Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

IMPRENSA EM QUESTãO > 9 VERDADES INCONVENIENTES

Juiz britânico aponta erros em filme de Gore

Por Leticia Nunes (edição), com Larriza Thurler em 16/10/2007 na edição 455

A Alta Corte britânica identificou nove ‘erros científicos’ em Uma Verdade Inconveniente, filme de Al Gore sobre o aquecimento global que ganhou o Oscar de melhor documentário este ano. O juiz Michael Burton analisou se o filme estaria apto para ser usado em escolas britânicas, em um processo aberto por um funcionário de uma escola pública, noticia Mary Jordan [The Washington Post, 12/10/07].

O juiz reconheceu que a produção mostra de maneira ‘poderosa’ que o aquecimento global é causado por humanos e que é necessário combatê-lo, porém informou que há nove afirmações que não são baseadas em um consenso científico e são, portanto, tendenciosas. ‘Os professores podem usá-lo, mas devem alertar aos alunos para os erros’, concluiu Burton, reforçando que o documentário não está proibido de ser exibido nas escolas.

Acusações alarmistas

Dentre os equívocos, o juiz citou a suposição de Gore de que a Groenlândia e a Antártica Ocidental podem derreter em um futuro breve, ocasionando um aumento do nível do mar que devastaria São Francisco, Holanda e Bangladesh. Segundo Burton, estas são acusações ‘alarmistas’. Se a Groenlândia derretesse, o aumento do nível do mar só ocorreria daqui a milhares de anos. Uma outra afirmação de Gore é discutível: a de que os habitantes dos atóis do Pacífico tiveram de se mudar para a Nova Zelândia por conta do aquecimento global. ‘Não há evidência disto’, rebateu o juiz.

Outro ponto de discussão seria um ‘novo estudo científico que mostra pela primeira vez que ursos polares que nadaram longas distâncias para encontrar gelo acabaram morrendo afogados’. Burton alega que o único estudo sobre a morte de ursos polares atribuiu os afogamentos a tempestades.

O aquecimento global é uma questão particularmente polêmica no Reino Unido, onde o primeiro-ministro, Gordon Brown, disse que queria fazer do país um líder mundial em limitação de emissões de carbono. No começo do ano, funcionários do Ministério da Educação começaram a distribuir DVDs do documentário de Gore como parte de um programa para educar três milhões de estudantes do ensino fundamental sobre as mudanças climáticas.

Após críticas, Nobel

A determinação do juiz aconteceu um dia antes do ex-vice-presidente americano ter ganhado o Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho sobre aquecimento global, na sexta-feira (12/10). Kalee Kreider, porta-voz de Gore, disse que ele estava ‘satisfeito que a corte determinou que o argumento central de Uma Verdade Inconveniente estava aprovado pela comunidade científica’. ‘De milhares de fatos apresentados no filme, o juiz aparentemente questionou poucos’, argumentou ela.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem