Terça-feira, 19 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

INTERESSE PúBLICO > NO AR

Canais internacionais de notícias proliferam no mercado

14/11/2006 na edição 407

A CNN que se cuide. Após alguns adiamentos, espera-se para este mês o lançamento do canal al-Jazira International, versão em inglês da rede em língua árabe al-Jazira. Com 10 anos de existência, a rede, com sede no Catar, possui 50 milhões de telespectadores, a maioria deles no Mundo Árabe. A versão internacional espera ter uma audiência semelhante entre os muçulmanos que não falam árabe e também entre aqueles que querem ter acesso a notícias sob uma perspectiva não-Ocidental. Muitos dos correspondentes que trabalharão no novo canal são ex-repórteres de emissoras do Ocidente.

A al-Jazira International, entretanto, não é o único projeto jornalístico que entra no mercado para competir com os grandes canais de notícias. No caminho inverso da emissora do Catar, a britânica BBC já anunciou o lançamento, ainda em 2007, de seu canal em língua árabe.

Desafios

As novas emissoras entram no mercado com fôlego total, mas já sabem que terão desafios à frente. Se a CNN, primeira do gênero, foi lucrativa por muitos anos, hoje são poucos os canais de notícias 24 horas que conseguem uma boa situação financeira.

O BBC World, braço internacional (e comercial) de notícias da BBC, lançado há 10 anos, diz ter audiência semanal de 65 milhões de telespectadores e crescimento anual de 20% em lucros publicitários desde 2001. Mesmo assim, afirma que, até o final da década, ainda não terá atingido o ponto de equilíbrio, quando receitas e despesas se igualam.

Orgulho ferido

Mas o lucro parece não ser a principal motivação para os canais internacionais de notícias. Orgulho ferido e o desejo de promover uma perspectiva única das notícias mundiais podem ser o suficiente para se lançar uma emissora.

O France 24, com lançamento previsto para dezembro, é o resultado de um sonho antigo do presidente francês, Jacques Chirac, para concorrer com as redes anglo-saxônicas – que, na opinião dele, dominam a cobertura noticiosa global. Ironicamente, para atingir uma audiência considerável, grande parte do conteúdo do France 24 será em inglês. O canal receberá cerca de US$ 100 milhões por ano, divididos entre o governo francês, o canal comercial TF1 e a empresa estatal France Televisions. Para aumentar seu alcance – e seu público –, há planos de o France 24 lançar uma versão em árabe no próximo ano. Informações da Economist [1/11/06].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem