Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

IMPRENSA EM QUESTãO > TURBULÊNCIAS NO MERCADO

Lula critica a imprensa. Sem razão

Por Alberto Dines em 16/08/2007 na edição 446

O presidente Lula voltou a criticar a imprensa na terça-feira (7/8), informou na quarta à noite o jornal online Último Segundo. Desta vez a imprensa foi atacada por dar a impressão de que o Brasil será afetado pela turbulência nos mercados americanos.




‘Mais uma vez, Lula criticou a imprensa que, no seu diagnóstico, apresenta as notícias como se o Brasil estivesse em situação econômica catastrófica. `Se eu fosse estrangeiro, tivesse conhecimento do Brasil através da imprensa e 30 centavos no bolso, eu preferiria investir na Etiópia´, provocou. Sem mencionar diretamente a crise internacional das Bolsas de Valores, Lula disse não ver motivos para o pessimismo estampado pela mídia porque a economia do Brasil é sólida. `Antigamente, alguém dava um espirro lá fora e o Brasil pegava uma pneumonia. Hoje não é mais assim´, ponderou.


Dirigindo-se ao ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, Lula cobrou um cronograma para liberação das emendas parlamentares individuais. `Precisamos fazer isso para evitar que, nos momentos de crise, a imprensa diga que há um toma-lá-dá-cá´, advertiu. O ministro do Trabalho, Carlos Luppi, que é filiado ao PDT, assentiu com a cabeça.’ [Ver aqui a íntegra da matéria]


Mais uma vez, o presidente não tem razão. Naquela manhã, a crise no sistema financeiro internacional sequer foi destacada no alto da primeira página dos três jornalões nacionais. O mesmo aconteceu no dia anterior, segunda-feira. Ao contrário, o noticiário econômico dos últimos dez dias vem salientando a diferença entre a solidez da nossa situação macroeconômica e a sua fragilidade nas crises anteriores.


Para tirar o sono


A crítica presidencial não faz sentido: um jornal jamais conseguiria manter um ambiente de volatilidade por mais de meia hora. Seria logo desmentido e desmoralizado. O sistema financeiro mundial hoje está articulado e vigilante – basta ver a reação coordenada dos bancos centrais do primeiro mundo ao injetar de forma sincronizada quantidades formidáveis de recursos para restabelecer a liquidez e evitar que a turbulência afete a economia real.


Forçar uma crise equivale a um suicídio, nenhum jornal ou jornalista gostaria de provocar um crash, eles seriam os primeiros prejudicados. Os inimigos da nossa estabilidade são outros. Quem pode tirar o sono da equipe econômica não é a cobertura da turbulência internacional, mas a possibilidade de aprovação do ‘trem da alegria’ pela Câmara dos Deputados.


 


Leia também


O ‘trem da alegria’ visto de dois lados – Luiz Weis

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/08/2007 Diego De Los Santos

    Dizem que os comunistas não comem mais criancinhas, hoje eles preferem roubá-las…

    Quanto vejo um nearden…digo, um comunista, já cato umas moedinhas no bolso para tentar evitar tal dissabor..

    ‘- Olá camarada/companheiro, hoje não tenho emprego público para lhe ceder, mas tome uns trocados…’

    Sinal dos tempos…
    Saudações.

    Diego, um canhoto DEMOCRÁTICO.

  2. Comentou em 17/08/2007 Diego De Los Santos

    Dizem que os comunistas não comem mais criancinhas, hoje eles preferem roubá-las…

    Quanto vejo um nearden…digo, um comunista, já cato umas moedinhas no bolso para tentar evitar tal dissabor..

    ‘- Olá camarada/companheiro, hoje não tenho emprego público para lhe ceder, mas tome uns trocados…’

    Sinal dos tempos…
    Saudações.

    Diego, um canhoto DEMOCRÁTICO.

  3. Comentou em 17/08/2007 Rosa Sart

    Presidente Lula tem toda razão de criticar a imprensa; por que não? Por ser o principal ator de nossa história contemporânea, Presidente Lula mantém a fórmula mágica dos economistas de Washington, em que ganham banqueiros e empresários. O resto é resto. Até quando? Um dia, imperialistas sucumbirão ao golpe que nos aplicaram. Um novo ‘crash’ , tsunami econômico-financeiro internacional, mostrará ao mundo que a crise do capitalismo chegou ao fim. Todos quebrados. Menos Cuba. O reverso da medalha se exibirá diante de alguns milhões de aplicadores em Bolsas de Valores. Serão os novos pobres. Ou os pobretões do Capital. Queiram ou não, o Brasil se sustentará, contrário do que sugere a imprensa. Mas discordo do ‘trem da alegria’. Na pior das hipóteses, concurso público é preferível.

  4. Comentou em 17/08/2007 Felipe Faria

    Comunistas comeram criancinhas, os pais das criancinhas, os tios das criancinhas, os avós das criancinhas, as coleguinhas das criancinahs e quem passar na frente….

  5. Comentou em 16/08/2007 Sergio S Lopes

    Por ocasião do último acidente da TAM, em que morreram 199 brasileiros, Lula calou-se por quase 4 dias. E por desconhecer postura de estadista, siquer dignou-se comparecer ao local e confortar os parentes e amigos das vítimas. Em contrapartida, para defender os interesses do capital, seja por conta da crise, seja na comemoração dos lucros nunca auferidos pelos Bancos na história deste País, Lula é rápido na sua manifestação. E sempre sonhando com falta de oposição e com patrulhamento ideológico institucional.

  6. Comentou em 16/08/2007 Luiz Callegaro Callegaro

    Mais uma vez lula mostra-se desinformado.Ele nunca sabe nada, e quando sabe é o último a saber.Ora a imprensa tem que refletir os fatos do dia a dia.Se é positivo ao governo, ao país ou não, isto não tem a mínima importância.Aliás, a imprensa tem o DEVER de ser crítica.

  7. Comentou em 16/08/2007 Otávio Lambert Pinho

    Agora que já se sabe que a pista de Congonhas nada ou pouco teve nada a ver com o acidente; que a falta de grooving não teria impedido o desastre de um avião lotado de passageiros, de carga e de querosene, com uma turbina dando reverso e a outra acelerando, o que resta para imprensa que só sabe fazer o jogo do PSDB/PFL, senão rogar praga na crise do subprime para que ela nos atinja? Afinal, nem o Renan Calheiros dá uma força para imprensa, confessando de vez as suas maracutaias. De outro lado, o que de melhor poderia acontecer para os inimigos do atual governo – além da não prorrogação da CPMF, que durante tanto tempo foi a taboa de salvação do desgoverno FHC – se não uma débâcle na excelente situação financeira que o pais passou a desfrutar desde que o Sr. Luis Ignácio Lula da Silva assumiu o poder? A oposição em hipótese alguma admite a competência do governo, argumentando que a atual saúde econômica decorre de sorte ou de uma série de fatores positivos na conjuntura mundial. Pois bem! Vejamos, então, se com os fatores externos pinados, voltaremos ao endividamento e à posição de decúbito dorsal com o qual o governo FHC se houve durante o seu tempo, perante a comunidade financeira internacional.

  8. Comentou em 16/08/2007 JULIO CESAR TAVARES

    Lula mais uma vez esta certo, a mídia esta criando um verdadeiro clima de terror.Uma observação mais séria e menos politica, nota-se claramente que a mídia esta querendo que o Brasil entre mais cedo na crise economica.

  9. Comentou em 16/08/2007 Ruy Acquaviva

    Os jornais já estão desmentidos e desmoralizados…

    Não adianta o Sr. Dines vir a este site dizer que não existiu o que existiu… Eu lí os jornais e notei o esforço para transformar a crise financeira internacional em um ponto negativo para o Governo Brasileiro, quando na verdade é amplamente positivo. O Brasil

  10. Comentou em 16/08/2007 Castor Filho

    Está claro que o sr. não assiste os jornais televisivos nem lê o OI. O Lula tem toda a razão em fazer observações sobre a imprensa. Aliás, e diga-se de passagem, os ‘jornalistas de economia’ dos ‘três jornalões’ sequer ‘destacaram no alto da primeira página’ por pura IGNORÂNCIA quanto ao significado REAL do problema. Poucos economistas brasileiros entenderam de imediato a questão. O Nassif foi um dos que entendeu. Procure ler no ‘blog’ dele. É bem didático.
    Só que o Nassif tembém ‘esqueceu’ de dizer que o cuidado com que o Banco Central tratou a SELIC, baixando lentamente a taxa, impediu um impacto maior ddo efeito ‘subprime’ no Brasil. Outros jornalistas, com as honrosas exceções de sempre, são apenas ‘economeiros’. Estão perdoados. Imperdoáveis são os donos dos jornais que os contratam…

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem