Domingo, 15 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1054
Menu

ENTRE ASPAS >

Ministro Eros Grau é contra sessões do STF na TV

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 20/05/2009 na edição 538

Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 20 de maio de 2009


 


JUDICIÁRIO
Alexandre Rodrigues


Eros Grau é contra sessões do STF na TV


‘O ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal, disse ontem, durante palestra no Rio, que as sessões plenárias da corte não deveriam ser transmitidas ao vivo pela TV Justiça. A ideia de suspender as transmissões foi cogitada no mês passado, depois da transmissão de uma discussão entre os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa para todo o País. ‘Se dependesse de mim, seguramente não haveria transmissão televisiva, mas felizmente não depende, porque praticamos a democracia’, afirmou Grau, num almoço com líderes empresariais da Câmara de Comércio França-Brasil.


Grau tocou levemente no tema em sua curta palestra sobre a atualização da Constituição ao classificar a tomada de decisão de qualquer magistrado como ‘um momento de grande intimidade’, que acaba sendo devassado apenas para os ministros do STF. No entanto, foi obrigado a detalhar sua opinião diante da pergunta de uma participante, que quis saber se ele via exposição exagerada dos ministros nas transmissões das votações, misturando diante dos cidadãos as relações institucionais e pessoais dos integrantes da corte.


INSTITUIÇÃO


O ministro respondeu que é contra as transmissões, mas ressaltou que expressava apenas uma opinião, já que reconhece que esse tipo de recurso tem sido um instrumento cada vez mais adotado para dar transparência a instituições públicas. ‘O que é muito importante é que nenhum de nós, como indivíduo, significa grande coisa. Nós não significamos nada. O que importa é a instituição’, afirmou Grau, numa referência indireta à repercussão dos desentendimentos entre Mendes e Barbosa.


Em entrevista na saída, Grau disse não ter conhecimento de qualquer discussão entre os ministros ou iniciativa do presidente Gilmar Mendes para limitar as transmissões da TV Justiça. Disse ser simpático à ideia de exibir versões editadas gravadas das sessões, mas negou que pretenda levar aos colegas a proposta. ‘A publicidade (das decisões) é muito importante. A maneira de fazer é que se poderia eventualmente estudar. Não sei. Acho que é um assunto a pensar’, disse Grau.


O ministro indicou não ver em episódios como o bate-boca do mês passado prejuízos para o prestígio da corte. Para ele, a imagem do Judiciário está acima de egos. ‘Não tenho dúvida de que o Supremo vai ser objeto, no futuro, depois que nós passarmos, de muita admiração. Como instituição. As pessoas que estão lá dentro vão passar e, daqui a dez anos, ninguém vai lembrar delas’, disse.


APOSENTADORIA


Em conversa informal com o Estado na saída, Grau negou os boatos de que pretende antecipar sua aposentadoria compulsória, prevista para agosto de 2010, quando completa 70 anos. Ele disse que é errada a interpretação de que sua aposentadoria como professor da Universidade de São Paulo (USP) e sua renúncia à cadeira de ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no mês passado sejam sinais de que deixaria o STF em breve. O ministro repetiu que abriu mão das outras atribuições para se dedicar mais ao Supremo, frustrando as candidaturas que já se articulam para sua vaga: ‘A data da minha aposentadoria já está marcada: 19 de agosto de 2010’, disse, citando a data do 70° aniversário. E ainda acrescentou que, se for ampliado para 75 anos o limite de idade para o serviço público, permanecerá na cadeira até 2015.’


 


 


INTERNET
Carolina Freitas


No Twitter, Serra em 140 caracteres


‘Aos 68 anos e ‘computador-dependente’ confesso, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), aderiu à mais nova febre da internet, o Twitter. O tucano inaugurou anteontem seu microblog pessoal (www.twitter.com/joseserra_), com postagens curtas e em tom informal sobre a agenda do dia.


O Palácio dos Bandeirantes confirmou ontem à tarde que o perfil é verdadeiro. Foi criado pelo próprio governador. Antes disso, o nome de Serra aparecia em dez perfis falsos, a maioria com referências à possível candidatura do tucano à Presidência em 2010.


Sem nenhuma divulgação oficial, o perfil do governador arregimentou até a noite de ontem cerca de mil seguidores, que poderão acompanhar em tempo real tudo o que ele escrever. ‘Surpreendente!’, escreveu Serra no início da tarde. ‘Espalhou mais rápido do que eu pensava.’ Por enquanto, o governador segue os posts de apenas uma pessoa, cujo nome não é público.


Misto de blog e rede social, o Twitter convida o usuário a responder em 140 caracteres ‘o que você está fazendo?’. As postagens aparecem imediatamente na tela de quem decidir seguir a pessoa.


Serra escolheu um fundo azul claro para sua página e uma foto em que aparece sorridente, de camisa azul escura. Desde a inauguração do espaço virtual, o governador fez sete postagens. Duas sobre a Virada Cultural estadual e uma sobre a cerimônia de entrega de equipamentos para a guarda ambiental, ações de governo amplamente divulgadas pelas mídias oficiais do governo do Estado.


‘Hoje são mais 8 audiências, reuniões, entrevistas e, à noite, programa da Luciana Gimenez, falando sobre a lei de proteção aos não-fumantes’, postou o tucano na segunda-feira. O combate ao fumo é uma das bandeiras de Serra desde quando foi ministro da Saúde de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Ele proibiu a propaganda de cigarro, mandou imprimir fotos ilustrando os malefícios do tabaco nas embalagens do produto e, na esfera estadual, vetou o fumo em locais fechados e extinguiu os fumódromos.


A última postagem do governador, por volta das 15h de ontem, faz referência às mensagens reservadas que recebeu por meio do site. ‘Li as mensagens. Pena não poder responder a cada um. Obrigado a todos.’’


 


 


TELECOMUNICAÇÕES
Gerusa Marques


TV paga na internet terá limite de capital


‘A internet foi incluída entre os segmentos que serão alcançados pela nova lei da TV paga, segundo parecer proposto pelo deputado Vital do Rego Filho (PMDB-PB). O substitutivo dele ao projeto de lei 29/2007, que deverá ser votado na Comissão de Defesa do Consumidor na primeira semana de junho, propõe novas regras para a produção de programas de televisão e suas diversas formas de distribuição, seja pela TV por assinatura convencional ou por mídias alternativas, como o celular e o computador.


O parecer de Rego Filho agrada em parte às emissoras de TV porque mantém o limite constitucional de 30% para a participação de capital estrangeiro nas empresas de produção de conteúdo, porcentual que vale atualmente para jornais e radiodifusão. O mesmo limite de 30% na produção é aplicado para as empresas de telecomunicações, entre elas as operadoras de telefonia.


As teles, por sua vez, também foram contempladas pela proposta porque ficam liberadas para participar integralmente de empresas de distribuição de conteúdo. As resistências das empresas de telecomunicações podem surgir, no entanto, em relação à inclusão do segmento de internet paga nas novas regras.


Essa medida pode criar problemas para provedores controlados por empresas de telefonia, como o IG (da Oi) e o Terra (da Telefônica).


Para produzir conteúdo audiovisual pago, esses provedores teriam de se enquadrar no limite máximo de 30% de controle por empresas de telecomunicações.


O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, criticou a proposta. ‘Nunca vi isso no mundo. Você já viu alguma restrição para a internet no planeta?’, questionou Falco. ‘Quando não tem muito no planeta e existe aqui, precisamos ver o que estamos fazendo.’


O relator disse não poderia deixar a internet de fora de sua proposta porque as empresas já estão cobrando por pacotes de vídeos sob demanda pela rede mundial de computadores. ‘Este é um serviço de TV por assinatura como outro qualquer. Portanto, tinha de estar no regulamento’, afirmou.


Segundo ele, a internet hoje ocupa um espaço muito importante na vida das pessoas e não pode deixar de ser regulada. ‘Depois que o STF (Supremo Tribunal Federal) equiparou para fins da lei de imprensa os conteúdos divulgado por jornal impresso aos conteúdos divulgados pela internet, não poderia me omitir sobre esse assunto’, acrescentou.


Ele esclarece que a medida só trata de conteúdo pago. Para a internet gratuita não foi criado nenhum tipo de regulamento. ‘Portais como o Terra e o IG se forem pagos têm de ser regulados. O conteúdo gratuito continuará livre.’


SISTEMA DE COTAS


Alvo das maiores divergências e críticas das emissoras de TV, o sistema de cotas para programação nacional foi simplificado no parecer de Rego Filho. As cotas tinham sido propostas no fim de 2007, pelo então deputado Jorge Bittar (PT-SP), na Comissão de Ciência e Tecnologia, mas seu parecer não chegou a ser votado. A nova proposta prevê que 30% do conteúdo brasileiro seja de produção independente.


Esse porcentual, no entanto, não é aplicado aos canais estrangeiros, diferentemente do sistema de cotas proposto por Bittar, que considerava toda a grade de programas do pacote. ‘Acho que a simplificação resolve o problema. E não agride as redes programadoras nacionais’, disse o Rego Filho.


O relator comentou ainda o fato de permitir que o cliente possa adquirir canais de forma avulsa, fora dos pacotes definidos pelas operadoras. Segundo ele, essa é uma das principais demandas dos consumidores, que só querem pagar pelos canais que assistem. ‘O Código de Defesa do Consumidor já proíbe a venda casada’, afirmou.’


 


 


CULTURA
Camila Molina


Heitor Martins deve assumir a Fundação Bienal


‘O consultor Heitor Martins, de 41 anos, deverá ser o próximo presidente da Fundação Bienal de São Paulo. Ontem, ele anunciou que aceita o convite para se candidatar ao cargo de presidente da diretoria executiva da Bienal, se tornando, portanto, o único candidato oficial. A reunião ordinária do conselho está marcada para o dia 28 e nela já ocorrerá a eleição. Martins é paulista de Marília, sócio-diretor da empresa internacional de consultoria McKinsey e estudou na Fundação Getúlio Vargas. Ele já tem proposta de trabalho preparada para a instituição, equipe e projeto para realizar a próxima Bienal de São Paulo em 2010.


‘Ele tem algumas condições, entre elas, a de acertar uma presidência de transição’, diz o conselheiro Julio Landmann. Ele seria eleito já no dia 28, mas durante 60 dias sua equipe trabalharia com a equipe atual da Bienal para ‘equacionar as contas’. ‘Há outras solicitações, mas a transição é uma maneira de fazer acertos’, afirma Landmann. Martins está atualmente na Europa, mas, segundo o presidente do conselho da Bienal, Miguel Alves Pereira, o consultor já enviaria nesta semana sua proposta de trabalho para ser apreciada pelos 60 conselheiros (10 deles vitalícios) e discutida na próxima reunião.


O cargo de presidente da Bienal está oficialmente vago desde 6 de fevereiro, quando, pelo estatuto, terminou a gestão de Manoel Pires da Costa. As contas do ano de 2008 da fundação, com déficit contábil de R$ 2,891 milhões, foram aprovadas no último dia 5 pelos conselhos fiscal e administrativo. Pires da Costa continua respondendo pelo cargo até a eleição. Desde o ano passado, a instituição convidou oito pessoas (incluindo Martins) a se candidatar à presidência, entre eles, o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, e o diplomata Rubens Barbosa. ‘Não há outro candidato oficial, mas pode ser que algum conselheiro apresente candidato durante a reunião’, pondera Landmann.


Martins é casado com Fernanda Feitosa, diretora e idealizadora da SP Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo que, neste ano, em sua quinta edição, ocorreu até domingo no Pavilhão da Bienal (o evento tem contrato até 2015 para ocorrer no prédio). Colecionadores de arte, eles têm grande trânsito no meio artístico. ‘Eu seria a pessoa adequada porque poderia reunir recursos para a instituição. Mas quem quer que assuma que tenha um projeto para a fundação andar’, afirmou Martins ao Estado.’


 


 


GOLPE
Luísa Alcalde


Grupo pôs TV a cabo ilegal para mais de 2 mil em SP


‘A polícia diz acreditar ter descoberto, se não a maior rede clandestina de TV a cabo do País, a mais ousada e sofisticada central pirata de televisão por assinatura.. O flagrante aconteceu ontem na zona sul de São Paulo. Mais de 50 ruas do Jardim São Luís e Jardim Ibirapuera foram cabeadas ilegalmente pela empresa AJMS Telecom, que faturava com o esquema cerca de R$ 30 mil por mês.


Estima-se que pelo menos 2 mil assinantes usavam o serviço irregular, de acordo com o Sindicato das Empresas de TV por Assinatura (Seta). A adesão custava R$ 170 e cada ponto era oferecido a R$ 30. De acordo com a polícia, a empresa desviava há nove anos mais de 90 canais de operadoras legais.


Os interessados nas assinaturas procuravam um salão de cabeleireiros, onde funcionava a área de vendas. A parte operacional e os equipamentos ficavam alojados no segundo andar de uma padaria. A emissora era conhecida como TV Bahia. Net, Sky e TVA teriam tido sinais usurpados, segundo Antônio Salles Teixeira Neto, presidente da Comissão Antipirataria da Seta. O prejuízo pode superar R$ 1,5 milhão por ano.


Com evasão de receita em função da pirataria, o setor perde por ano R$ 200 milhões. ‘Não sei se podemos afirmar que se trata da maior já flagrada no País, mas, para nossa surpresa, é a mais bem instalada e equipada’, disse o executivo.


O flagrante foi feito por policiais da 6ª Delegacia Seccional e teve apoio do Seta. Três pessoas foram presas – A.L.J., de 48 anos, presidente da empresa, a secretária R.M.P., de 19, além de um técnico. Eles foram indiciados por furto e formação de quadrilha. O dono da empresa é acusado de receptação, pois foram encontrados equipamentos roubados.


A fraude começou a ser descoberta quando policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG), liderado pelo delegado Paulo Pereira de Paula, receberam um folheto do serviço. O Seta foi procurado por policiais que queriam saber se a AJMS tinha licença da Agência Nacional de Telecomunicações.


‘A empresa se passava por operadora de TV a cabo. Utilizava-se irregularmente de postes, energia elétrica e infraestrutura de outras companhias’, explicou Salles Neto. Segundo ele, os fraudadores possuíam um headend – central de captação de sinais de satélite e de emissoras locais -, além de decoders para abertura de canais fechados.


Foram encontrados 13 decodificadores digitais, 19 analógicos e 38 amplificadores. A origem dos equipamentos está sendo investigada. A polícia também quer saber se os golpistas contaram com a conivência ou assessoria de técnicos do setor. Segundo o sindicato, flagrantes desse tipo são comuns no Rio. Em São Paulo, o último ocorreu na zona sul, há um ano.’


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Maísa pode sair do ar


‘O choro da pequena Maísa virou caso de Justiça. O Ministério Público de São Paulo, a Vara da Infância e da Juventude do Estado, e o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente estudam medidas cabíveis para tirar a menina do ar.


No MP, a cena de Maísa chorando de medo de um monstro fake, que foi ao ar no dia 9, e outra imagem dela novamente chorando, após bater a cabeça em uma câmera no Programa Silvio Santos, no último domingo, geraram uma série de representações públicas no órgão. O Ministério vai avaliar as queixas e deve instaurar procedimento contra o SBT nos próximos dias.


Entre as denúncias feitas ao órgão, está a alegação de que Maísa, que tem apenas 6 anos de idade, vem passando por situações constrangedoras e violência psicológica no Programa Silvio Santos.


O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente vai analisar as imagens de Maísa chorando e promete também entrar com denúncia no Ministério Público.


O SBT, por meio de sua assessoria de imprensa, informa que não vai se pronunciar sobre o caso, pois ainda não foi citado judicialmente.’


 


 


PRÊMIO
O Estado de S. Paulo


Jornalistas de fora premiam Estômago


‘O já superpremiado Estômago, de Marcos Jorge, ganhou quatro troféus da Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira no Brasil, anteontem: melhor filme, diretor, roteiro e ator (João Miguel). Sandra Corveloni, de Linha de Passe, ficou com o de melhor atriz. O documentário escolhido foi Condor, de Roberto Mader. O prêmio de fotografia foi para Mauro Pinheiro Jr., por Linha de Passe; o de trilha sonora, para Marisa Monte, por O Mistério do Samba; o júri popular, que pôde assistir aos concorrentes de graça, no CCBB do Rio, escolheu Condor como seu preferido. O homenageado da noite foi o diretor Domingos Oliveira.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 20 de maio de 2009


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


China na mira


‘Na manchete da Folha Online e depois do UOL, ‘Mercados chinês e americano na mira da Brasil Foods’. No portal e depois no ‘Jornal Nacional’, a descrição dos ‘presidentes’, dizendo ser ‘a terceira maior exportadora do país’.


Segundo enunciado na home do UOL, foi ‘compra da Sadia pela Perdigão’. Já na manchete da Reuters Brasil, ‘Perdigão assume Sadia’. E do Valor Online, ‘incorporação da Sadia’. Brasil Foods é o novo nome da ‘antiga Perdigão’.


A novidade maior, ao menos para o Valor Online, é ‘a provável participação do BNDES’.


EM UM MÊS


O ‘Financial Times’ destacou à noite, dos acordos em Pequim, que a ‘China concordou em levantar a restrição à importação de frango brasileiro e em permitir a entrada de mais carne bovina, estimulando ainda mais a parceria em rápido crescimento’.


Ainda sem confirmação, a medida já era festejada pelos ‘presidentes’ da Brasil Foods, na cobertura. E na Folha Online o ministro da Agricultura anunciou ‘o primeiro embarque para a China em um mês’.


‘Já em relação à carne suína, não foi desta vez.’


POR TODO LADO


Lula e Hu Jintao no alto das páginas iniciais do ‘China Daily’ e do ‘Global Times’ e na CCTV -à qual concedeu duas entrevistas, a última à noite, ao ‘Jornal Nacional de lá’, segundo o blog Radar


‘CORTA, CORTA, CORTA’


Em destaque nas buscas, a Bloomberg noticiou que ‘China e Brasil estudam conduzir o comércio em yuans e reais’. O ‘Telegraph’ deu sob o título ‘O dólar ainda é todo-poderoso, por enquanto’. Ecoou na ‘BusinessWeek’ como ‘só o sinal mais recente de que os emergentes estão prontos para desafiar o câmbio’.


E o ‘FT’ postou o texto ‘Chop, chop, chop the dollar’, dizendo que a ameaça ‘torna a visita do secretário Tim Geithner a Pequim, dia 30, bastante interessante’.


GISELE & CHE


Dizendo que o ‘Brasil é monstruoso, uma potência autossuficiente’, o site de finanças Seeking Alpha citou que Gisele Bündchen foi a primeira a falar contra o dólar -e ironizou como a China, após Che Guevara, se tornou o mais ‘novo aliado contra o Ocidente’ por aqui.


REAL & PESO


O site do ‘WSJ’ destacou de São Paulo, em meio à visita de Lula a Pequim, que Brasil e Argentina registraram ‘um salto no uso do Sistema de Pagamento em Moeda Local, apesar da queda no comércio entre os dois’. O sistema nasceu em setembro, para substituir o dólar.


PETROBRAS LÁ


O ‘Wall Street Journal’ deu que a ‘Gigante brasileira do petróleo sela acordo na China’, sobre os US$ 10 bi de crédito, mas sem ceder ‘contratos lucrativos de petróleo, como se esperava’ e como publicou o ‘WSJ’.


Foi a notícia do dia nas buscas de Yahoo News e Google News, tarde e noite, via agências France Presse, Xinhua, Bloomberg. Por aqui, só foi destaque na estatal Agência Brasil e na BBC Brasil.


PETROBRAS CÁ


Destaque de Folha Online e demais, à tarde, ‘PT quer mobilizar público contra a investigação’ da Petrobras. À noite, ministro ‘nega que governo articule ‘tropa de choque’ na CPI da Petrobras’.. E por aí vai a cobertura.


SINOPEC VEM AÍ


Em curto despacho da Bloomberg, ontem, o diretor da Administração Nacional de Energia da China disse em Pequim que a Sinopec ‘vai assinar acordo com o Brasil para explorar dois blocos de petróleo no país’.


CHERY VEM AÍ


A BBC Brasil deu que ‘a maior montadora chinesa confirmou a fábrica no Brasil para produzir até 150 mil veículos/ano’ do modelo A3. Estuda Rio, SP, Minas ou Ceará


UMA CRISE E OUTRA


O blog Westword entrevistou e o Romenesko destacou entrevista em que o presidente do grupo MediaNews, com cem publicações nos EUA, questiona a cobertura que se faz da crise na imprensa, por não ver ‘a diferença entre a mudança estrutural’ no setor e ‘a forte desaceleração econômica’. A queda maior de receita se deve à segunda.


 


 


OPINIÃO PÚBLICA
Hélio Schwartsman


Em Londres, é mais difícil se lixar para opinião pública


‘Tem um bom argumento quem afirma que os políticos são iguais em toda parte do planeta. Mesmo legisladores britânicos, forjados em 700 anos de parlamentarismo, não se distinguem muito de seus pares brasileiros: quando surge a ocasião, não hesitam em empurrar para as burras públicas contas relativas a despesas pessoais.


Até a lista de aquisições apresenta similaridades. Os casos mais bizarros revelados pelo ‘Daily Telegraph’ incluem pedidos de ressarcimento por gastos em papel higiênico, comida de cachorro e móveis de luxo. Não há como deixar de evocar a tapioca do ministro Orlando Silva, o transporte da cadela do ex-ministro Antonio Magri ao veterinário e o faustoso apartamento do ex-reitor da UnB Timothy Mulholland.


Um observador desapaixonado não vacilaria em classificar tudo isso como irrelevâncias, seja pelos valores envolvidos, seja pelo caráter moralista de que se revestem as críticas.


Ocorre que o eleitor é tudo menos um ser desapaixonado. E, se há algo a que ele é especialmente sensível, são rupturas no que imagina ser o tipo de relacionamento que mantém com seu representante.


Apanhados com a boca na botija nesse gênero de malfeitoria, políticos invariavelmente repetem não ter cometido nenhum crime. Se a lei não impõe limites a ressarcimento de gastos, cota de passagens aéreas etc., seu uso está autorizado.


É verdade. Só que esse discurso, plenamente legítimo para contribuintes, consumidores e empresas, por exemplo, está vedado a políticos.


Isso porque, quando o candidato pede votos a eleitores, ele não propõe uma troca comercial, mas estabelece um relacionamento regido por normas sociais, que diferem de regras de mercado e preceitos legais. Relacionamentos sociais são marcados por valores como confiança, lealdade e até amizade.


O político, que se elegeu com base nesse tipo de lógica, não pode, ao primeiro sinal de apuro, buscar abrigo no registro mercadístico-legal. Tal mudança é imediatamente percebida como traição. É o equivalente de tentar pagar a sogra pelo almoço de Dia das Mães que ela ofereceu: escândalo familiar.


Embora a genealogia dos escândalos seja semelhante, britânicos reagem com mais determinação que brasileiros. Ao que tudo indica, é mais difícil lixar-se para a opinião pública num país com séculos de tradição democrática -onde cada cidadão sabe muito bem qual é o político que o representa.’


 


 


INTERNET
Folha de S. Paulo


Panes no serviço do Speedy continuam; empresa nega


‘Clientes da operadora Telefônica que tentaram se conectar à internet ontem usando o serviço de banda larga Speedy continuaram com problemas de autenticação e acesso.


A falha na rede da operadora atinge todo o Estado de São Paulo e começou no início da tarde de segunda.


Além dos usuários, provedores que utilizam o sistema da empresa ainda reclamam da qualidade da conexão, com instabilidade no acesso.


Em nota, a empresa nega os problemas e diz que ‘desde as 23h40 de anteontem não foram verificadas novas instabilidades na infraestrutura de suporte ao acesso à internet’.


A operadora informou que os problemas que causaram dificuldades de navegação ocorreram em três períodos -das 12h30 às 14h55, das 16h15 às 18h e das 20h30 às 23h40.


Às 18h de ontem, o serviço de atendimento do provedor UOL registrou um volume de chamadas 140% maior em relação ao número normal para o período. No grupo de discussão criado pelo site, o usuário João Garrucho, de Barretos (SP), diz que ‘não consegue se conectar à internet desde ontem’.


A Telefônica afirma que fará o ressarcimento proporcional aos intervalos em que o serviço ficou fora do ar e que não é preciso que os clientes entrem em contato com a central de atendimento para receber o desconto na próxima fatura.


Esta é ao menos a terceira vez que o Speedy para de funcionar só neste ano. Há um mês e meio, o serviço ficou mais de uma semana sem navegação. Em março, outra falha dificultou a conexão em São Paulo.’


 


 


EDUCAÇÃO
Folha de S. Paulo


Compra de livro com palavrão vai ser punida, afirma Serra


‘O governador José Serra (PSDB) disse ontem que serão punidos os responsáveis pela compra e distribuição a escolas estaduais de um livro com conteúdo sexual e palavrões, que seria usado como material de apoio por alunos de nove anos.


Conforme a Folha informou ontem, a pasta enviou 1.216 exemplares de uma obra que contém expressões como ‘chupa rola’ e ‘cu’ a escolas que atendem alunos da terceira série do ensino fundamental.


O livro, chamado ‘Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol’, seria usado como material de apoio a esses estudantes. A editora Via Lettera, responsável pela obra, afirmou que ela é voltada a adultos e adolescentes.


Em nota, a Secretaria da Educação admitiu anteontem que errou ao incluir o livro no programa Ler e Escrever (que visa reforçar a alfabetização). Disse ainda que os exemplares estavam sendo recolhidos.


Ontem, Serra afirmou no programa SPTV, da Rede Globo, que o problema foi ‘uma advertência de que esse setor precisa funcionar melhor’.


O governador afirmou também que ‘por isso abrimos sindicância, e os responsáveis vão ser punidos, porque realmente cometeram algo muito errado’. A sindicância aberta tem 30 dias para ser concluída.


De acordo com o tucano, os exemplares foram rapidamente retirados e, por isso, os alunos ‘praticamente’ não tiveram acesso aos livros.


A obra foi incluída no material que os estudantes podem usar nas salas de leitura, na própria aula ou levar para casa.


Os livros chegaram às unidades na semana passada. A determinação de recolhimento, feita pela Secretaria da Educação, ocorreu na sexta-feira.


Para Serra, o caso do livro com teor sexual foi mais grave que o erro nos mapas do material didático destinado à sexta série, que contavam com dois Paraguai -problema revelado em março pela Folha..


‘É muito menos sério um erro de impressão [alegação para o problema nos mapas] do que um livro que tenha um conteúdo como esse. Por sorte a distribuição foi muito pequena.’


Pelo segundo dia seguido, a reportagem pediu à secretaria como é feita a escolha dos livros, mas não obteve resposta.


PCC


Além de palavrões, o livro também faz alusão à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Em uma das 11 histórias em quadrinhos, é retratado o futebol em um presídio (o esporte é o tema da obra).


Em um dos quadrinhos, do cartunista Lélis, aparecem presidiários com revólveres e uma bandeira da facção, saudando um time entrando em campo.


Em outro quadro, aparece um balão promocional com a frase ‘Entorpecentes Devil -qualidade – organizações PCC’. A secretaria da Educação disse que um dos motivos para o recolhimento da obra foi a citação à organização criminosa.’


 


 


FUTEBOL
Toni Assis


Contra pressão, Muricy tira Denis das entrevistas


‘Ele estava na escala de entrevistas ontem no CT do São Paulo, mas um veto de última hora do técnico Muricy Ramalho acabou tirando o goleiro Denis da mira dos jornalistas.


Sob alegação de que deverá falar até sexta-feira, o novo dono do gol são-paulino deu seu lugar ao volante Richarlyson, que já saiu em sua defesa.


‘O fato de ele não falar agora é apenas um cuidado para que tenha a cabeça voltada somente para o jogo. É uma semana de clássico importante [Palmeiras, no Parque Antarctica], e na hora certa ele vai falar’, comentou o companheiro do goleiro.


O cuidado em cima de Denis, entretanto, tem uma explicação básica: tirar de seus ombros a pressão que o time tem vivido pelo seu mau desempenho dentro de campo há algum tempo.


Nos últimos seis jogos, o São Paulo sofreu quatro derrotas, e um empate -venceu só um. No Brasileiro, soma uma derrota e um empate em duas rodadas.


Nas quartas de final da Taça Libertadores, enfrentará, na quarta-feira que vem, o Cruzeiro no Mineirão, e uma vitória contra o Palmeiras é vital para uma retomada de confiança.


Desde que foi alçado à condição de titular por conta da lesão no joelho esquerdo de Bosco, no 2 a 2 de domingo contra o Atlético-PR, no Morumbi, Denis, 22, só deu entrevistas para o site oficial do São Paulo.


Bosco, que pode ficar até um mês fora, vinha substituindo Rogério, que passou por cirurgia no tornozelo e só deve voltar a jogar em agosto.


A atitude de Muricy de tentar preservar Denis ganhou o aval da diretoria. Para o vice de futebol Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, proteger o jogador tem seus benefícios. ‘Ele é um bom goleiro que vai entrar num momento difícil.’


Denis chegou ao São Paulo para o Paulista e teve seu primeiro e único teste na segunda rodada. Contra a Portuguesa, entrou para substituir Rogério, que saiu contundido, e foi bem na vitória por 2 a 0 no Canindé.


Seu retorno ao time titular agora sinaliza para outra realidade. Insatisfeita com o momento de instabilidade, a diretoria cobra reação imediata.


‘O São Paulo já viveu esse processo de começo de temporada. Acho que está na hora de superar isso. O clube é prejudicado, e os jogadores não são valorizados’, disse Leco, que elegeu a eliminação perante o Corinthians nas semifinais do Paulista como um dos fatores que contribuíram para a queda de rendimento da equipe.


O superintendente do clube, Marco Aurélio Cunha, vê o momento como de preocupação, mas se ampara na reação do São Paulo nas últimas temporadas. ‘O problema de perder é saber como perdeu. O time vem brigando, correndo. O São Paulo é o time que mais venceu nos últimos quatro anos.’’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Meirelles propõe série sobre Jean Charles


‘O badalado diretor de cinema Fernando Meirelles (‘Cidade de Deus’) propôs à Globo um programa sobre Jean Charles, o jovem brasileiro que foi morto pela polícia de Londres, em 2005, supostamente confundido com um terrorista.


Ainda não está certo se o programa será um seriado ou uma microssérie. O projeto foi apresentado à cúpula artística da Globo no início do mês. Sua produção ainda depende de aprovação da cúpula da emissora. Procurado pela Folha, Fernando Meirelles não quis falar sobre o assunto.


Na Globo, especula-se também que o projeto de Meirelles poderia ser uma microssérie derivada do filme ‘Jean Charles’, dirigido por Henrique Goldman, com Selton Mello no papel principal, a estrear nos cinemas em 26 de junho..


A O2, produtora de Fernando Meirelles, não se envolveu com o longa-metragem. Mas Meirelles já viu o filme, é amigo do diretor e participou de sua concepção. Inicialmente, o filme seria um especial para a TV britânica. Meirelles foi convidado a dirigi-lo, mas não pode aceitar e indicou Goldman.


A O2 tem contrato de coprodução com a Globo, e Meirelles está superprestigiado dentro da emissora. No ano passado, a produtora realizou a minissérie ‘Som e Fúria’, sobre uma companhia teatral shakespereana, que estreia em julho. O programa é uma das grandes apostas da Globo para este ano.


SILÊNCIO 1


Dos Estados Unidos, Daniela Beyrutti determinou a diretores do SBT total silêncio sobre a produção de dois comerciais estrelados pelo jogador Ronaldo, promovendo a emissora.


SILÊNCIO 2


A filha de Silvio Santos quer, assim, ‘esfriar os ânimos’ e esperar baixar a pressão da Globo sobre o atleta. Segundo a emissora, o contrato de Ronaldo com o banco Panamericano prevê a gravação de comerciais para empresas do Grupo Silvio Santos, entre elas o SBT.


HIP HOP


O Warner Channel comprou os direitos do reality show ‘Randy Jackson Present’s America’s Best Dance Crew’, que estreia em 8 de junho. O programa, da MTV americana, é uma competição de dança.


PAISAGEM


Diretor de núcleo responsável pela próxima novela das seis da Globo, ‘Pelo Avesso’, Ricardo Waddington viajou para o Peru e a Bolívia. Quer gravar no Salar de Uyuni, deserto de sal boliviano, cenas em que o protagonista da novela é abandonado por seu melhor amigo.


NOMES


O mocinho de ‘Pelo Avesso’ será Marcos Palmeira, e o melhor amigo, Carmo Dalla Vecchia, o Zé Bob de ‘A Favorita’.


FOFOCA


O ‘Mais Você’ de ontem ressuscitou a personagem Loura Maria, versão feminina do Louro José, que conta fofocas. A direção do programa fez o possível para deixar a boneca fora do ar. Mas a apresentadora Ana Maria Braga lembrou de sua existência e a fez voltar.’


 


 


Adriana Pavlova


Série exibe grupos contemporâneos


‘Atração rara na TV, a dança brasileira é tema de uma nova série a partir desta noite. ‘Dança Contemporânea’, que vai ao ar todas as quartas no SescTV, exibirá, a cada episódio, um espetáculo de companhias nacionais, sempre precedido por entrevistas com coreógrafos e bailarinos.


A Cia Borelli de Dança, de São Paulo, abre os trabalhos com o seu ‘Kafka in Off’, espetáculo de 2007, que é um remix de outras criações do grupo a partir da obra do escritor tcheco Franz Kafka.


São informações preciosas como esta, jogadas na introdução, que prometem fazer diferença neste programa, em que o diretor Antônio Carlos Rebesco, sabiamente, brinca com uma câmera esperta, bem próxima aos bailarinos.


No primeiro programa, exibido à meia-noite de hoje para amanhã, o espectador mergulha numa coreografia com viés teatral, apoiada em textos de Kafka, depois de conhecer as propostas estéticas do coreógrafo Sandro Borelli.


Na próxima semana, no mesmo horário, será a vez de uma obra histórica do Ballet Stagium, ‘Kuarup, ou A Questão do Índio’, remontagem recente do espetáculo de 1977, devidamente contextualizada em entrevistas com seus criadores, Décio Otero e Márika Gidali.


DANÇA CONTEMPORÂNEA


Quando: hoje, à meia-noite


Onde: SescTV


Classificação: 16 anos’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem