Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

INTERESSE PúBLICO > MÍDIA RADIOFÔNICA

Defesa do rádio, uma meta da sociedade

Por Francisco Djacyr Silva de Souza em 02/02/2010 na edição 575

‘E se um dia o rádio acabasse?

A lista de conseqüências poderia começar assim: não teríamos outro veículo de comunicação tão próximo para nos ajudar; não conseguiríamos informação tão rápida; não conseguiríamos informação tão fácil; não teríamos outro meio para comunicar com as comunidades mais distantes; teríamos dificuldades para nos manter informados no caso da falta de luz’ (Watson Zucco Weber, em 15/01/10, publicado originalmente no site www.carosouvintes.org.br).

Defender o rádio é uma meta vital para a sociedade, pois sabemos que pela sua comunicação versátil, pelo seu processo de proximidade com o público e por ser uma comunicação fácil torna-se cada vez mais imperiosa a sua defesa por todos os segmentos da sociedade atual. É importante que a luta pelo rádio cidadão e de qualidade se intensifique e que todos os membros da sociedade direta ou indiretamente envolvidos procurem lutar pela viabilidade do rádio, por seu crescimento, por sua modernização e pelo fim de mensagens deturpadas, discriminatórias e a serviço da dominação. O rádio tem um poder inestimável de fazer a sociedade crescer, tem a missão vital de dar comunicação a todas as pessoas independentemente de classe social, credo, cor ou preferência religiosa.

A garantia de dias melhores

Para alcançar os propósitos de um rádio sério e cidadão, é preciso que haja união entre seus personagens e seus usuários (ouvintes) organizando fóruns, debates ou atividades que dêem oportunidade de discutir, debater e propor melhorias para o crescimento deste meio de comunicação que provou historicamente sua importância e ainda hoje é o meio mais presente na casa de todos os brasileiros e está no cotidiano das famílias dos trabalhadores em todos os lugares. Ouvir rádio é sempre um prazer que rompe as fronteiras dos outros meios de comunicação pelo fato de sua comunicação ser sempre direta e mais fácil de chegar às pessoas. Televisão requer energia elétrica, computadores exigem rede acessível na internet; o velho amigo rádio precisa apenas de um simples carrego de pilhas e pode ser levado a todos os lugares onde vamos.

A luta por um rádio melhor deve ser de todos os membros de nossa sociedade, pois um bom rádio fortalece a democracia, educa as pessoas e faz com que o poder público possa garantir demandas populares. Todos ouvem rádio em todos os lugares. Por isso é cada vez mais importante verificar a segmentação do público e conquistar adeptos mais fortes para sua melhoria e desenvolver uma luta contra a monopolização deste meio pelos grupos políticos e religiosos, pois como todos sabemos, o rádio, como concessão pública, deve atender os interesses do público com programação plural que dê a todos a oportunidade de conhecer, desfrutar das notícias e ter sempre senso crítico para entender o teor das mensagens que vêm até aos ouvintes.

É preciso exercitar um forte exercício de cidadania para o rádio crescer e ser cada vez mais adequado aos interesses populares num sentido pleno da comunicação que tenha como ponto de partida a oportunidade de todos poderem estar afinados com o processo de garantia de dias melhores para todos os cidadãos. O rádio, por ser uma comunicação de fácil acesso, tem contribuições fortes para uma sociedade melhor e mais justa.

Uma comunicação valorosa para todos

O rádio precisa de união para encontrar soluções para os problemas hoje vividos fazendo com que todos, em colaboração, possam achar alternativas para seu crescimento e melhoria, tanto em mensagem quanto em qualidade. Não podemos desprezar a importância que o rádio, que sempre a teve e por isso mesmo devemos unir todos que fazem a sociedade para debater os rumos atuais do rádio e verificar se as mudanças hoje em vigor são positivas ou negativas para este meio de comunicação. O processo de crescimento do rádio é um bem para toda a sociedade, pois o rádio está sempre presente na vida das pessoas direta ou indiretamente.

A hora da união pelo rádio é agora. Temos que buscar um processo de união de todos os setores envolvidos para, em primeiro lugar, resgatar a história deste meio de comunicação, e depois verificar quais os problemas da atualidade, buscando formas alternativas de crescimento, melhoria e adequação ao processo de pluralidade cultural tão comum na sociedade brasileira.

A luta pelo rádio melhor não deve ser solitária de idealistas e sonhadores, mas uma visão concreta de quem quer o bem do povo e luta por um mundo melhor com uma comunicação que seja plena e valorosa para todos.

******

Vice-presidente da Associação de Ouvintes de Rádio do Ceará, Fortaleza, CE

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem