Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

JORNAL DE DEBATES > JORNALISMO VALE-TUDO

A opinião com vezo autoritário

Por Ruy Fabiano em 03/07/2007 na edição 440

Em artigo publicado neste Observatório da Imprensa, em 12 de junho passado (‘O jornalismo vale-tudo‘), Gilson Caroni Filho investe contra o que chama de ‘jornalismo vale-tudo’. E, com a mesma veemência com que o critica, o pratica. Sou mencionado levianamente no texto, a propósito de comentário que fiz, publicado no Blog do Noblat, no dia 9 de junho, a respeito da não renovação da concessão da RCTV, da Venezuela.

Não vou entrar no mérito das considerações do articulista, que considera legítima a não renovação daquela concessão, rejeitando-lhe o rótulo de cassação. Está, quanto a isso, de pleno acordo com a nota do PT e as declarações de Lula, de apoio ao governo da Venezuela.

Penso diferente, mas, como disse, o que está em pauta aqui não é minha opinião, nem a dele. Felizmente, a democracia permite que ambos nos expressemos. Trata-se de examinar a difusão irresponsável de informações falsas, o tal ‘jornalismo vale-tudo’, título do artigo com que Caroni pretendeu passar um pito geral no jornalismo brasileiro – mas, por ironia, acabou por praticá-lo.

Injúria, calúnia e difamação

Acusou-me de nada menos que ‘empregado’ e ‘porta-voz do Sistema Globo’, sem se dar ao trabalho de apurar a afirmação. Se o fizesse – procedimento elementar do jornalismo –, constataria que não trabalho em empresa alguma do Sistema Globo.

Não haveria qualquer problema em fazê-lo. Lá estão alguns dos melhores jornalistas brasileiros. Mas o fato é que não trabalho, nem mantenho com aquelas empresas qualquer tipo de vínculo.

Em meu artigo, para dimensionar o gesto autoritário de Hugo Chávez, fiz uma transposição hipotética daquela iniciativa para o cenário do Brasil. E disse que tal procedimento aqui equivaleria à cassação da TV Globo, já que a RCTV era a principal TV da Venezuela. E considerei que o processo de concessão deve ser rigoroso, mas a supressão (ou, eufemisticamente, ‘não renovação’) deve obedecer a critérios objetivos. À lei. Não a idiossincrasias.

Caroni Filho, possivelmente acostumado a associar opinião a interesses, cometeu, a partir daí, uma sucessão de equívocos. Entendeu que, ao mencionar a TV Globo, estava a defendê-la. Pior: estava sendo pago para fazê-lo. Já aí enveredou por aquela tríade capitulada no Código Penal: injúria, calúnia e difamação.

Sem disfarce

Escreveu, então, que ‘o jornalista Ruy Fabiano não titubeou em sair em defesa de quem o emprega’. E ainda: ‘Fabiano, ao se tornar porta-voz do monopólio, esqueceu que, no Brasil, tal decisão teria que contar com o consentimento do Senado (…).’

Esclareço que minha colaboração ao jornalista Ricardo Noblat, velho companheiro de redação no Correio Braziliense, dá-se de maneira absolutamente graciosa e é anterior à inserção de seu blog no Portal Globo On-Line. Se Caroni (que se apresenta como professor da Faculdade Hélio Alonso, do Rio de Janeiro, onde me formei, em 1975) procurasse conhecer os temas e as pessoas de que trata, teria evitado a armadilha e os dissabores do ‘jornalismo vale-tudo’.

Mais: se tivesse lido com atenção o meu artigo, não teria dito que me ‘esqueci’ que no Brasil a concessão passa pelo Senado. Está lá, na segunda frase do sexto parágrafo do meu artigo: ‘A legislação brasileira submete a concessão ao Senado, que, no entanto, faz dessa prerrogativa rito meramente burocrático.’ E descrevo a liturgia com que o Senado ‘cumpre’ protocolarmente atribuições como aquela – procedimento que tem merecido críticas constantes deste Observatório da Imprensa.

O texto em pauta não consegue disfarçar seu vezo autoritário, condenando o jornalismo opinativo e, contraditoriamente, exercendo-o o tempo inteiro, mesmo à custa, como vimos, da verdade.

Para Caroni, jornalismo opinativo só é bom quando coincide com sua opinião.

******

Jornalista

Todos os comentários

  1. Comentou em 06/07/2007 Ivan Moraes

    Mas, Humberto, esse eh exatamente o ponto! Porque eh que somente a direita, somente agora, somente a respeito da RCTV, somente contra um lider da esquerda, somente contra um presidente nao-branco, somente da America Latina, esta dando chiliques? Porque eles sabem que a RCTV eh espelho deles: eh golpista, eh sabotadora, eh corrupta, eh racista, eh classista, eh historicamente e socialmente mentirosa, eh manipuladora de massas, eh concentradora de poder, eh bajuladora de elites, eh alienante. Igualzinha a direita continental. TEM MAIS. Nos ainda nao sabemos que **mais** tem nessa historia, mas chilique direitista continental *coordenado* nao cai do ceu. Eh ataque coordenado sim. Tem coisa na RCTV que nos ainda nao sabemos, e eu estou doido pra ver alguem fazendo um erro muito especifico…

  2. Comentou em 05/07/2007 Fábio Carvalho

    Prezado Cid Elias, o equilíbrio que tento demonstrar, se é que consigo, não me é natural. Demanda-me esforço, paciência e comedimento. Vontade de voar na jugular dos outros? Sim, eu também tenho, mas não quero ser hooligan à Mainardi. Não sou doutor e penso, sinceramente, que não reivindicaria essa condição para calar aqueles que pensam diferente de mim. Não sou expert em todos os assuntos, mas conheço o sábio provérbio ‘médico acha que é Deus, jornalista tem certeza’. Eu tenho opiniões, que defendo, e defeitos dos quais não me orgulho. A concessão da Venevisión foi renovada no dia 25 de maio e isso não foi surpresa para ninguém. Da mesma forma, sabíamos que a RCTV não teria a sua concessão renovada dois dias depois. No mais, eu lia o No Mínimo. Leio o blogue do Azenha e do Mino. Leio a Agência Carta Maior. Leio o Reinaldo Azevedo. Com maior freqüência, leio o OI, que é mais plural, e seus blogueiros, que me parecem mais equilibrados. Já vi ‘A revolução não será televisionada’ e era aluno de jornalismo quando assisiti ao censurado ‘Brazil beyond Citizen Kane’. Eu, obviamente, consulto a grande imprensa praticamente todos os dias. No mais, sabe essas medições do noticiário que rendem boas análises por aqui, como a do Iuperj? Pois é. Nas eleições venezuelanas, a TV do neoaliado Cisneros dedicou 84% do tempo de informação política à posição oficial e apenas 16% à oposição.

  3. Comentou em 05/07/2007 Fábio Carvalho

    Prezado Cid Elias, o equilíbrio que tento demonstrar, se é que consigo, não me é natural. Demanda-me esforço, paciência e comedimento. Vontade de voar na jugular dos outros? Sim, eu também tenho, mas não quero ser hooligan à Mainardi. Não sou doutor e penso, sinceramente, que não reivindicaria essa condição para calar aqueles que pensam diferente de mim. Não sou expert em todos os assuntos, mas conheço o sábio provérbio ‘médico acha que é Deus, jornalista tem certeza’. Eu tenho opiniões, que defendo, e defeitos dos quais não me orgulho. A concessão da Venevisión foi renovada no dia 25 de maio e isso não foi surpresa para ninguém. Da mesma forma, sabíamos que a RCTV não teria a sua concessão renovada dois dias depois. No mais, eu lia o No Mínimo. Leio o blogue do Azenha e do Mino. Leio a Agência Carta Maior. Leio o Reinaldo Azevedo. Com maior freqüência, leio o OI, que é mais plural, e seus blogueiros, que me parecem mais equilibrados. Já vi ‘A revolução não será televisionada’ e era aluno de jornalismo quando assisiti ao censurado ‘Brazil beyond Citizen Kane’. Eu, obviamente, consulto a grande imprensa praticamente todos os dias. No mais, sabe essas medições do noticiário que rendem boas análises por aqui, como a do Iuperj? Pois é. Nas eleições venezuelanas, a TV do neoaliado Cisneros dedicou 84% do tempo de informação política à posição oficial e apenas 16% à oposição.

  4. Comentou em 04/07/2007 Cid Elias

    Grande Fábio, tens porventura alguma imagem da venevision comparável às que tenho, tirada do Azenha, da rctv? Leia bem o que eu disse antes de dar uma de bacana. Aonde foi que vistes eu dizendo que a venevision não estava entre as golpistas, nobre? Se prestasses atenção lerias …diferença da participação da rctv em relação à do cisneros, que digamos, teve postura mais discreta…’ Ficou claro? É por acaso um absurdo isto que eu disse? Dá para entender que quando comento que a diferença entre as duas foi que uma escancarou e a outra não, as duas fizeram parte do golpe? Só que o cisneros, infinitamente mais esperto que o pulha da rctv, tirou o dele da reta no derradeiro ato, só isto. Não me importo com tuas críticas e até aceito-as, desde que tenham motivos para serem feitas.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem