As maravilhas do rádio | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1001
Menu

INTERESSE PúBLICO > MÍDIA RADIOFÔNICA

As maravilhas do rádio

Por Francisco Djacyr S. de Souza em 24/11/2009 na edição 565

O rádio, este instrumento simples e que tanto tem feito pelo nosso povo, merece de todos nós respeito, consideração e enaltecimento pelo tempo que tem povoado na comunicação e por todo processo de geração de cidadania que hoje faz parte de suas emissões. Temos que reconhecer os problemas do rádio no momento, mas temos também que acreditar que a mudança virá para o bem da comunicação e de todos os indivíduos.

Os usuários do rádio sabem sua importância e devem urgentemente divulgar toda a situação boa que o rádio proporciona a quem o ouve e aos que podem participar das programações com recados, idéias, alentos e vários aspectos que esta caixinha maravilhosa e mágica proporciona a todos que têm a oportunidade de ouvir e participar dos programas.

Os personagens do meio rádio devem ser reconhecidos e valorizados, pois cada indivíduo que faz o rádio tem uma importância vital na comunicação e no seio da sociedade. Os locutores, com sua comunicação segura, verdadeira e ética, têm muita importância neste meio de comunicação, pois dão a todos nós oportunidades de conhecimento, de questionamento da vida e passam a todos mensagens de paz, cidadania e verdade. Os operadores de áudio têm sempre participação vital no rádio, pois dão a todos nós a música, as vinhetas, a geração do conhecimento e são a alma deste instrumento comunicativo. Os programadores são a cabeça pensante do rádio, pois verificam plenamente qual o melhor tipo de programação e qual o tipo de segmento a que o rádio interessa neste momento.

Mudança de hábitos

Não podemos esquecer dos operadores de transmissores, que trabalham em risco de saúde para assegurar a transmissão limpa e cristalina para todos nós. No rádio, temos também repórteres que trazem até nós a informação segura e verdadeira e o conhecimento que precisamos. Claro que devemos sempre enaltecer os personagens do rádio e sempre entender os problemas que passam para darem a todos nós a comunicação que queremos e que nos faz bem.

O rádio é um instrumento de comunicação de facilidade de acesso e de versatilidade que para nós sempre vai vivificar o papel sempre simples de comunicar e dar alegria às pessoas de todos as classes e segmentos de idade, posição social e raça. É preciso investir no rádio-cidadão e dar a ele condições de se modernizar tanto em termos de comunicação quanto em tipo de atividade que envolverá a todas as pessoas.

Questionar o modelo de rádio que temos é uma atitude de respeito e valorização do meio, pois precisamos ser conscientes da importância da comunicação ética, verdadeira e que respeite valores e condições da sociedade. Hoje em dia muitos setores da mídia ainda desprezam o rádio, pois ainda não compreenderam sua importância e sua penetração na vida de nosso povo. A mudança de hábitos em relação ao rádio é urgente para o bem da comunicação e do próprio povo.

Democratizar o acesso

Rádio é cidadania, é respeito ao cidadão, é mensagem de vida, é verdade, é sinceridade. Quantas pessoas não conseguiram o emprego que tanto queriam através do rádio? Quantos indivíduos não obtiveram respostas aos problemas de sua comunidade através do rádio? Quantos não tiveram alento em suas dores através das mensagens edificantes de um programa de rádio?

Os usuários da comunicação (ouvintes de rádio) precisam acreditar mais no poder de organização dos consumidores para exigir programações de qualidade tanto nos aspectos da emissão quanto na mensagem passada. O rádio tem importância e precisa falar com certeza e decisão a linguagem do ouvinte que deve buscar um processo organizativo mais forte para entender o que se passa no rádio e tentar no processo de luta e coesão melhorar o meio para o bem de toda sociedade.

Os que detêm as concessões de rádio precisam democratizar o acesso dos consumidores de rádio criando condições para que os mesmos opinem sobre as programações e possam dizer o tipo de comunicação que querem e merecem. O rádio tem maravilhas que devem ser enaltecidas, mas tem problemas que tem de ser questionados e buscados no processo pleno de geração de uma comunicação boa para todos e que gere um mundo melhor e mais justo.

******

Vice-presidente da Associação de Ouvintes de Rádio do Ceará, Fortaleza, CE

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem