Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

JORNAL DE DEBATES > ELEIÇÕES 2014

Empresariado e mídia fazem suas opções

Por Ricardo Kotscho em 06/05/2014 na edição 797
Reproduzido do blog do autor, 5/5/2014; título original “Empresariado e mídia fazem opção por Aécio Neves”, intertítulo do OI

Ainda outro dia, no Jornal da Record News, comentei com Heródoto Barbeiro que a mídia nativa mostrava-se indecisa entre qual candidato da oposição apoiar contra Dilma. Os fatos e o noticiário dos últimos dias não deixam mais dúvidas: a maioria dos principais veículos de comunicação do país, tanto quanto o alto empresariado, que não por acaso caminham sempre juntos, decidiu abertamente apoiar o candidato tucano Aécio Neves, deixando Eduardo Campos comendo poeira na estrada.

Faltando exatos cinco meses para o dia da eleição, o tempo político começa a correr mais depressa e as pesquisas passam a ter um papel decisivo nesta hora. Vários episódios da semana passada contribuíram para favorecer a definição a favor de Aécio e isto ficou claro no encontro dos maiores empresários do país em Comandatuba, na Bahia, em que o tucano foi aclamado pela plateia e o candidato do PSB passou em branco. A presença da candidata a vice Marina Silva a seu lado, que pode agregar votos de sonháticos e evangélicos, certamente não ajudou Eduardo neste ambiente.

A imprensa recorreu ao “palmômetro”, como os programas de auditório, para destacar a vitória do senador e ex-governador mineiro na pajelança anti-Dilma dos possíveis financiadores de campanhas. Ao mesmo tempo, as últimas pesquisas divulgadas, mostrando a queda da presidente Dilma e o crescimento mais forte de Aécio fora das margens de erro, enquanto Eduardo subia pouco, para finalmente chegar aos dois dígitos, não deixaram dúvidas sobre qual candidato o establishment vai apoiar, ou melhor, já está apoiando, na quarta tentativa de não deixar o PT ficar com o governo central.

Segundo turno

Afastado o fantasma do “volta Lula”, que tanto atemorizava esses setores, e definido pelo PT que Dilma será candidata à reeleição até o fim, alguns veículos passaram a trabalhar ostensivamente em favor de Aécio no noticiário de todas as mídias, até dando sugestões para a sua campanha, como já fazem colunistas e blogueiros do Instituto Millenium. Da mesma forma, a imprensa estrangeira, tendo à frente o Financial Times, faz campanha aberta para desconstruir a imagem do governo Dilma, mostrando claramente de que lado está o grande capital.

Fora o apoio do pessoal do dinheiro e da mídia grande, há outras condições objetivas que favorecem Aécio Neves neste momento: tem mais estrutura partidária, mais tempo de televisão, mais palanques estaduais, o PSDB está no governo em Minas e São Paulo, os maiores colégios eleitorais do país e, em consequência, tem mais condições do que Eduardo Campos para formar um arco de alianças, algo que, até agora não conseguiu.

Definido seu candidato, a grande imprensa foi desencavar até um manifesto do PSB de Eduardo Campos, lançado em 1947, em que o partido defende a socialização dos meios de produção e limites à empresa privada. Se ainda faltava algum motivo pela opção por Aécio, não há mais. O candidato da “nova política” pode até desconhecer este documento e dizer que o mundo mudou, mas o estrago está feito.

No fim de semana, o ex-governador de Pernambuco tentou se diferenciar do tucano, ao afirmar que “temos projetos, base política e social que são distintos”, depois de ouvir Aécio, em Comandatuba, dizer que não consegue ”ver o Eduardo como adversário, pois somos companheiros do mesmo sonho”, já de olho no segundo turno.

É aí que reside o desafio dos apoiadores e do próprio candidato tucano: como inflar sua candidatura sem desidratar demais a de Eduardo, que é fundamental para levar a eleição ao segundo turno, cada vez mais provável de acontecer, segundo as pesquisas.

******

Ricardo Kotscho é jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem