Sexta-feira, 22 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

ENTRE ASPAS > SEXTA-FEIRA, 8/8

Google transfere controle
do Orkut para o Brasil

Por Luiz Antonio Magalhães (seleção de textos) em 08/08/2008 na edição 497


Leia abaixo a seleção de sexta-feira para a seção Entre Aspas.


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 8 de agosto de 2008


INTERNET
Folha de S. Paulo


Matriz transfere controle do Orkut para Google Brasil


‘O Google anunciou que vai transferir o controle do Orkut de sua equipe na Califórnia (EUA) para o Brasil. Com a medida, que começou a ser implantada em julho e deve levar dois meses até ser completada, o escritório da empresa em Belo Horizonte vai gerenciar o portal.


Em 2006, quando se intensificaram as ações judiciais contra o Orkut no Brasil, a empresa afirmava que não podia fornecer dados sobre criminosos porque os servidores do portal estavam nos Estados Unidos e eram gerenciados pelo Google Inc. O Google Brasil dizia não ter as informações.


Segundo a empresa, a unidade brasileira mostrou que tem ‘maturidade suficiente para assumir essa responsabilidade’.’ 


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Demasiado humano


‘Foi banqueiro aparecer algemado e enfim, ontem na manchete do UOL, ‘Supremo proíbe uso abusivo de algemas’. Do Globo Online, ‘Supremo restringe o uso de algemas em todo o país’. Da Agência Brasil, ‘Polícia só poderá algemar em caso de ameaça’. E na escalada do ‘Jornal Nacional’, ‘o Supremo limita o uso de algemas pela polícia’. O argumento é que ‘está havendo uma exposição excessiva, degradante e afrontosa à dignidade da pessoa humana’.


Por outro lado, na manchete do ‘Jornal da Band’, ‘O silêncio confortável de Daniel Dantas: banqueiro se cala em depoimento à Justiça Federal’.


SALVAÇÃO DO MUNDO


Na legenda da ‘Economist’, ‘extraindo a consciência do mundo’


Pouco notado aqui, o Amazon Fund ecoa insistentemente. Em ‘Pagando pela floresta’, a nova ‘Economist’ ironiza o que seria seu prospecto: ‘Governo de esquerda (antes hostil à iniciativa privada) busca investimentos. Os lucros serão só em termos de virtude, embora investidores possam se dizer parte da salvação do mundo’.


Apesar de brincar com o ‘medo paranóico’, dos ‘generais dos anos 70’ ao ‘partido comunista (maoísta)’, a revista saúda o projeto e diz que ‘abraçar a idéia de que o mundo como um todo tem interesse na Amazônia é um sinal da crescente autoconfiança do Brasil’.


O PÊNDULO


Em editorial, a ‘Economist’ mostra boa vontade com Fernando Lugo, novo presidente do Paraguai. Sob o título ‘O bispo da democracia’ e o subtítulo ‘Boas-vindas a mais um líder de esquerda’, revela esperança de que seja mais ligado à ‘social democracia pragmática’ de Lula que que a Hugo Chávez.


De todo modo, alerta que se deve ‘esperar mudança no pêndulo político da América Latina’, talvez já a partir do Chile, no ano que vem.


‘VELHO AMIGO’


Com ampla cobertura por aqui, a começar da Globo, o encontro de Lula com Hu Jintao, o presidente da China, na véspera da cerimônia de abertura dos Jogos, não teve maior repercussão por lá, pelo menos no noticiário on-line.


O ‘Diário do Povo’ noticiou descrevendo que Hu chamou o brasileiro de ‘velho amigo do povo chinês’ e se mostrando ‘pronto para discutir visões sobre relações bilaterais e outros temas de interesse comum’. E ficou por aí.


MUNDO MÍSTICO


Jeff Jarvis, referência em internet nos EUA, escreveu coluna no ‘Guardian’ sobre um encontro que teve com Paulo Coelho. Relata que ele ‘descobriu o poder do acesso livre [a seus livros] quando um fã postou tradução de um de seus romances e as vendas no país saltaram de 3.000 para 100.00 para 1.000.000 em um ano’.


Coelho, em artigo ontem na ‘New Statesman’ (ilustração acima), também aborda o encontro e diz que perguntou no fim a Jarvis o que mais ‘deveria fazer’, além de Twitter, blog etc. Nada, pelo jeito. Mas em seguida, ontem no blog BuzzMachine, Jarvis lembrou que o brasileiro poderia ‘escrever um livro sobre a internet’, esse ‘mundo místico’, essa ‘terra mágica, a internet’.


DESCE E…


No UOL, ontem na home, ‘A Favorita’, da Globo, ‘não fixa Ibope’ e cai após revelação. No Globo Online, ‘não repetiu os bons números’.


DESCE


Também no UOL, as novelas da Record ‘passam por inferno astral na audiência’. Diz a Veja.com que o problema agora avança pelas tardes.’


 


 


VENEZUELA
Folha de S. Paulo


TV pede a corte internacional que condene governo Chávez


‘Funcionários da RCTV, que não teve sua licença renovada pelo presidente Hugo Chávez no ano passado, pediram à Corte Interamericana de Direitos Humanos que condene o governo da Venezuela por agressões e hostilidades que sofreram.


O advogado Carlos Ayala disse tratar-se de ‘caso de 20 vítimas, que, de 2002 a 2005, sofreram mais de 23 agressões incitadas por discursos públicos que não foram punidas nem investigadas’.


O representante venezuelano na corte, Germán Saltrón, qualificou de ‘insignificante’ o número de agressões e disse que uma decisão pró-RCTV incentivaria a ‘ação desestabilizadora’ de meios de comunicação.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Criador da Globo diz que bispo é concorrente


‘Em entrevista à revista ‘Trip’ que chega às bancas na próxima quinta, o norte-americano Joseph Wallach, 84, personagem fundamental na história da Globo, diz que finalmente existe concorrência na televisão brasileira, algo que a emissora sediada no Rio ainda não admite oficialmente.


Para ter qualidade é preciso gastar dinheiro. (…) A Globo, porque tem um padrão de qualidade, tem o dinheiro para gastar. (…) Mas a Globo está tendo concorrência agora, pela TV Record, por quê? Porque o bispo [Edir Macedo], que tem a igreja [Universal do Reino de Deus] com tanto dinheiro entrando, está inflacionando o mercado com esse dinheiro, fazendo a mesma coisa que a Globo’, disse Wallach a Guilherme Werneck, que o entrevistou em Los Angeles, onde mora e cursa faculdade de história.


Ao lado de Boni e de Walter Clark, Wallach foi um dos pilares do que a Globo é hoje. Entrou na emissora em 1965, enviado pela Time-Life, que investiu US$ 6 milhões no negócio. Alvo de uma CPI, a Time-Life saiu da Globo, em 1970, mas Wallach continuou até 1980, cuidando das finanças.


Na entrevista, Wallach afirma que a Globo se consolidou nos anos 70 porque investiu em qualidade e porque não tinha concorrência. Ele também diz que, com as novas tecnologias, a televisão ‘irá desaparecer’. ‘O futuro é a internet, a televisão vai perder a força.’


AMOLECEU


Apesar do festival de porradas, tiros e palavrões no ar em ‘A Favorita’, o Ministério da Justiça diz que não recebeu reclamações nem detectou inadequações para a classificação indicativa da novela (12 anos, 20h). A anterior, ‘Duas Caras’, foi reclassificada para as 21h por causa da dança do poste.


ENDURECEU


O mesmo ministério rejeitou pedido da Record para que ‘Os Mutantes’ fosse reenquadrada como imprópria para menores de 10 anos, e não mais 12.


IRENES


Depois de bater nos 46 pontos com a revelação de que Flora (Patrícia Pillar) é uma vilã, não mocinha, ‘A Favorita’ caiu anteontem para 41 pontos na Grande São Paulo. E as novelas da Record subiram para 16.


TV ABERTA 1


A MTV estuda abrir seu sinal para todas as antenas parabólicas do país (estimadas em até 18 milhões). Testes já estão sendo feitos. Apesar de ser uma emissora aberta em algumas capitais, a MTV é tratada como TV paga em boa parte do país.


TV ABERTA 2


A MTV nega que sua eventual distribuição livre tenha a ver com o corte de seu sinal na operadora Sky. Argumenta que a mudança se relaciona ao crescimento da classe C e à demanda de anunciantes.


ESPETO


O ‘CQC’ (Band) da próxima segunda entrará mais cedo (21h45) e será especial. O repórter Felipe Andreoli está em Pequim, de onde entrará ao vivo. Ele acompanhou visita do presidente Lula à vila olímpica.’


 


 


 


Caio Jobim


Chico pré-fama pode ir à TV


‘Em 1966, o Brasil inteiro parou em frente à televisão para ver ‘A Banda’ passar. Pouco tempo antes de sua consagração no 2º Festival da Música Popular Brasileira da TV Record -que venceu juntamente com ‘Disparada’, de Geraldo Vandré e Théo de Barros-, Chico Buarque começava a sua primeira temporada em palcos cariocas.


À época, o espetáculo foi um sucesso absoluto -permaneceu por meses em cartaz na boate Arpège, no Leme (zona sul do Rio), com apresentações de terça a domingo.


Agora, pode vir a público em um programa cuja produção está sendo encaminhada pelo Canal Brasil, que terá como eixo uma fita descoberta pelo músico Felipe Radicetti, em 2005, com o áudio de um dos shows na íntegra.


‘O show deve ter ficado uns seis meses em cartaz. Lembro que um dia o Chico falou: ‘Carvana, não vou poder fazer o show no domingo porque é o dia do Festival da Record, e vou defender uma música nova que tenho lá’. A música era ‘A Banda’. Fez tanto sucesso que mudamos o nome do show, que era ‘Meu Refrão’ e passou a ser ‘Para Ver a Banda Passar’, lembra o ator Hugo Carvana, que produziu a estréia de Chico no Rio, em parceria com o cineasta Antônio Carlos da Fontoura.


A atriz e cantora Odete Lara e o grupo musical MPB-4 acompanharam o compositor em sua estréia no Rio. Miltinho, um dos integrantes do MPB-4, relembra a configuração instrumental do encontro.


‘O Chico e eu tocávamos violão, o Magro tocava percussão, e tinha o grande Raul de Barros no trombone. Na bateria, era um amigo da gente de Niterói, o Murilo, e, na flauta, o Balu, também de lá’. Completava a formação um baixista de sobrenome Marinho.


Gravador na cozinha


Ouvindo a gravação, à qual a Folha teve acesso, nota-se o entusiasmo do público com a interpretação de ‘A Banda’ pelo próprio autor. O êxito da canção também contagiou o técnico de som da Arpège.


Em uma apresentação logo após a vitória de Chico no festival, ele escondeu um gravador de rolo na cozinha da boate, ligou os cabos na mesa de som e gravou a apresentação.


Embora se trate de um registro tecnicamente imperfeito -a voz e o violão se destacam, deixando os metais em um plano intermediário, e o baixo e a bateria praticamente inaudíveis, ao fundo-, a gravação tem o mérito de captar a carreira de Chico Buarque em estágio ainda embrionário.


Magro Waghabi, integrante do MPB-4, conta que, devido à sua timidez e à pouca intimidade com o palco, Chico cantava com o olhar fixo em um grande coração vermelho que fazia parte do cenário do show, criado pelo pintor Antonio Dias.


Desde meados da década de 70, a fita esteve sob a guarda de Radicetti. Ela lhe foi confiada pelo músico Renê Faria Terra -que, por sua vez, a tinha recebido das mãos do técnico de som da boate. Em 2005, enquanto digitalizava o seu acervo, Radicetti redescobriu a fita e fez cópias para entregar aos músicos que estavam no show.


Recentemente, Radicetti mostrou o material a Paulo Mendonça, diretor do Canal Brasil, que teve a idéia de promover o reencontro dos principais personagens ainda vivos do espetáculo em um programa a ser produzido pela emissora, com direção de Antônio Carlos da Fontoura.


Mendonça espera que as gravações sejam realizadas até o final deste ano, mas a realização do programa ainda depende de negociações com os envolvidos e do retorno de Chico ao Brasil -atualmente, ele está em Paris trabalhando em seu próximo livro.’


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 8 de agosto de 2008


 POLÍTICA CULTURAL
Roberta Pennafort


Ferreira anuncia editais do MinC e Petrobrás


‘Em seu primeiro ato público como ministro da Cultura – confirmado pelo presidente Lula, mas não empossado -, Juca Ferreira anunciou ontem, no Rio, mais um lançamento conjunto de editais de seleção pública pelo MinC e Petrobrás. Foram criadas duas áreas nas quais candidatos poderão inscrever-se para pleitear patrocínio: programação de centros culturais e expressões culturais afro-brasileiras.


São dez editais, que consumirão R$ 28 milhões. Os oito existentes já contavam com o apoio da Petrobrás. O maior montante – R$ 7 milhões – vai para o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, que tem o objetivo de apoiar financeiramente a produção e a pesquisa de teatro por companhias brasileiras.


Ferreira reafirmou que está entre suas prioridades o aprimoramento da Lei Rouanet. Em cerimônia com a presença de produtores culturais e artistas, disse que eles não deveriam ter de fazer um périplo pelas empresas privadas atrás de patrocínio, já que o dinheiro obtido por elas pela renúncia fiscal é público. ‘Se o único mecanismo (de patrocínio) que a gente consegue ter é 100% de renúncia fiscal, os artistas não deveriam precisar ir aos departamentos de marketing das empresas. Deveria ser possível encurtar o caminho.’ Foi muito aplaudido. A nova proposta de Lei Rouanet tentará corrigir isso, estimulando as empresas nesse sentido. Segundo a Petrobrás, 2008 poderá ter ainda um novo ciclo de patrocínios, além desse e do Programa Petrobrás Cultural.’


 


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


O Rei sobe o morro Globo estuda gravar show no Alemão


‘A Globo pretende realizar um megashow com Roberto Carlos em uma grande favela do Rio. Entre as possibilidades estão a Favela da Rocinha e o Complexo do Alemão.


A idéia, apresentada pelo diretor dos especiais do Rei, Roberto Talma, ainda tem de passar pela aprovação da direção da Globo, mas já encontrou simpatia por parte do cantor.


Há tempos Roberto Carlos sonha em fazer uma apresentação assim, mas nunca obteve apoio e infra-estrutura para isso.


Se aprovado, o projeto segue para uma fase complicada, que é localizar, dentro da favela uma área grande, que possa comportar com segurança uma platéia gigantesca.


Roberto Carlos e a Globo, aliás, começaram a conversar sobre o processo de renovação do seu contrato, que vence em dezembro.


Uma das idéias da emissora é preparar um show especial em 2009 em comemoração aos 50 anos de carreira do Rei. O especial pode ser uma viagem por suas várias fases musicais, reunindo grandes nomes, inclusive o pessoal da Jovem Guarda.


Procurada, a Globo diz que ainda não tem a confirmação do show na favela.


Duêtios


Sumido há algum tempo, Seu Creysson (Cláudio Manoel) dá o ar da graça no Casseta & Planeta em dueto com Fernanda Takai – vai ao ar na edição da próxima terça-feira, na globo. Estratégico para a tentativa do programa em resgatar audiência, o personagem também gravará Duêtios com Seu Jorge e Chorão.


Entre-linhas


O crescimento de 0,5% no faturamento da TV paga ocorreu na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o último trimestre de 2007. Esclarecendo balanço publicado aqui ontem, o salto de R$ 1,6 bilhão para R$ 2 bilhões (quase 25%) se deu entre o primeiro trimestre de 2007 e o mesmo período deste ano.


Cocoricó, uma Aventura no Teatro estréia dia 13 de setembro no Teatro do Shopping Frei Caneca, com produção da Morente Forte, Dantino Associados, Casa Jabuticaba e Fernando Gomes, que faz o próprio Júlio no infantil da TV Cultura.


Começam na terça-feira as gravações da minissérie Maysa, dirigida por Jayme Monjardim, na Globo. Estréia em janeiro.


Filho de Dennis Carvalho e Christiane Torloni, Leonardo Carvalho passou pela Band e volta à Globo em Três Irmãs, próxima novela das 7, sob direção do pai.


Possível presença no Top 5, do CQC, o vídeo do debate da TV Bandeirantes para a prefeitura de Curitiba virou hit no YouTube. O candidato Lauro Rodrigues (PT do B) comete vários deslizes: erra toda hora de câmera e se embanana para explicar seu projeto de Cartão Verde.


Apelidado de Curly pelos internautas, Rodrigues avisou que não participará do debate da TV Globo RPC. Quando se atrapalhava, ele gritava: ‘Corta!’.


A reprise da novela Prova de Amor, às 17h30, que estreou na segunda-feira, tem dado 7 pontos de média de ibope.’


 ************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem