Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

INTERESSE PúBLICO > CASO RENAN

As teles e a estratégia da barganha

Por Daniel Florêncio em 21/08/2007 na edição 447

Renan Calheiros contra-ataca. Apanhando como vem, de praticamente todos os órgãos de mídia nacionais, já há um bom tempo, surpreendente é o fato de ainda estar lá, firme e forte, sem largar o osso. Mas afinal, um osso grande como a presidência do Senado não é assim de se largar fácil. Não importa o quão contra você, a opinião pública e a imprensa estejam…

Mas Renan, político hábil que é, encontrou uma forma de retaliar, ao questionar a legalidade da parceria entre a Telefonica e a TVA para o fornecimento do pacote internet + TV a cabo + telefone fixo por um preço módico. Ao questionar a legalidade e articular seu grupo no Senado para criação de uma ‘CPI da TVA’, Renan quer atingir o grupo Abril, publisher da revista Veja, uma das mais cruéis com Renan.

Para entender a estratégia de Renan, deve-se entender a batalha que vem sendo travada pelas teles para entrar no jogo de distribuição de conteúdo televisivo. Em resumo, a tecnologia para distribuição de sinal televisivo existe, porém não existe legislação para tal. O que vem acontecendo é que o lobby do grupo ligado à Globo no Congresso vem dificultando e segurando a criação dessa legislação, tentando impor condições legais que tornem a entrada das teles no mercado mais difícil. E a Globo faz isso por vários motivos, entre eles, o inevitável share de mercado que perderão para as teles e, conseqüentemente, o share de influência que deixarão de exercer no coração e mentes dos brasileiros.

A ‘CPI da TVA’

Bom, apenas recentemente, no congresso da ABTA (Associação Brasileira de TV a cabo), é que a Anatel anunciou que ‘estamos criando um grupo para desenvolver legislação para regularizar o setor’. Mas mesmo diante do inevitável, antes de o setor ser regularizado, em uma manobra jurídica o primeiro passo já foi dado. A Telefonica já se associou à TVA e já vem oferecendo serviço de TV por assinatura. Renan argumenta dizendo que a operação é ilegal…

A estratégia de Renan é poder barganhar com a Abril uma improvável ‘CPI da TVA’ por uma cobertura mais suave dos escândalos na revista Veja. Mas será que pára por aí a estratégia de Renan? Não… Ele vai mais longe… Pois se a Globo não quer que as teles entrem no mercado de conteúdo, pelos motivos explicitados acima, Renan, ao atacar a parceria que possibilitou a entrada da primeira tele no mercado de televisão, acaba por agradar à Globo, que tem interesse em travar e dificultar esse processo…

Assim, Renan poderia também, barganhar com a Globo uma cobertura mais suave no Jornal Nacional e no Globo? Observemos…

******

Documentarista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem