos(com raras exceções) um punhado de pessoas abstratas, falando todo o tipo de asneiras e amenidades inúteis, verdadeiro lixo cultural e educacional. Pôr esta razão, temos uma enorme platéia formada de analfabetos deserdados do lápis e caderno.

  2. Comentou em 10/07/2007 Marco Leite

    O que o mago do jornalismo moderno queria que uma entrevista com os mimados da alta burguesia, nada de bom. Só podem trazer assuntos sem utilidade alguma para deleite do grande(pequeno na quantidade) público que tem o privilegio de ler os grandes fardos da imprensa escrita. Senhor Dines, burguês tem uma grande virtude, sabe ganhar dinheiro, enquanto nós mortais servimos somente para aplaudir pessoas que intelectualmente deixa muito a desejar. Temos inúmeros exemplos na massificadora de mentes atrofiadas pela falta de cultura, assistimos(com raras exceções) um punhado de pessoas abstratas, falando todo o tipo de asneiras e amenidades inúteis, verdadeiro lixo cultural e educacional. Pôr esta razão, temos uma enorme platéia formada de analfabetos deserdados do lápis e caderno.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem