Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 10 E 11/03

O Estado de S. Paulo

13/03/2007 na edição 424

MEMÓRIA / GERARDO MELLO MOURÃO
Rodrigo Morais

Aos 90 anos, morre Gerardo Mello Mourão

‘Escritor e poeta indicado ao Prêmio Nobel em 1979, o cearense Gerardo Mello Mourão morreu ontem, no Rio, aos 90 anos, de falência múltipla dos órgãos. Ele passou dois meses internado na Casa de Saúde São José, no Humaitá, zona sul da cidade.

Nascido na cidade de Ipueiras, Mourão foi integralista durante a juventude e esteve preso diversas vezes, por razões políticas, durante o Estado Novo (1937- 1945) e a ditadura militar iniciada em 1964.

Sua passagem mais longa pela cadeia durou quase seis anos, entre 1942 e 1948, período que aproveitou para escrever. Alguns de seus livros mais famosos são A Invenção do Mar, Os Peãs e O País dos Mourões. Reconhecido internacionalmente, foi amigo do poeta Pablo Neruda (1904-1973).

Viveu em alguns países da Europa e também no Chile, onde se dedicou à vida acadêmica, e China, de onde escreveu para a imprensa durante a década de 1980, sendo o primeiro correspondente brasileiro a se estabelecer naquele país.

Seu enterro será hoje, às 17 horas, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul.’



VENEZUELA
O Estado de S. Paulo

RCTV multada em US$ 700 mil pelo Fisco

‘A emissora RCTV terá de pagar multa de cerca de US$ 700 mil à Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela por não ter incluído valores de sua receita na declaração de imposto. A emissora, cuja concessão termina em maio e não será renovada pelo governo de Hugo Chávez, também enfrentará investigação de fraude fiscal.’



SAÚDE & PUBLICIDADE
O Estado de S. Paulo

Conselho pede fim de anúncio de remédios

‘O Conselho Nacional de Saúde (CNS) decidiu levar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao Congresso Nacional proposta de proibição da propaganda de remédios de venda livre, como analgésicos e xaropes, a exemplo do que ocorre com drogas que precisam de receita médica. O CNS é um órgão que assessora o Ministério da Saúde.’



INTERNET
O Estado de S. Paulo

Google e iG fecham parceria para e-mail

‘O Google firmou ontem ‘uma das parcerias mais abrangentes da sua história’, segundo o vice-presidente sênior, Omid Kordestani, com uma empresa brasileira. A companhia americana, que mantém o site de relacionamentos Orkut e o Youtube, de vídeos, vai fornecer sua plataforma de e-mail e PSP (home page personalizada) para os cerca de 8 milhões de usuários dos portais iG, iBest e BrTurbo no Brasil. É a primeira vez que o Google compartilha sua tecnologia dentro de outro portais.’



TELEVISÃO
Suzana Uchôa Itiberê

O tirano que ergueu a Grande Muralha

‘Em 1974, arqueólogos chineses descobriram mais de 8 mil figuras de soldados e cavalos feitos de terracota, em tamanho natural. O exército estava nas adjacências do mausoléu de Qin Shi Huangdi, o primeiro imperador da China, que o teria construído para protegê-lo de seus inimigos espirituais. Agora, as atenções se voltam para o sarcófago do líder. Coberta por toneladas de terra, a maior tumba não-aberta do mundo permanece inatingível, mas as lendas que envolvem sua construção e as novas descobertas científicas fundamentam a superprodução do canal pago Discovery Channel, O Primeiro Imperador, que vai ao ar no domingo, dia 11, às 20 horas. Filmado em alta definição, o documentário tem participação de Jeffrey Riegel, especialista em cultura chinesa da Universidade da Califórnia.

Em entrevista ao Estado, ele conta que na China é ilegal abrir um túmulo imperial, mesmo porque a tecnologia não pode garantir a conservação de seu conteúdo. ‘Mas hoje há muitas técnicas não intrusivas que nos têm fornecido uma noção muito nítida da estrutura e da disposição da pirâmide’, diz. A computação gráfica se encarrega de recriar o que seria o complexo funerário, que se estende por 18 quilômetros quadrados. Só a tumba tem o tamanho de um campo de futebol. Segundo a lenda, em seu interior haveria rios de mercúrio líquido, dispostos no que seria um mapa do império e, no meio do qual, repousaria o corpo do imperador. Ao lado de cientistas chineses, Riegel recolhe amostras de terra do núcleo da câmara mortuária, na tentativa de desvendar o segredo a partir do nível de mercúrio identificado.

O programa também faz uma reconstituição dramática da vida de Qin Shi. E sua trajetória é impressionante. Nascido em 260 a.C., ele era rei de um dos sete estados chineses, mas reuniu seu exército e partiu para a conquista dos outros seis. A fama de tirano e violento se espalhou, embora o professor norte-americano acredite que essa reputação foi exagerada por historiadores mais recentes, como uma forma de criticar seus próprios déspotas. Não digo que Qin não usou técnicas opressoras em suas batalhas, apenas que não excedeu o estilo de muitos outros líderes da Antiguidade e de inúmeros conquistadores contemporâneos nas Américas’, afirma.

Riegel o considera um visionário. Em menos de 40 anos, Qin Shi Huangdi unificou a China (cujo nome evoluiu de Qin ou Chin) e consolidou um império que durou mil anos a mais que o de Roma. Aboliu o feudalismo, padronizou a escrita chinesa – além de pesos e medidas – e implantou estradas. Mas o documentário ressalta que ele desmantelou a filosofia de Confúcio, ao condenar seus 460 mestres à fogueira, e instalou uma rígida filosofia oficial. O primeiro-ministro, Li Si, expandiu o estado totalitário e queimou bibliotecas inteiras de pergaminhos de bambu. O maior legado de Qin, no entanto, foi ter idealizado e iniciado a construção da Grande Muralha da China, o maior empreendimento de engenharia do mundo antigo. No auge, mais de 700 mil escravos trabalhavam para erguer a fortaleza, que hoje ultrapassa os 5 mil quilômetros de extensão.

Após sobreviver a diversas tentativas de assassinato, inclusive por familiares, Qin tornou-se obcecado pela imortalidade. Como proteção, nunca dormia na mesma cama. Embora não haja provas, o programa conta que alquimistas locais lhe receitaram pílulas de mercúrio para a longevidade. A ingestão da substância, hoje considerada tóxica, teria provocado desde problemas renais até paranóia. O imperador morreu insano, aos 50 anos. É a primeira vez que o governo chinês permite o acesso de uma equipe de filmagem ocidental ao local da tumba. Riegel comenta que esse protecionismo mudou de tal forma que hoje há, inclusive, espaço para estudantes norte-americanos e europeus nas escavações. ‘Eles têm orgulho de suas descobertas científicas e sabem que exibi-las em um documentário desse porte não só traz reconhecimento como pode gerar novos recursos’, conclui.’

Beatriz Coelho Silva

TVE faz debate televisionado

‘Uma nova série está em experiência na TV Educativa do Rio. Na última segunda-feira, o documentário Braindamadj’d (Cérebro Lesado) foi exibido para cineastas, universitários e terapeutas e o debate que se seguiu será exibido em abril, com o vídeo de uma hora de duração.

Braindamadj’d conta, aceleradamente, como seu diretor, o canadense Paul Nadler, recuperou-se das graves seqüelas físicas e mentais de um acidente sofrido em 1994. Até então, era um promissor profissional de televisão, ‘que acreditava que nada o atingia, que nunca ia morrer’, conforme disse Nadler no debate.

Em 2006, Nedler ganhou o Prêmio Japão, dado às emissoras públicas. As diretoras da TVE, Beth Carmona e Rosa Crescente, estavam lá porque a série As Novas Aventuras do Menino Maluquinho foi o melhor programa infantil e convidaram Nadler para vir ao Brasil. ‘A idéia é apresentar produções que façam as pessoas tomarem uma atitude’, explica Rosa, que tem em vista os documentários Falcão, de MV Bill, sobre traficantes, e Uma Verdade Inconveniente, do ex-vice-presidente americano, Al Gore, vencedor do Oscar. ‘Há uma produção nacional e estrangeira de qualidade e, felizmente, quem se dedica a este tipo de documentário não visa só ao lucro.’

Por isso, ela sonha alto. ‘É bem possível que Al Gore venha para a exibição de seu documentário, pois já nos cedeu trechos para exibição’, diz Rosa. No caso de Nadler, o resultado superou a expectativa. O debate durou quase duas horas (será editado para 60 minutos) e ele respondeu até a perguntas difíceis, sobre a sexualidade de um deficiente físico. ‘Ele foi muito acessível e o interesse do público foi além dos detalhes técnicos. Como piloto, deu tudo certo.’

Didi em marcha olímpica

Didi Wagner exibe sua boa forma na filmagem da nova temporada do programa Lugar (In)Comum, que estréia na quarta, no Multishow. O tema da gravação é Devagar se Vai ao longe, em que Didi aposta corrida com atletas de marcha olímpica no kartódromo de São Paulo.

Entre-linhas

Se depender dos esforços da produção de Eterna Magia, próxima novela das 6 da Globo, o sotaque carioca será camuflado. O elenco faz aulas de prosódia para incorporar o modo de falar da época em que se passa a trama, entre 1938 e 1946. Alguns atores também estão tendo aulas de gaélico – idioma de origem celta falado na Irlanda.

A ex-jogadora de vôlei Ana Moser estará hoje, às 21h, no Juca Entrevista, na ESPN.

Deve ser o calor. Ontem, Chico Pinheiro chamou o repórter Luciano Cherubini de Luciana no SPTV.’

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – 1

Folha de S. Paulo – 2

O Estado de S. Paulo – 1

O Estado de S. Paulo – 2

Direto da Redação

Veja

Comunique-se

Terra Magazine

Último Segundo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem