Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

IMPRENSA EM QUESTãO > BELARUS

Sítios protestam contra nova lei de mídia

25/06/2008 na edição 491

Sítios de notícias bielorussos estamparam tarjas negras em suas páginas, na quarta-feira (25/6), em protesto a uma nova lei de mídia que deverá restringir a atuação da internet – última fonte de informações não censuradas na repressora ex-nação soviética. A legislação, aprovada na câmara baixa do parlamento na terça-feira (24/6), é a primeira a atuar sobre o funcionamento de sítios de internet, que passam a responder ao mesmo controle sofrido por emissoras de rádio e TV e jornais. A medida também proíbe que veículos de mídia local obtenham financiamento estrangeiro, vital para o seu funcionamento, e os obriga a manter um registro junto ao governo.


Muitos jornais fechados nos últimos anos encontraram refúgio na rede, que tornou-se o lugar final para os bielorussos terem acesso a notícias e análises independentes. ‘A ameaça de fechamento dos sítios de notícias e fontes de informação independentes na internet é mais real do que nunca’, afirma Zhanna Litvina, presidente da Associação Bielorussa de Jornalistas. Para Mikhail Pastukhu, advogado da Associação, o governo tenta a aprovação da lei o mais rápido possível para evitar debate público e críticas. Ela ainda precisa ser aprovada pela câmara alta e assinada pelo presidente para entrar em vigor.


A Repórteres Sem Fronteiras classificou a lei de ‘repressiva’ e afirmou se tratar de um ‘ataque à independência da mídia’. ‘Até agora, a internet era um dos poucos lugares onde os bielorussos podiam se expressar livremente. Nós tememos que a censura seja instalada’, afirmou a organização com sede em Paris. Informações da AP [25/6/08] e da Repórteres Sem Fronteiras [25/6/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem