Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

JORNAL DE DEBATES > RAZÃO & OPINIÃO

A hora e a vez dos caluniadores

Por Demétrio Magnoli em 13/03/2010 na edição 580

O Observatório da Imprensa republicou um post de Luis Nassif dedicado a justificar os fatos relatados numa reportagem da Folha de S. Paulo sobre as condições de sua contratação pela estatal TV Brasil (ver ‘A escandalização do factóide‘). Lá pelas tantas, em meio a um argumento de natureza conspiratória, o texto afirma que Otavio Frias Filho, diretor do jornal, ‘convocou Demétrio Magnoli para executar exemplarmente (…) em praça pública’ os jornalistas da Folha que perpetraram uma reportagem manipuladora contra o senador Demóstenes Torres. O caluniador que é funcionário da TV estatal refere-se ao artigo que escrevi, publicado na seção ‘Tendências/Debates’ da Folha em 9 de março passado.


Há quase uma década escrevo artigos na imprensa contra a introdução de leis raciais. Vários deles saíram na própria Folha, especialmente entre 2004 e 2006, quando eu assinava coluna opinativa semanal na página 2 do jornal. Conheço superficialmente Otavio Frias Filho. Há quatro anos não converso com ele, nem pessoalmente, nem por outro meio. Nunca fui ‘convocado’ para escrever nada, nem por ele nem por qualquer outro responsável por uma Redação, e jamais aceitaria uma ‘convocação’ de tal espécie. Escrevo o que quero, e só o que penso, em artigos de opinião assinados. Isso pode parecer estranho para uma pena de aluguel, mas é corriqueiro na imprensa independente.


Conexões com o poder


No caso do artigo publicado dias atrás na Folha, não fui nem mesmo convidado pelo editor da ‘Tendências/Debates’ a produzir um contraponto aos ataques falseadores publicados no jornal contra os que se opuseram às cotas raciais no Supremo Tribunal Federal. Eu mesmo ofereci o artigo, em conversa telefônica com o editor da página, que o aceitou de imediato, sem consultar ninguém (como é corriqueiro na imprensa independente).


Escrevi o artigo para a Folha, não para o Estado de S.Paulo ou O Globo, nos quais assino coluna periódica, em respeito ao jornal e a seus leitores. Nada tenho contra os repórteres cujo texto critiquei, creio que com a dureza necessária. Também optei por criticar a reportagem deles na própria Folha a fim de fornecer-lhes a oportunidade de retrucar e sustentar a abordagem que escolheram.


Nassif tem uma briga particular com a Folha, que remonta à sua demissão do jornal e incide sobre a credibilidade jornalística daquilo que escreve. Nessa hora, em que o governo e as ONGs racialistas atacam furiosamente todos os que ousam contestar a racialização oficial do Brasil, ele tenta misturar sua briga particular com a torrente de ofensas lançadas contra indivíduos sem ONG e sem conexões com o poder. É um modo inescrupuloso de conseguir poderosos defensores para seus próprios interesses. Um ruído do submundo, só isso.

******

Sociólogo, autor de Uma Gota de Sangue – História do Pensamento Racial (Editora Contexto, 2009)

Todos os comentários

  1. Comentou em 14/03/2010 Cristiana Castro

    Eduardo Alex, acho que os outros comentaristas tb não entenderam. Vc está se referindo a uma réplica do Nassif a esse artigo do Demétrio Magnoli, que estamos comentando, agora?

  2. Comentou em 14/03/2010 Fabio Passos

    Esclarecimento importante ao desinformado eng paulista: Nassif tem credibilidade. É algo que ele conquistou porque faz elogios e também críticas duríssimas ao governo federal… ao contrário do que a torpe reportagem da fsp tentou fazer crer. Não há como confundir o Jornalista Nassif com os cães de aluguel da mídia-corporativa que eu citei. E sabe o que é mais legal? O Nassif não se intimida com o poder da mídia-corporativa (a revista veja que o diga…). O frias pode soltar toda uma matilha, espumando pela boca, que não vai conseguir intimida-lo. Agora temos a rede. Os tempos são outros.

  3. Comentou em 14/03/2010 Fabio Passos

    Este magnoli é usualmente atiçado pelos oligarcas da mídia a mostrar os dentes contra quem ousa criticar as manipulações, omissões e mentiras divulgadas pelas empresas de frias, marinho, civita e mesquita. Felizmente o monopólio destas organizações corruptas ruiu e a rede não permite mais que os cães de aluguel da fsp, globo, veja e estadão fiquem sem resposta. A credibilidade do Nassif não será sequer arranhada pela covardia de frias. Já o caluniador magnoli não tem com que se preocupar pois sua credibilidade inexiste.

  4. Comentou em 13/03/2010 ricardo zanoni

    Nesse negócio de credibilidade o Nassif dá de 10 em Magnoli. Aliás lembre-se este senhor começou seus arrazoados na Folha e, ao que parece, houve um quiprocó entre entre eles quando, então o escrevinhador bandeou-se pro Estadão. Magnoli tornou-se um dos queridinhos da reação brasileira. Seu pensamento é o que há de mais retrógado a imprensa nacional. Nassif, por seu turno é de uma coragem admirável e de um crédito sem par. Poderia ter se acomodado na Folha já que pertencia aos altos escalões do jornal. De lá bandeou-se e depois teve a bravura de enfrentar a Veja, expondo-lhe as entranhas. Coisa incomum no jornalismo brasileiro. Coragem e atitudes que não são de Magnoli qualquer

  5. Comentou em 13/03/2010 MRE Cunha

    O Sr vir falar que o Nassif não tem credibilidade. O Sr a tem ?

    Sua arrogância é destilada em todos os artigos que escreve. Não dá o direito de opiniões contrárias. O Sr. adjetiva tudo e todos, parece um DEUS – deve ser amigo do anjo CASOY.

    Sua prepotência é infinita e cega – jamais reconheceu que o operário na presidência devolveu a auto-estima a maioria do povo brasileiro. Até a Fátima Bernades – representante do seu patrão chorou ao ouvir o discursso do operário ao ganhar ( e foi ele que ganhou) as Olimpíadas para o Brasil. Mas, vc, um professor, não pode se curvar a um analfabeto e reconhecer que Deus bota no mundo pessoas que vão servir de exemplo.

    O SR. não deve respeitar Jesus. Consta que ele não foi a escola e ensinava os doutos. Se acredita, deve ser por medo de ir para o inferno.

  6. Comentou em 17/06/2009 Reinaldo FErnandes

    ACABO DE LER A REPORTAGEM SOBRE INESCRUPULOSA DECISAO DO STF EM NAO MAIS REQUERER O DIPLOMA DE JORNALISMO PARA SE DESENVOLVER A PROFISSAO
    NEM PRECISO É DE DIZER QUE ESTOU ‘PUTO'(COM PERDAO DA PALAVRA)
    ENTRO EM CONTATO COM VOCES A FIM DE LEVANTAR UM PROTESTO QUAL GARANTIRIA NOSSO DIREITO, DE JORNALISTA QUE ESTUDA PRA CARAMBA, DE EXERCER NOSSA PROFISSAO DE FORMA JUSTA

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem