Sexta-feira, 22 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO > CANDIDATOS “FICHA SUJA”

O dever de apurar

Por Alberto Dines em 08/08/2008 na edição 497



A imprensa está se omitindo da tarefa de esclarecer o que são candidatos com a ficha suja e por que seus registros deveriam ser impedidos.


Se a relação apresentada pelos magistrados, e rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal como impedimento a candidaturas, produz injustiças, os jornais deveriam esclarecer quem é quem nas listas eleitorais.


Os jornais de quinta-feira (7/8) estavam repletos de notícias e comentários sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal na véspera, de aceitar candidatos com a ‘ficha suja’ – isto é, que ainda não foram condenados ou ainda têm chance de recurso.


A decisão era esperada. Mas a expressão ‘ficha suja’ é preconceituosa e a mídia está abusando dela porque ela é sintética e simplificada. O público a entende, embora seja imprecisa e, por enquanto, injusta.


Se, pelo entendimento da suprema corte, o candidato ainda não-condenado é inocente e tem o direito de prosseguir na postulação, a mídia não deveria usar o termo genérico. Mas o que também chama a atenção no comportamento da mídia é que ela está praticamente de braços cruzados, incapaz de oferecer denúncias substantivas contra candidatos supostamente malfeitores.


Naipe de tambores


Se a mídia pretende ajudar a sociedade para evitar que prefeitos e vereadores moralmente desqualificados sejam eleitos em outubro, que ela cumpra, pelo menos parcialmente, o seu papel de investigadora ajudando a identificar aqueles sobre os quais pairam desconfianças.


A Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) já ofereceu uma base de dados com os suspeitos, agora é preciso saber se esses suspeitos são efetivamente suspeitos, submetê-los a um escrutínio, mantê-los sob pressão. Ao menos nos municípios onde há jornais e rádios independentes do poder político.


Transferir para o Ministério Público toda a responsabilidade de achar as fichas sujas equivale a converter a imprensa num naipe de tambores decorativos e, na melhor das hipóteses, apenas barulhentos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 11/08/2008 Ruy Acquaviva

    Estamos montando umescritório de venda de processos, para o caso de vingar o conceito de ‘ficha suja’ da AMB (endossado pela imprensa). Funciona da seguinte maneira: Estamos cadastrando laranjas em todo o País, para abrir processos contra políticos a mando de seus rivais, de modo a torná-los inelegíveis. Não importa o motivo do processo, sempre arranjaremos uma desculpa para abrí-lo. Podemos arrastar o processo por um bom tempo, podendo até acabar com a carreira do alvo (vítima). Mas se por milagre o processo andar e o alvo (vítima) for absolvido, tudo bem, pois o nosso cliente já terá conseguido se livrar do rival na eleição, já que é impossível que o processo vá a termo em tempo hábil para refazer a candidatura. Se for pela AMB, este é um negócio de muito futuro.

  2. Comentou em 08/08/2008 Camila Sarrico

    É Henrique infelizmente essa é a realidade desta profissão, para se ter um espaço na grande mídia é preciso abaixar a cabeça e divulgar somente o que interessa ao chefe, o que na maioria das vezes não condiz com a realidade. Mas ainda acredito que isso pode ser mudado.

  3. Comentou em 08/08/2008 Ramón Portal

    Não é só ‘pelo entendimento da suprema corte’, que ‘o candidato ainda não-condenado é inocente’, mas pelo fato em si de que quem ainda não foi condenado, continua inocente. Não há um interregno em que o cidadão é ‘mais ou menos’ inocente. Dines, ainda, critica o terno – calunioso – ‘ficha-suja’, contudo se utiliza da mesma expressão quando pugna pela atuação da imprensa como caça-suspeitos…

  4. Comentou em 17/09/2007 Luciany Carla Da Rós

    Estou estudando uma parte da Constituição Federal (Poder Legislativo) e tentei me aprofundar sobre o ‘Caso Renan Calheiros’. Tenho uma dúvida: quem assumiria o Senado Federal caso Renan tivesse caído?
    Desde já agradeço a atenção.
    Luciany Carla Da Rós

  5. Comentou em 16/11/2006 Gecira Di Fiori

    Até quando a imprensa vai omitir as verdadeiras causas da operação padrão dos operadores de vôo.
    dia primeiro fui obrigada a viajar e fiquei detida por mais de tres horas em congonhas, tempo suficiente para fazer uma enquete que consistia na seguinte pergunta: o(a) Sr(A) acha que o problema dos operadores de vôo é por causa do lula ou dos am,ericanos? a resposta foi unanime : é culpa do Lula.
    Por que ninguém relaciona com o acidente com o vôo da gol 1907, com a detenção dos americanos. A CNN no dia do acidente com o Legacy e o avião da gol logo noticiaram que a culpa era dos OPERADORES BRASILEIROS. será que não está havendo tensionamento envolvendo relações internacionais entre Brasil e os EUA.? Será que os americanos teriam alguma condescencencia se fossem brasileiros aprontando no espaço aéreo deles?? mais uma vez a imprensa nem sequer relaciona um fato com o outro, mais uma vez substimando a capacidade de raciocinio dos espectadorers, por que a imprensa não investiga? por que não querem relacionar um fato com outro?
    pelo menos que o observatório sempre atento a essas tentativas de manipulação das noticias toque nesse assunto.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem