Sábado, 21 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

INFORMAçãO > A maior parte dos recursos na região sudeste

Mais de R$ 2,8 milhões em prêmios de jornalismo

Por Gustavo Panacioni em 02/10/2017 na edição 960

2,8 milhões de reais. Essa é a soma dos valores recebidos por profissionais e estudantes que ganharam algum tipo de prêmio de jornalismo no ano de 2016. O levantamento, que totaliza exatos R$ 2.806.967,91, está no Relatório Anual de Prêmios de Jornalismo para Jornalistas Brasileiros que publicamos há algumas semanas pelo premiosdejornalismo.com.

O valor milionário confirma o quão grande e expressivo é o segmento de prêmios de jornalismo no Brasil. Apesar de não serem todas as premiações que distribuem valores em dinheiro, consideramos que o dado compilado pelo relatório revela características interessantes sobre o perfil dos prêmios de jornalismo destinados para jornalistas brasileiros.

A primeira consideração é sobre a quantia que alguns valores distribuem como forma de reconhecimento do trabalho dos jornalistas. São os mais variados, abrangendo valores que vão de R$ 500 a R$ 10.000,00. Esses, aliás, são a maioria.

A minoria, porém, não é menos importante. É nela em que encontramos quantias consideráveis para qualquer profissional da área. Existem premiações em dinheiro, para apenas um profissional, que atingem marcas de 20, 30 ou 45 mil reais. O maior valor registrado para uma premiação é de R$ 75 mil.

Outra leitura possível a partir dos prêmios em dinheiro distribuídos ao longo de 2016 é feita a partir do mapeamento dessas premiações. Qual é a região brasileira que mais levou prêmios?

Em primeiro lugar, com quase 50% dos 2,8 milhões, está a região Sudeste. Os profissionais de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais faturaram R$ 1.356.450,00 – quantia que chega perto do que as outras quatro regiões receberam juntas. A liderança, claro, fica com São Paulo e Rio de Janeiro.

Em seguida encontram-se as regiões Sul, com R$ 601.117,91 (21%), Nordeste, com R$ 421.400,00 (15%) e Norte, com R$ 216.000,00 (7,7%). Os profissionais da região Centro-Oeste foram os que menos receberam prêmios em dinheiro na última safra de prêmios de jornalismo, totalizando R$ 212.000,00 (7,6%).

O cenário mapeado pelo Relatório Anual de Prêmios de Jornalismo para Jornalistas Brasileiros é crucial para entender a força e influência que o mercado jornalístico das regiões Sudeste e Sul têm para o Brasil.

Sim. São inúmeras as interpretações que podem ser feitas a partir dessa constatação, mas o que ressalto disso tudo que apresentei até aqui é que, independentemente dos valores e das regiões contempladas, as premiações em dinheiro distribuídas pelos prêmios de jornalismo podem ser de fundamental importância para o crescente mercado de freelancers, autônomos e iniciativas independentes.

Não só isso. É uma ajuda válida para qualquer profissional ou estudante que esteja procurando uma forma de manter o bom jornalismo de pé.

**

Gustavo Panacioni é jornalista e um dos fundadores do site premiosdejornalismo.com

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem