Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Morales nomeia jornalista como embaixador nos EUA

24/08/2006 na edição 395

O novo embaixador da Bolívia nos EUA, Gustavo Guzman, é um jornalista sem prévia experiência diplomática e com conhecimentos limitados de inglês, noticia Dan Keane [Associated Press, 23/8/06]. Por tais motivos, Guzman confessou ter ficado surpreso quando o presidente Evo Morales o convidou para assumir a posição delicada de representar o governo populista da Bolívia em Washington. ‘Eu disse: ‘Evo, meu amigo, faça-me o favor…’’, lembra ele. ‘E ele me respondeu: você já imaginou que eu tivesse a capacidade de ser presidente?’.


Guzman é apenas uma das indicações não-convencionais mais recentes de Morales, o primeiro presidente de origem indígena da Bolívia. Uma ex-empregada doméstica é ministra da Justiça. Uma fazendeira de coca feminista com pouca educação formal lidera a assembléia encarregada de reescrever a constituição.


Como editor da revista Pulso, a cobertura de Guzman da morte de 60 pessoas em outubro de 2003 durante protestos antigoverno iniciou um esforço para tirar do poder o então presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, que foi morar em Washington. Agora, Guzman irá pressionar por sua extradição. Autoridades americanas afirmam que isto, no entanto, será difícil de ocorrer, porque o ex-presidente está enfrentando um julgamento justo.


Pessoas mais experientes em Washington afirmam que Guzman terá dificuldades nos relacionamentos diplomáticos com os EUA. ‘O desafio de qualquer embaixador da Bolívia é realmente tentar e conseguir que a administração Bush aja de modo cordial em direção a um governo que ele não escolheu’, avaliou Mark Weisbrot, co-diretor do Centro de Políticas e Pesquisa Econômicas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem