Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

O poder prostituído

Por Luciano Martins Costa em 07/04/2009 na edição 532

Os jornais continuam rastreando os sinais de abusos na distribuição de verbas e cargos no Poder Legislativo e as simulações de moralização anunciadas pelos chefes políticos da Câmara e do Senado Federal. Em vários estados a imprensa também flagra desmandos em Assembléias Legislativas e Câmaras Municipais, o que comprova que o assalto ao dinheiro público virou uma rotina em todo o País.


O que falta, então, para que alguma instituição finalmente comece a funcionar, estabelecendo um limite para os abusos?


Na edição de terça-feira (7/4), a Folha de S.Paulo conta que, na encenação de transparência com que o Senado reage às críticas de gastos com verba indenizatória, pelo menos onze senadores conseguem a proeza de apresentar recibos que alcançam exatamente o limite de R$ 15 mil, redondos, durante meses seguidos.


Coincidentemente, nas prestações de contas que esses parlamentares apresentam, os gastos com aluguel, combustível, consultoria e divulgação do mandato completam, centavo a centavo, o valor exato do limite mensal permitido.


Tamanha precisão merece uma investigação. Não é preciso ser muito esperto para desconfiar que os senadores ajustaram a contabilidade e depois foram buscar os comprovantes. Nenhum deles quer deixar um centavo sequer de fora dos seus próprios bolsos.


Vícios recorrentes


O Estado de S.Paulo deu uma olhada na folha de pagamentos da Assembléia Legislativa paulista e constatou que mais de 66% dos funcionários foram indicados por políticos, ou seja, para cada concursado, existem dois funcionários que foram indicados diretamente por deputados e contratados sem passar por qualquer processo seletivo.


Ainda na Assembléia Legislativa de São Paulo, o jornal constata a prática segundo a qual os deputados que já ocuparam cargos de presidente, primeiro e segundo secretários da Mesa diretora têm direito a gabinete especial, mais carro oficial, e assessores em cargos de confiança em dobro.


O Globo também segue monitorando o Poder Legislativo e revela que o processo contra Agaciel Maia, ex-diretor do Senado que caiu após acusações de desmandos, será julgado no Tribunal de Contas da União por um amigo do acusado, ou seja, pode-se adivinhar qual será o resultado de tal julgamento.


Além da sucessão interminável de denúncias, o que impressiona o observador é o fato de que nada muda. Ano após ano, o Poder Legislativo, em praticamente todas as suas instâncias, repete os vícios do coronelismo político que celebrizou personagens como Odorico Paraguassu. Mas, mesmo assim, não há uma linha nos jornais sobre a possibilidade, ainda que remota, de uma reforma política.


***


Acesso a informações


A conquista de maior transparência nas informações públicas é uma condição para o desenvolvimento do país. Sem um sistema de monitoramento dos gastos públicos, o combate à corrupção continua sendo uma ficção que apenas rende boas manchetes e aumenta o descrédito das instituições.


O Seminário Internacional sobre o Direito ao Acesso à Informação Pública, promovido pela Unesco nos dias 1º e 2 de abril, em Brasília, teve pouca cobertura da chamada grande imprensa. Segundo a Constituição, todo cidadão tem direito de acesso às informações produzidas pelo poder público, mas essas regras ainda esperam pela regulamentação há vinte anos.




Alberto Dines:


Lembram-se da denúncia sobre os abusos dos cartões corporativos? As informações estavam no site da Controladoria Geral da União, a imprensa descobriu, o escândalo apareceu. O acesso livre ao sistema de informações públicas vai ser estimulado, a ministra Dilma Rousseff prometeu enviar um projeto de lei até o fim do mês.


A oportunidade do anúncio não poderia ser melhor: a sessão de abertura do Seminário Internacional sobre o Direito de Acesso a Informações Públicas promovido pela Unesco e realizado na semana passada.


O Observatório da Imprensa na TV foi a Brasília para ouvir os participantes do seminário e conhecer algumas das inovações prometidas. Assista nesta terça-feira (7/4) na TV Brasil, às 22h40, em rede nacional. Em São Paulo, pelo canal 4 da Net e 181 da TVA.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem