Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

INTERESSE PúBLICO > CONSELHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Tendência é de renovação no CCS em 2007

Por Carlos Eduardo Zanatta em 16/01/2007 na edição 416

A partir de março, depois que forem eleitas as mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, deverá ser realizada uma nova eleição para o Conselho de Comunicação Social.

Há algumas divergências em função da possível recondução de alguns nomes como representantes de entidades (especificamente aqueles que fizeram parte das duas primeiras composições). Até o momento, apenas a Abert indicou Evaristo Oliveira, diretor administrativo do Correio Braziliense/Diários Associados, para substituir Paulo Machado de Carvalho Neto com representante das emissoras de rádio. A Sociedade de Engenharia de Televisão (SET) também indicou Liliana Nakonechnyj (diretora da TV Globo) para substituir Fernando Bittencourt (também Globo) como representante dos engenheiros da área de comunicações.

Do lado das entidades que representam as categorias profissionais, ainda não foram feitas as indicações finais, mas a preocupação dos representantes dos trabalhadores é recompor o equilíbrio entre entidades da sociedade civil e segmento empresarial (que conta não só com mais representantes como têm o apoio aberto do atual presidente, Arnaldo Niskier, indicado diretamente pelo então presidente do Senado, senador José Sarney). Neste sentido, o Fórum pela Democratização das Comunicações já encaminhou ao presidente do Senado, senador Renan Calheiros, uma lista de entidades que estariam interessadas em fazer parte do conselho como representantes da sociedade civil.

As entidades sugeridas pelo Fórum são as seguintes: ABCCom (Associação Brasileira de Canais Comunitários); Abepec (Associação Brasileira de Emissoras Públicas, Educativas e Culturais); Abraço (Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária); ABTU (Associação Brasileira de Televisão Universitária); CBC (Congresso Brasileiro de Cinema); CFP (Conselho Federal de Psicologia); CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil); Confea (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia); CUT (Central Única dos Trabalhadores); e MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra).

Outras entidades correm por fora para conseguir uma posição, entre elas a ABTA (associação de operadores de TV por assinatura) e entidades ligadas ao setor de telecomunicações.

Presidência

De acordo com algumas fontes próximas aos conselheiros, a gestão de Arnaldo Niskier conseguiu desagradar aos dois segmentos básicos que compõem o CCS. De qualquer forma, ainda não é possível avaliar se o presidente Sarney continuará bancando o nome de Niskier para a terceira composição do órgão. Há quem afirme que o próprio Niskier já estaria convencido que perdeu representatividade por não ser mais secretário de educação do governo do estado do Rio de Janeiro na gestão de Sérgio Cabral.

******

Da equipe do TelaViva News

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem