Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

IMPRENSA EM QUESTãO > OI NO RÁDIO

O acidente da Gol
e o furo desprezado

Por Alberto Dines em 17/10/2007 na edição 455

Os jornais de ontem estavam fascinados com o novo modelo do Airbus, o A-380, considerado o maior avião comercial do mundo. Mas não mostraram o mesmo entusiasmo por uma notícia veiculada no dia anterior, segunda-feira, pela Folha de S.Paulo sobre o desastre do Boeing da Gol no ano passado.


A repórter Leila Suwwan revelou em primeira mão que a Força Aérea está tentando ocultar uma falha grave de comunicação entre o jato Legacy e o Cindacta-1.


A revelação é grave porque acrescenta mais um elemento na lista de responsáveis pela colisão: além dos pilotos americanos e além dos controladores, agora temos o governo diretamente implicado na tragédia.


A matéria da Folha é minuciosa: das quatro freqüências que os pilotos do Legacy poderiam ter usado, duas estavam indisponíveis e outra inoperante.


Significa que o então ministro da Defesa não dizia a verdade quando negou peremptoriamente qualquer falha de comunicação.


O que mais impressiona nesta história é a passividade da imprensa diante da revelação.


Não se trata apenas de insensibilidade da mídia diante dos desdobramentos da tragédia, mas da sua incapacidade de processar rapidamente as informações que ela própria veicula.

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/10/2007 Menjol Almeida

    Da minha parte não tenho a menor dúvida de que o Lula derrubou os dois aviões, o da Gol e o da TAM.

  2. Comentou em 17/10/2007 ubirajara sousa

    Meu Deus, saiu na imprensa é verdade? Que tipo de consciência crítica é essa? Como podem-se fazer afirmações tão sérias antes de uma apuração inquestionável? É triste que se vejam pessoas ditas cultas embarcarem nesse tipo de viagem. Arre égua!

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem