Acabou o PIG ou a mídia ficou boazinha? | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

JORNAL DE DEBATES > MÍDIA & ELEIÇÕES

Acabou o PIG ou a mídia ficou boazinha?

Por Alberto Dines em 24/08/2010 na edição 604

O acrônimo sumiu: o Partido da Imprensa Golpista, PIG, criado entre o primeiro e segundo turno das eleições de 2006 por uma ala de críticos da imprensa, foi mencionado no comecinho da presente temporada eleitoral e, de repente, desativado.


É uma boa notícia, qualquer que seja o ângulo de observação.


Pode ser encarada como um atestado de bom comportamento eleitoral da imprensa. Ou como indício de que certos setores da crítica da mídia cursaram um ‘intensivão’ de boas maneiras e adotaram posturas mais urbanas, científicas.


Custa crer que a grande imprensa tenha iniciado na clandestinidade o processo de autorregulamentação, afinal a decisão sequer foi votada pela Associação Nacional de Jornais (ANJ) conforme se evidencia pela leitura das edições de sábado (21/8) dos jornalões (ver ‘ANJ, o fim da unanimidade‘ e ‘ANJ anuncia autorregulação‘)


Mais verossímil e mais facilmente comprovável é a hipótese de que antes do debate na Rede Bandeirantes os principais grupos de comunicação foram persuadidos a achar que a candidata Dilma Rousseff é ‘a cara’. Num passe de mágica passou de insegura para mais natural enquanto os guerrilheiros anti-PIG ofereciam como contrapartida o fim das recriminações.


Mais transparência


Tudo isso é muito bom, excelente. Claro indício da maneabilidade das elites brasileiras empenhadas em não repetir o perigoso confronto governo vs. mídia dos países vizinhos e hermanos.


A nova cordialidade talvez explique porque nenhum dos 1.293 nomões que enfeitam as colunas de opinião da grande imprensa ousou comentar as declarações do presidente Lula de que em caso de vitória da candidata Dilma, continuará dando palpites. A metáfora do terceiro mandato não ocorreu a nenhum destes sutis analistas nem inspirou a legião de bacharéis que freqüentam nossa imprensa a comentar a ostensiva participação do presidente da República na campanha eleitoral. É legal, mas não pega bem.


O ideal seria que estes movimentos da nossa imprensa fossem menos equívocos e mais transparentes. Assim ficaríamos livres do PIG e do PC do P (Partido dos Criadores do PIG).

Todos os comentários

  1. Comentou em 02/09/2010 Patrícia Nogueira

    O próprio PIG responde a sua questão. Olha ele aí, mais PIG do que nunca.

  2. Comentou em 26/08/2010 Antonio Caetano

    Dines, há um erro de natureza científica em sua análise. É que você faz uma crítica aos criadores da expressão PIG, como se fosse uma invenção, mas ao mesmo tempo reconhece que o PIG existe e que ele prudentemente subiu no muro.
    Se o PIG existe, os que o enxergem e combatem sempre estiveram certos, não?

  3. Comentou em 26/08/2010 wendel Anasacio

    Viu só Dinis? Afirmar e defender o indefensável dá nisto!
    Mas paraodiando o Bonemer diria – ‘ Perdoe-me, Perdoe-me, o Sr. há de entender!’.
    Até….

  4. Comentou em 26/08/2010 fabio padilha

    Sera que o dia primeiro de abril mudou para 24 de agosto ?
    O Dines so pode estar brincando…!

  5. Comentou em 25/08/2010 Miro Junior

    Faz o seguinte, olha o discurso do Lula de ontem falando do Otávinho da Folha e depois me fala se o PIG acabou ou continua cada vez mais forte:…. http://www.youtube.com/watch?v=keyVjdMFJec&feature=player_embedded….

  6. Comentou em 25/08/2010 Alexandre Carlos Aguiar

    Pô, e o pessoal reclama que há censura aos humoristas. Depois do que escreveram alguns serristas aqui, o CQC e o Casseta precisam se reciclar e aprender com eles. No mínimo devem ser eleitores do Tiririca, pra fazer tanta piada.

  7. Comentou em 24/08/2010 Raphael Bezerra

    O PIG existe e só quem não vê são as pessoas como você. boa noite.

  8. Comentou em 24/08/2010 Ibsen Marques

    O Dines e sua ingenuidade. Nem vou citar os comentários porque quase todas oferecem argumentos contra a posição do Dines. Acho mais, acredito que a imprensa não tem interesse em se opor frontalmente à Dilma porque sabe que não forma mais opinião, a despeito da montanha de gente que levas às viagens do JN. Uma oposição frontal pode trazer mais malefícios econômicos do que benefícios, no mais continuará PIG. Só o tempo dirá. … e dirá!!!

  9. Comentou em 06/09/2009 euclides de silva gonçalves gonçalves

    fais 2 meses que eu recarego e nãio chega meus bonos
    to tentando emtra en comtato com a oi mais não consigo fala porque nigen a temde fico quase 2horas no telefone
    gostaria de uma solusão
    senão vo para o proom presta queicha

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem