Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1024
Menu

IMPRENSA EM QUESTãO >

Senado afunda sozinho

Por Alberto Dines em 29/06/2007 na edição 439

‘O Brasil precisa de instituições que não se abalem com manchetes de jornais’, disse o presidente Lula ao reconduzir Antonio Fernando de Souza ao cargo de procurador-geral da República, na quinta-feira (28/6).


Não se sabe se o presidente considera nossa imprensa muito forte ou nossas instituições demasiadamente frágeis. Ou os dois. Mas a decadente República francesa conseguiu resistir em 1898, há mais de um século, à mais famosa manchete de todos os tempos – o célebre ‘J’Accuse’, do escritor Emile Zola, denunciando a tremenda injustiça contra o capitão Dreyfus.


O Senado da República deteriora-se não por causa das denúncias de Mônica Veloso, a ‘musa dos escândalos’, ou por causa da reportagem investigativa do Jornal Nacional revelando os estranhos negócios pecuários do senador Renan Calheiros.


A imprensa apenas relata as manobras do governo e do seu principal aliado, o PMDB, para manter Renan Calheiros na presidência do Senado.


A mais alta instituição legislativa do país não precisa de qualquer crítica, desmoraliza-se sozinha. Imola-se sem carrascos. Por livre e espontânea vontade.


***


A cebola de Renan, Roriz, Leomar…


A metáfora da cebola cabe para a situação atual do Senado: após cada camada de encrencados, como Renan Calheiros e Joaquim Roriz, surge nova camada. Agora, constata-se que o novo presidente do Conselho de Ética, Leomar Quintanilha, é investigado no Supremo Tribunal Federal sob a acusação de receber propinas em troca de emendas ao Orçamento da União. (Mauro Malin)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem