Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

JORNAL DE DEBATES > KASSAB vs. KAISER

As lições de Pirituba para a observação da mídia

Por Venício A. de Lima em 13/02/2007 na edição 420

O deprimente episódio envolvendo o prefeito da maior cidade do país e um paulistano, na recente inauguração de um posto de saúde em Pirituba, constitui um exemplo emblemático do histórico comportamento autoritário e conservador de parte de nossa elite política. Apesar disso, a sua cobertura midiática revela um conjunto precioso de lições e permite observações importantes sobre a grande mídia, em particular, da televisão.

Numerosas análises já foram feitas sobre o episódio e sua cobertura pela mídia, inclusive neste Observatório. Mesmo assim gostaria de chamar a atenção para alguns pontos.

Primeiro, é interessante observar o leque de adjetivos que foi utilizado nas reportagens para identificar e qualificar o senhor Kaiser Celestino da Silva – o ‘vagabundo’ – segundo os berros do prefeito Gilberto Kassab. Na mídia ele foi desde ‘um homem’, ‘morador’, ‘manifestante’, ‘usuário da rede pública de saúde’, ‘contribuinte’, ‘cidadão’ até ‘microempresário’ e ‘empresário’. Por que uma narrativa comum é tão difícil para a grande mídia quando ela se refere ao cidadão simples, isto é, a um anônimo membro da imensa maioria da população?

Em segundo lugar, em tempos de jornalismo editorializado e da partidarização com que boa parte da cobertura da política e dos políticos vem sendo feita, é curioso observar como não se estenderam ao PFL – partido do prefeito – as inevitáveis conotações negativas do episódio. Teria sido semelhante a esse o comportamento da grande mídia se o prefeito fosse filiado ao partido do presidente Lula?

Absurdo óbvio

A longa matéria de 2 minutos e 32 segundos do Jornal Nacional na noite do episódio de Pirituba (segunda-feira, 5/2) ilustra ainda um terceiro aspecto, totalmente distinto. Diz respeito às dificuldades metodológicas que são enfrentadas por aqueles que se arriscam a fazer a análise do conteúdo da televisão.

Como encontrar critérios e instrumentos adequados para a correta análise do telejornalismo, isto é, de textos + imagens?

A chamada da matéria no JN foi ‘Prefeito de São Paulo se descontrola durante inauguração de posto de saúde’. O corpo da matéria mostrava a expulsão do senhor Kaiser da Silva do posto de saúde por um transtornado prefeito que gritava de dedo em riste ‘vagabundo, vagabundo’, e que logo depois, incrivelmente, conseguia dizer ao repórter: ‘Não agredi ninguém fisicamente. Só pedi a ele que se retirasse’.

A matéria repercutiu o episódio com representantes dos dois principais partidos da Câmara Municipal – PT e PSDB – e ouviu também um representante do PFL. Só faltou mencionar que o filho menor de Kaiser, de apenas 7 anos, estava com ele no local do incidente.

Ao final da matéria, o âncora Bonner leu a seguinte frase:

‘A Secretaria de Negócios Jurídicos da prefeitura anunciou que vai estudar que medidas tomar contra o cidadão Kaiser Celestino da Silva’.

Quem ler essa última frase sem ter visto as imagens do telejornal não poderá avaliar a indisfarçável ironia nela contida pelo absurdo óbvio da situação: a possibilidade de um cidadão comum agredido ser processado por seu poderoso agressor (autoridade política maior da cidade). Esse ‘sentido’ (significado) da frase foi explicitado na entonação com que a leitura foi feita, na expressão facial e na posição corporal de Bonner.

Episódio lamentável

Como captar essa riqueza de significação que a imagem expressa e que uma simples frase escrita dificilmente teria?

Comentando o fato com um colega pesquisador ele sugeriu: ‘Faça o seu comentário e coloque um link para o JN. Quem ler a sua observação poderá verificar ele próprio o `sentido´ que o Bonner quis dar à frase’. Não deixa de ser uma possibilidade nestes tempos de internet quando se pode acessar o portal da Globo e lá conferir as edições do Jornal Nacional. [Ver aqui a edição de 5/2/2007 do JN]

Mas a questão metodológica é outra. Qual instrumento analítico permite captar o ‘sentido’ da mensagem (imagem + texto) de tal forma que em situações semelhantes ele possa ser utilizado pelo pesquisador com o mesmo resultado e, dessa forma, informar ‘corretamente’ a análise?

Além disso, existiria alguma garantia de que a leitura deste ‘sentido’ seria a mesma para todos aqueles que vissem o telejornal? Pergunto e respondo: não. Não há qualquer garantia. As mensagens da televisão (imagens + textos), apesar de um ‘sentido’ hegemônico, trazem sempre em si a possibilidade de leituras polissêmicas.

Como se vê, um episódio lamentável de todos os pontos de vista serve ao menos para que dele se tirem algumas lições preciosas e observações importantes.

Triste consolo.

******

Pesquisador sênior do Núcleo de Estudos sobre Mídia e Política (NEMP) da Universidade de Brasília e autor, entre outros, de Mídia: crise política e poder no Brasil (Editora Fundação Perseu Abramo, 2006)

Todos os comentários

  1. Comentou em 15/02/2007 Hugo Werle

    Parabéns Venício, análise muito interessante mostrando facetas ainda não destacadas. Quem dera tivessemos outros colaboradores do OI com a mesma preocupação.
    Voce está desempenhando bem o papel que o OI se propõem, diferentemente do Dines e alguns outros analistas, que parecem não mais saber qual é o papel deles aqui.
    att.

  2. Comentou em 13/02/2007 jozsef janosek

    ENTRE TODAS ESTAS DELONGAS ACÍMA E AFORA DELAS SÓ EXISTEM UNICOA QUESTÃO: TUDO QUE AS AUTORIDADES FAZEM PARA TENTAR MELHORAR A VIDA DOS ‘POVO’ E SEQUIDA DE CRITICAS DOS MAIS VILS POSSÍVEI.

    INDEPENDENTE DE PARTIDOS.
    RACIOCINAM COMO PATRIOTAS, ANALISAM A EDUCAÇÃO QUE O BRASILEIRO TEVE E ESTA TENTANDO ADQUIRIR, ISTO E Á PARTE PRINCIPALMENTE DA MIDIA.

  3. Comentou em 13/02/2007 Ivan Moraes

    ”A Secretaria de Negócios Jurídicos da prefeitura anunciou que vai estudar que medidas tomar contra o cidadão Kaiser Celestino da Silva’: Zzzzzzzzzzzz… Medidas juridicoides ou judicioides? Paulista chamando pobre de ‘vagabundo’ eh novidade? E os inguinorantes aqui pensando que era lei!

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem