Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1050
Menu

INTERESSE PúBLICO >

Os donos das ondas

Por Claudio Weber Abramo em 19/05/2009 na edição 538

Uma das informações recolhidas no projeto Excelências da Transparência Brasil a respeito dos 2.368 parlamentares em exercício nas principais Casas legislativas brasileiras é se eles detêm concessões de rádio e televisão.


Trata-se de uma informação importante para entender como determinado tipo de político atinge o poder e nele se mantém.


Entre senadores, deputados e vereadores de capitais, 166 parlamentares detêm essas concessões (ver o quadro completo aqui).


A maior concentração está no Senado Federal, no qual nada menos de 29 integrantes (36% do total de 81) são donos de estações (ou inteiras redes) de rádio e TV. Na Câmara dos Deputados eles são 62 (12% do todal de 513 deputados).


Conforme os partidos políticos a que são filiados, os donos das ondas se distribuem da seguinte forma:







































































































Partidos Total Detentores %
PL 3 1 33%
DEM 222 31 14%
PR 126 16 13%
PTB 121 14 12%
PMDB 362 36 10%
PSB 142 14 10%
PRB 33 3 9%
PP 133 11 8%
PRTB 15 1 7%
PDT 142 9 6%
PMN 44 2 5%
PPS 74 4 5%
PSDB 300 15 5%
PSL 21 1 5%
PTC 19 1 5%
PV 80 4 5%
PC do B 48 1 2%
PSC 50 1 2%
PT 304 1 0%

A distribuição entre os estados mostra uma forte concentração de controladores de meios de comunicação eletrônicos entre os parlamentares de estados do Nordeste, Norte e Centro-Oeste.


Dessa forma, o que o quadro mostra é um dos importantes mecanismos que os integrantes das oligarquias regionais, reunidos nos partidos que estão no alto da lista, usam para manter o controle político em suas áreas de influência.


Entre os motivos que possibilitam o fenômeno está o fato de que a legislação brasileira proíbe que dirigentes executivos de órgãos de comunicação se candidatem, mas não estende a proibição aos controladores dessas empresas.


Ou seja, a lei brasileira supõe que o dirigente de uma empresa de comunicação não recebe ordens do patrão.

******

Jornalista, diretor executivo da Transparência Brasil

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem