Quarta-feira, 20 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

INTERESSE PúBLICO > MERCADO EDITORIAL

Cai a venda de revistas nos EUA

15/08/2008 na edição 498


A venda de revistas em bancas e lojas caiu 6,3% nos EUA na primeira metade de 2008, segundo pesquisa da Harrington Associates. Atribui-se a queda ao aumento no preço do gás e de alimentos, o que levou consumidores a conter gastos com itens supérfluos.


A maioria das campeãs de venda – como Cosmopolitan e O, The Oprah Magazine – teve queda acentuada. Das 10 revistas mais vendidas, só a People e a In Style tiveram resultado positivo.


Editoras têm redobrado esforços para aumentar o número de assinantes porque sabem que, durante crises econômicas, as vendas em bancas tendem a cair. Apesar de vendas nas ruas serem bem mais lucrativas do que por assinatura, editoras precisam garantir estabilidade na circulação para manter as taxas de publicidade.


‘É fácil manipular o número de assinaturas porque as editoras podem vender abaixo do custo de produção só para manter a mesma base de leitores’, afirmou John Harrington, analista da Harrington Associates. ‘O crescimento, no entanto, pode não significar assinantes de alta qualidade que irão renovar [suas assinaturas].’


Segundo reportagem de Jeremy Herron [AP, 11/8/08], a circulação geral das revistas, incluindo assinaturas e vendas em bancas e lojas, permanece a mesma.


Tal como jornais, as revistas têm sofrido com a queda das receitas publicitárias. O principal motivo é a migração dos leitores para a busca de informações na internet. No segundo trimestre de 2008, segundo a Publishers Information Bureau, o número de páginas de publicidade em revistas caiu 8,2%.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem