Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

INTERESSE PúBLICO > TONY SNOW

Um porta-voz emotivo no primeiro informe televisionado

18/05/2006 na edição 381

Os informes da Casa Branca raramente tendem para o lado pessoal, mas a estréia do novo secretário de Imprensa nos informes televisionados teve momentos emotivos. Quando a sessão com a imprensa estava chegando ao fim, um repórter perguntou a Tony Snow porque ele usa a popular pulseira amarela ‘Live Strong’, cuja venda arrecada dinheiro para a Fundação Lance Armstrong, de combate ao câncer.


‘Eu tive câncer no ano passado’, respondeu Snow depois de 45 segundos de silêncio. ‘Vai soar estúpido e vou ter de ser mais pessoal aqui’. O secretário de Imprensa passou por seis meses de quimioterapia depois de ter o câncer diagnosticado e teve seu cólon removido em 2005. Segurando-se no podium e olhando para baixo, Snow parou de falar por dez segundos – o que é uma eternidade quando se está ao vivo na televisão – e tentou continuar a responder por mais algumas vezes. ‘Tendo vivido isto no ano passado’, disse, pausando mais uma vez, ‘eu disse isso para [seu ex-colega de trabalho da Fox News] Chris Wallace, foi a melhor coisa que me aconteceu’. Depois de outra longa pausa, Snow mencionou a morte de sua mãe por câncer de cólon quando ele tinha 17 anos.


‘Foi meu momento Ed Muskie’, brincou o secretário de Imprensa após o desabafo, referindo-se a uma controvérsia em 1972, quando Muskie, então senador do Maine e candidato democrata à presidência, perdeu a fala quando reclamava sobre matérias de mau gosto sobre sua mulher. A campanha de Muskie nunca se recuperou depois do incidente, e até hoje não se sabe ao certo se ele realmente chorou ou simplesmente derreteu neve no rosto.


Declarações polêmicas


Voltando a questões de trabalho, Snow foi perguntado diversas vezes sobre o registro de milhões de telefonemas de americanos pelo governo. ‘Eu não quero abraçar o ‘tarbaby’ (boneco feito de alcatrão) ao tentar comentar sobre o programa, o suposto programa, cuja existência não posso negar nem confirmar’, afirmou. A expressão é usada para descrever situações emaranhadas. No entanto, como a palavra também é vista como um termo racista, espantou a todos os presentes. Posteriormente, perguntaram a Snow o que ele quis dizer com a expressão. ‘Bem, eu acredito que ‘abraçar o tarbaby’ remete à tradição americana’, respondeu, enigmático.


Quando um repórter perguntou sobre ele ter dado ‘garantia’ de que o Senado aprovaria um projeto de lei de imigração e então passaria o problema para ser negociado com a Câmara dos Deputados, Snow afirmou: ‘Você quer saber? Eu fui presunçoso. Eu não devo fazer prognósticos sobre o que o Senado vai fazer’. E, para concluir os informes, uma despedida um tanto incomum. ‘Eu amo isto. É ótimo. Obrigado’, afirmou aos jornalistas presentes. Informações de Jennifer Loven [Associated Press, 16/5/06].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem