Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > CASO SARNEY

Notícias de um vexame

Por Alberto Dines em 08/03/2010 na edição 579

A manchete da Folha de S.Paulo de domingo (7/3) – ‘Governo descobre conta de filho de Sarney no exterior’ – é arrasadora: os negócios do clã Sarney foram desta vez denunciados pelo jornal onde o seu cacique, José Sarney, é colaborador há anos.


A denúncia é concreta, factual, por isso arrasadora. Mas veio tarde: deveria ter sido publicada quando o poderoso grupo maranhense conseguiu amordaçar o Estado de S.Paulo pela via judicial há 220 dias.


A grande imprensa sabe solidarizar-se em cruzadas para defender os seus interesses corporativos imediatos, mas desperdiçou uma excelente oportunidade de se irmanar em defesa da liberdade de expressão quando Fernando Sarney, filho do senador, com a ajuda de magistrados ligados à família, impediu que o Estadão continuasse publicando os inquéritos da Polícia Federal.


Sinal de reversão


Há sete meses nossa imprensa convive com este vexame que macula a justiça brasileira mas também compromete a sua própria imagem, na medida que revela uma incapacidade para mobilizar-se em defesa da sociedade à qual, pela Constituição, deve servir.


Por que razão os demais veículos curvaram-se a uma decisão judicial sabidamente imprópria, impertinente, e concordaram em manter escondidos os fatos apurados pela Polícia Federal? Porventura, temiam uma possível retaliação do clã Sarney estendendo a censura a toda a imprensa? E se isso acontecesse, a repercussão e a indignação popular não seriam maiores e o judiciário ficaria mais desmoralizado?


A verdade é que a nova queda de braço entre os lobbies da mídia, governo e grupos militantes para ver quem organiza eventos mais ruidosos torna-se ainda mais inútil e deletéria diante da dimensão da ilegalidade que está sendo praticada ostensivamente pelos amigos de Sarney contra a liberdade de informar.


A manchete de domingo da Folha pode significar uma reversão drástica tanto nos rumos do inquérito como em nossos costumes.


O governador-prisioneiro José Roberto Arruda não deve ficar só, merece companhia.

Todos os comentários

  1. Comentou em 13/03/2010 Ney José Pereira

    Esse tal Sarney (suserano-mor deste país) não é colaborador da Folha!. É a tal Folha é quem ‘co.la.bo.ra’ com o tal Sarney!. Trata-se de uma ‘co.la.bo.ra.ção’ octaviática!. Do sábio papai para o sabido filhinho!.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem