Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO > ANOS DE CHUMBO

O jornalista de 2008 não é mais o de 1968

Por Celso Lungaretti em 18/03/2008 na edição 477

A direita brasileira não se notabiliza por produzir quadros intelectualmente brilhantes (os Robertos Campos são raros!). Quem melhor a serve, defendendo o status quo com argumentos menos primários, costumam ser pessoas formadas pela esquerda que, em qualquer ponto da trajetória, passam a remar a favor da corrente.

Há uma legião de escribas produzindo textos convenientes para a direita e sendo recebida de braços abertos pelos sites e correntes de e-mails das viúvas da ditadura. Gente que começa dissecando o conformismo da opinião pública e acaba colocando seu talento a serviço de quem tudo faz para manter bovinizada a opinião pública.

Torçamos para que não seja esse o novo rumo de Elio Gaspari. Seria um triste epílogo para uma carreira que, garante-me o excelente articulista Laerte Braga, começou na órbita do PCB.

‘Não identificado’

‘Em 2008 remunera-se o terrorista de 1968’, publicado na Folha de S.Paulo de quarta-feira (12/3) é, seguramente, um dos escritos mais inoportunos e infelizes da carreira de Gaspari. Parece mais uma peça complementar da campanha da extrema-direita contra o programa de anistia do Ministério da Justiça do que uma análise do autor de A Ditadura Escancarada.

Contrapõe, utilizando uma narração piegas e folhetinesca no mau sentido, as trajetórias de um militante da Vanguarda Popular Revolucionária (Diógenes Carvalho Oliveira) e de um jovem piloto que perdeu a perna quando da explosão de um petardo diante do consulado estadunidense em São Paulo. Compara, de forma simplista e demagógica, os valores de reparações concedidas pela União a ambos.

Segundo ele, tal atentado teria sido cometido pela VPR e seus autores seriam Diógenes e os ‘arquitetos Sérgio Ferro e Rodrigo Lefèvre, além de Dulce Maia e uma pessoa que não foi identificada’. Esquece-se, entretanto, de citar as fontes que amparam sua convicção – lapso imperdoável num historiador!

A referência a ‘uma pessoa que não foi identificada’ denuncia, entretanto, a origem de sua suposição (até prova em contrário, não a considerarei uma informação): os inquéritos policiais-militares da ditadura. Se algum(ns) dos quatro apontados houvesse(m) admitido publicamente sua(s) culpa(s), não teria(m) por que ocultar o nome do quinto participante.

Entulho autoritário

O que são os IPMs do regime militar, do ponto-de-vista jurídico? Nada. Uma ignomínia que pertence à lata de lixo da História, já que tudo neles contido tem origem viciada: foram informações arrancadas mediante torturas as mais brutais, que várias vezes causaram a morte dos supliciados, como no caso de Vladimir Herzog.

E era muito comum os torturados simplesmente admitirem o que os torturadores pensavam ser verdade, ganhando, assim, uma pausa para respirar. Então, ao ler a versão dos algozes, eu sempre noto que, em cada ação da resistência, são relacionados muito mais autores do que os necessários para tal operação.

Para alguém que estava pendurado num pau-de-arara, recebendo choques insuportáveis, é desculpável que respondesse ‘sim’ quando os carrascos perguntavam se fulano ou sicrano participara de determinado assalto a banco. Fazíamos o humanamente possível para evitar a prisão e/ou morte dos companheiros, mas não estávamos nem aí para o enquadramento penal nos julgamentos de cartas marcadas da ditadura.

O Projeto Orvil, o chamado ‘livro negro da repressão’ (síntese do acervo ensangüentado dos IPMs), cita-me como um dos três juízes no julgamento de um militante caído em desgraça com a VPR; no entanto, além de não haver jamais julgado companheiro nenhum, nem mesmo tomei conhecimento da convocação desse tribunal, se é que ele realmente existiu.

Daí a impropriedade, a imoralidade e, até, a ilegalidade de se utilizar esse entulho autoritário como argumento contra quem quer que seja.

Revisão necessária

Gaspari parece colocar em planos diferentes as ações armadas cometidas pela resistência antes e depois da promulgação do AI-5, como se o país não estivesse sob ditadura.

O exercício do direito de resistência à tirania independe da intensidade da tirania. Não existe meia-virgem: ou era democracia ou era ditadura. O Brasil estava desde 1964 submetido ao arbítrio de usurpadores do poder que já haviam praticado um sem-número de barbaridades, como a humilhação, tortura e quase enforcamento, em público, do lendário Gregório Bezerra.

Então, todo aquele que, por resistir à tirania, foi preso e torturado como Diógenes, merece, sim, uma reparação, à luz do Direito das nações civilizadas e segundo as recomendações da ONU.

E, se tudo o que Gaspari supõe fosse provado, o justo seria o Estado indenizar Diógenes pelos direitos atingidos e condená-lo à prisão pelas matanças cometidas. As reparações da Comissão de Anistia não são prêmio de boa conduta, de forma que uma coisa não invalidaria a outra.

Esta possibilidade, infelizmente, inexiste por causa da Lei da Anistia de 1979, que, ao conceder um habeas-corpus preventivo para os verdugos, acabou inviabilizando também a apuração de excessos cometidos pelos resistentes. É urgente e necessária sua revisão, doa a quem doer.

Quanto à linha de raciocínio de Gaspari, se levada às últimas conseqüências, desembocará na conclusão de que assassinos podem ser torturados pelos agentes do Estado. Então, repito: torço sinceramente para que ele não esteja aderindo às tropas de elite do autoritarismo redivivo.

***

P.S.: Antes mesmo do que eu esperava, a Folha de S.Paulo foi obrigada a reconhecer a impropriedade de se utilizar o ‘entulho autoritário como argumento contra quem quer que seja’, publicando na edição de sábado (15/3) um ‘erramos’ no qual admite que, tanto na coluna do Elio Gaspari quanto no noticiário, acusara falsamente Dulce Maia de participação no atentado ao consulado dos EUA.

******

Jornalista e escritor

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/04/2011 Marcio Souza

    Fiquei assustado ao perceber que a pergunta que enviei ao programa ao vivo no dia 27/04/11 tinha sido trocada!

    Eu mandei o seguinte comentário:
    A função da TV não é a de ensinar, transmitir ‘religião’ as pessoas, devería sim ensinár-lhes a verdade sobre a fé e as origens verdadeiras de tudo.
    Mas oque apareceu no rodapé da TV com meu nome foi:
    ‘É melhor falar de Deus do que de futebol’ (!?)..
    que absurdo..

    Obrigado.

  2. Comentou em 11/11/2009 rodrigo france

    gostaria de saber se haverá reprise do programa q foi ao ar na tercá do apagao!

  3. Comentou em 29/03/2008 Marco Antônio Leite

    Não queira ser o último pingo d água no tubo inferior da torneira, pois nem todo comentário vem no seu pacote com conteúdo!

  4. Comentou em 27/03/2008 Roberto Silva

    Gozado que vcs. nunca tenham um passado para dar exemplo, somente teses com futuro, né? Quanto aos que vc. chama ‘fujões’, imagine a cena: ‘milhões’ (!?!) de pobres norte-americanos loucos para emigrar para o México ou para a ilha-prisão: Deve ser porquê a pobreza só é boa quando ter uma opinião for crime. Filas intermináveis nos consulados, travessias perigosas pela ilegalidade, tudo que o stablishment americano evita divulgar: truque barato para fazer parecer que os candidatos a emigrar são muitos. Transponha para a realidade e pluf! ocorre o contrário! Conheço poucos emigrantes que acertaram sua escolha, independente de ideologias. O diabo é que muitos dos que fracassaram só vêem os erros no(s) outro(s), nunca em si só. Percebeu a conseqüência da falta de responsabilização pelos próprios atos? Porquê nosso caso não dá certo? Sei lá! De fato, somos um péssimo exemplo para o mundo. Mas ainda nos resta a lógica: enquanto países como Coréia (do Sul, claro), Canadá, Espanha, Portugal, entre outros, há uns 20 anos atrás eram tão ou mais pobres que éramos evoluíram seus indicadores, conseguimos estagnar. Devem ter investido em educação, combatido a corrupção, enfim, fizeram inclusão (e não ruptura) social. Só não fizeram revoluções socialistas, que eu saiba. Ou ocorreu alguma? Estado-papaizão, onde o ‘maná’ é pouco (ou nada) mas é de todos, acabou meu caro.(continua)

  5. Comentou em 27/03/2008 Marco Antônio Leite

    Senhor Silva acabou seu repertório de palavras a favor do capitalismo? Abraços socialistas…

  6. Comentou em 26/03/2008 Marco Antônio Leite

    Camarada Roberto se assim poço chamá-lo, desculpa de direitista inconsciente é a quantidade de cadáveres que este ou aquele governo socialista fuzilou história contada por capitalistas inescrupulosos e para meter medo naqueles que pensam que comunista come criançinha. Socialista não come criançinha, mas o sistema ‘democrático’ mata milhares de crianças através de uma morte lenta e gradual, ou seja, por inanição. Vale informá-lo que nunca fui funcionário público, TST trata-se de uma profissão industrial. Esclareço também que nunca morei na vila São José, e digo mais não vejo demérito em morar em bairros pobres. Ademais, o que escrevo é diretamente no micro, pois não preciso escrever num caderno para depois transferir para a tela do computador. Infelizmente vossa senhoria não esta preocupado com os mais necessitados, mas em tentar participar do sistema neoliberal, o qual não lhe dá abertura para isso. Abraços socialistas livres de pessoas que não tem um discurso direitista convincente!

  7. Comentou em 25/03/2008 Marco Antônio Leite

    Houve um grande conchavo entre alguns países Europeus em conjunto com os Estados Unidos no sentido de implantar o neoliberalismo na face da terra. Os teóricos e os governantes da época venderam suas ideologias para a burguesia mundial, em função disso o que estamos presenciando são os milhões de seres humanos sem emprego, a pobreza aumentando em todo o mundo e o capitalismo troglodita fazendo o que bem querem dos trabalhadores deste planeta, pois não temos mais oposição para combater o grande mau chamado burguesia.

  8. Comentou em 25/03/2008 Marco Antônio Leite

    Houve um grande conchavo entre alguns países Europeus em conjunto com os Estados Unidos no sentido de implantar o neoliberalismo na face da terra. Os teóricos e os governantes da época venderam suas ideologias para a burguesia mundial, em função disso o que estamos presenciando são os milhões de seres humanos sem emprego, a pobreza aumentando em todo o mundo e o capitalismo troglodita fazendo o que bem querem dos trabalhadores deste planeta, pois não temos mais oposição para combater o grande mau chamado burguesia.

  9. Comentou em 21/03/2008 Marco Antônio Leite

    Camarada Bandarra se assim posso tratá-lo quanta insensatez. Sempre procurando denegrir o socialismo. Como um profundo conhecedor do capitalismo canibal, diga algo de bom que o sistema faz para a maioria de nossa população. O que vejo é somente exploração pela exploração, a qual o sistema tira o couro do trabalhador brasileiro. Abraços socialistas…

  10. Comentou em 20/03/2008 Roberto Silva

    Marco Antonio, sem surtos. Se 3 ou 4 comentários me tornam um plantonista, vc. deve ser o patrulheiro, mas isso é irrelevante, afinal de contas o espaço é para isso mesmo. Por experiência própria sei que não há nada de mais sagrado ou mais puro na pobreza ou na ignorância. Pela tua teoria, em 2 ou 3 gerações estaríamos morando em árvores, nos orgulhando do fato de todos serem ‘igualmente’ pobres. Claro que alguns desfrutariam de algumas benesses, mentores que seriam desta sociedade fictícia, né? Só faço duas perguntinhas básicas (retóricas, claro): 1-não há uma definição mais clara da tua opção ao capitalismo sem ser prolixo? ‘O contrário de tudo que está aí’ ou tergiversações semi-poéticas não dizem nada. George Orwell descreveu isso muito melhor. 2-Se isto (seja lá o que for) é tão bom, porquê ninguem conseguiu fazer funcionar mesmo? Quanto ao ‘nenê cabeção dos ovos’: na verdade a frase foi proferida pela esposa de um ‘dos ovos’ e erroneamente atribuída ao bigodudo. Sabe aquele precursor do Photoshop, usado para reescrever a história? Finalmente, um pouco de lógica cartesiana (nós engenheiros a usamos muito): na resposta ao Fabio sobre os balseiros, procurei respeitar tanto a geografia como a resistência física de qualquer pessoa normal. ‘Desenhando’: a distância entre Miami e Havana é de +/- 120 km, um bocado diferente de qualquer ponto do Brasil a qualquer das duas cidades.

  11. Comentou em 19/03/2008 João Sebastião Bar

    Caro Celso Lungaretti: interessante isso, “Torçamos para que não seja esse o novo rumo de Elio Gaspari. Seria um triste epílogo para uma carreira que,…”.
    Vou citar algumas ref. aqui, primeiramente no blog do Prof. Felipe de Alencastro sobre o jornalista citado de 10/01/08: Ditadura é Ditadura: ‘É a segunda vez que Elio Gaspari (6/1, pág. A10) escreve sobre a história de um irmão do marechal Castello Branco,…”, aqui: http://sequenciasparisienses.blogspot.com/2008/01/ditadura-ditadura.html
    Ele fez uma referencia pejorativa a Mangabeira Unger, dizendo que ele foi o único prof. de Harvard que viu a liderança do ex-aluno Barack Obama. No google achei esse artigo no NYT sobre Obama, de 6/02/90: First Black Elected to Head Harvard s Law Review.
    Isso mostra no mínimo a má fé do jornalista com relação ao prof. Mangabeira. No tempo em que trabalhava na VEJA, ele trabalhou com o Mino nos anos 60’s/70’s (acho que treinee) e nos anos 80’s estava na direção, após a primeira participação do Unger na Roda Viva-TVC, a revista disse dele: “Um lunático e louco”. Vinte anos depois a inteligentticia uspiano e tucana, nas palavras do cientista político, Bolívar Lamounier, soltou essa para o repórter do NYT, 2/02/08, ALEXEI BARRIONUEVO: Unger é muito messiânico para esse lugar). Meu caro, você está a gastar vela com …., isso cheira patético, comece a rezar, milagre, às vezez acontece. JSB

  12. Comentou em 19/03/2008 Marco Antônio Leite

    Não há balseiros porque o povo brasileiro não tem dinheiro nem para ir ao boteco da esquina tomar um pinguinha. Saudações socialistas…

  13. Comentou em 19/03/2008 Roberto Silva

    Marco Antonio, a pergunta foi simples. O tal QI elevado da turma ‘a la gauche’ não deveria ter dificuldades para responder né? Me mostre uma mísera alternativa e tenho certeza que todos a quererão. Caso contrário, vivamos com a que temos e tentemos fazê-lo da melhor forma possível. As únicas alternativas que conheci, ao buscar o ideal de igualdade social prometendo o éden na terra, só conseguiram empobrecer a todos que a abraçaram. E as vozes dissidentes viraram, como se diz mesmo?, ovos para omeletes.

  14. Comentou em 19/03/2008 Marco Antônio Leite

    Senhor Roberto Silva, lamento por ter uma visão definhada sobre este capitalismo excludente. Cuba esta liberando a compra de alguns produtos eletro-eletrônico, mas não seja alheado a ponto de não enxergar que no Brasil milhão de pessoas não tem acesso ao mais básico que um ser humano tem direito, ou seja, a famosa cesta básica. Esta ditadura travestida de democracia hipócrita marginaliza 90% dos trabalhadores brasileiros através de muito desemprego e salários aviltantes. Aqui também temos a ‘democracia’ do sim ou do sim senhor, não se iluda, pois estamos fora dessa festa, no máximo participamos de um churrasquinho de sardinha, regado a cachaça da pior espécie. Abraço socialista…

  15. Comentou em 19/03/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    É natural que os comentários contra ou a favor do regime, hoje, são próprios da ataraxia, da tranqüilidade inerentes à distância, ao tempo. Vivessem qualquer um desses que agora desancam os ‘revolucionários’ da época naquele momento, por inteligentes que são, acredito que se moveriam contra a ditadura. Como, ressalto, isso faz parte do passado, as cicatrizes já não permitem tanta truculência, contra ou a a favor. Creio que o melhor seria uma análise muito séria do que aconteceu, suas conseqüências e suas lições. Vivi uma parte daqueles tempos e não tenho orgulho algum do que se passou em nosso país, tanto por um lado como por outro. Brasileiros inimigos de morte uns dos outros é algo que eu não desejo, jamais. Luto pela vida e pela democracia.

  16. Comentou em 19/03/2008 Thomaz Magalhães

    O autor do artigo nega informações da matéria do Gaspari e dá outras tantas. O que me leva a sugerir, de novo, que o pessoal que exige dos militares informações sobre terroristas sumidos e fatos semelhantes, que volte sua investigação para os militantes dessa esquerda de chumbo. Pois fica a impressão que sabem mais que os militares e historiadores. Por que não se ajudam?

  17. Comentou em 19/03/2008 Antonio Alberto Ribas

    Esse senhor Lungaretti pode afirmar o que quiser sobre jornalismo, mas precisa informar ao público do OI que gastou um livro para justificar a sua ânsia pela aposentadoria especial.

  18. Comentou em 18/03/2008 Marco Antônio Leite

    Nos anos sessenta a ditadura vestia farda e preferia o cheiro do cavalo ao do povo. Em 2008 a ditadura veste terno e gravata e prefere o cheiro do sistema neoliberal, ao mau cheiro do povo. O inconsciente politicamente acredita que o capitalismo é o remédio para todos os males do conjunto da classe trabalhadora, esse medicamente não cura nem mesmo uma pequena chaga no tecido social do proletariado. Senhores não se iludam com a festa em andamento, para nós sobrarão somente às migalhas que caem da farta mesa da escol dominante, pobre tem apenas o direito de comer seu próprio desgosto (não mistura com tira gosto) com o sistema capitalista troglodita.

  19. Comentou em 18/03/2008 marco aurélio fontes

    … Desculpe os neoDIREITAS ou como queiram os chamar, Trotskistas e ex-trotskistas, são extremista e os conservadores tbm, porsupuesto são bem iguais, só que um defende a elite e o outro quer defender o povo oprimido sem saber na real o que isso é, trotskistas são geralmente pequenos-burgueses revoltados com o mundo e ir pra direita é só questão de tempo…
    desculpe a sinceridade

  20. Comentou em 18/03/2008 Pedro Meira

    Não é só no Brasil que a esquerda fornece quadros intelectuais à direita. Nos EUA, quase todos os expoentes do pensamento ‘neoconservador’ são de origem trotskista.

  21. Comentou em 01/11/2006 america barbosa

    Outro dia fui á PF que antigamente depois da entrega do IR mandava um histórico sobre ele para sua casa. Há 4 anos faço isso em novembro ouloutubro e peço para me entregarem um papael dizendo que está tudo ok. Tve que mostrar CPF e RG e ainda reclamaram que a minha assinatura não estava igual ao RG que é de 18 anos atrás. Hoje fui ao banco pagar o condominio e pegar 50 Reais. Pedi ao caixa e ela quiz o RG para confirmar que eu era eu mesma. Com essas 2 situações que antes não havia gostaria que comentassem o assunto:
    Lá em cima podem roubar à vontade e quem paga o pato é quem está aqui em baixo.!!!!!!! Qualquer dia voce vai ter que provar que não é um fantasma. Onde vamos chegar. Isto tudo agora depois de julho e o ano que vem como será? Obrigado

  22. Comentou em 24/08/2005 Paulo Guimaraes

    Colega listeiro da Lista GLS na Yahoo
    escreveu o seguinte, o que vem bem a calhar
    haja vista a situação atual em que vivemos
    no nosso país:
    -Colegas , a AGLT já se manifestou pela criação da CPI do mensalão da Grande Imprensa e contra a Transfobia da Veja.Esperamos uma reação da Antra e da Vice trans da ABGLT.
    A ATMS participou de uma concorrencia de projetos e foi vencedora. Diferente da Veja que mensalmente cobra o seu mensalão para divulgação de propaganda de Governo sem nenhuma concorrencia pública.
    Enquanto o Ministério da Cultura tem menos de um por cento do orçamento nacional, a grande imprensa, com o mensalão fica com mais de um por cento. É Justo?
    É preciso solicitar aos deputados e senadores que montem uma CPI para investigar os ganhos da grande imprensa com recursos públicos, são milhõees indo pro ralo mensalmente da Folha, isto é , Veja e companhia. É Preciso investigar. Por que não nã se faz concorrencia para porpaganda em grande imprensa no Brasil? Quanto era o cala boca pago mensalmente para a Grande Imprensa no Governo FHC? Por que as agencias de Duda Mendonça, Marc os Valério Participaram de concorrencia e estão na CPI e a grande imprensa que recebe mensalão mensal dos governos , além de isenção de impostos na aquisição de papéis não é investigada?

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem