Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Primeira condenação de jornalista em quatro anos

16/08/2007 na edição 446

Tribunal em Casablanca, no Marrocos, sentenciou o jornalista Mustapha Hormat Allah a oito meses de prisão; seu chefe, o diretor do semanário Al Watan Al An Abderrahim Ariri, recebeu pena suspensa de seis meses. Os dois, acusados de publicar documentos militares confidenciais, também foram multados em US$ 120.


No início de agosto, um tribunal militar condenou o capitão Mohammed Maaji a cinco anos de prisão por violar segredos militares e ameaçar a segurança do Estado ao repassar os documentos aos jornalistas. Outros sete militares também receberam condenações de seis meses a dois anos de prisão.


A ação diz respeito a um artigo intitulado ‘Relatórios secretos por trás do estado de alerta no Marrocos’, publicado em 14/7. A reportagem falava era baseada em um documento secreto sobre operações do grupo terrorista al-Qaeda, que planejaria ataques no Marrocos e em outros países do Norte da África.


Ameaça


‘Nós ficamos chocados com o veredicto’, afirmou Ariri, que considerou ‘injusta’ a decisão do tribunal. ‘Vamos nos reunir com nossos advogados e com organizações que nos defendem para decidir o que fazer’. O secretário-geral do sindicato de imprensa do Marrocos, Younes Moujahid, classificou o veredicto de ‘inaceitável’.


Esta é a primeira sentença de prisão recebida por um jornalista no país nos últimos quatro anos. ‘É uma ameaça a todos os jornalistas, cujo trabalho é justamente publicar notícias e documentos’, afirmou Moujahid. O presidente da associação de editores, Abdelmounauim Dilami, também se opôs à punição, que, segundo ele, ‘priva um jornalista da liberdade de fazer seu trabalho’. Informações da AFP [15/8/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem