Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > ELEIÇÕES 2010

Até a imprensa cansou dos escândalos

Por Luciano Martins Costa em 26/10/2010 na edição 613

Os analistas da política começam a admitir que a eleição presidencial está definida em favor da candidata governista Dilma Rousseff. Também aparecem textos na imprensa internacional afirmando que há poucas possibilidades de surpresas daqui até o próximo domingo. Ainda assim, as edições dos jornais seguem recheadas de denúncias, repercutindo um pouco do que foi o penúltimo debate deste segundo turno entre os candidatos.


Mas há novidades.


Uma deles é produzida pela Folha de S.Paulo, que realizou aquela velha tática de antecipar o resultado de uma licitação para demonstrar que o processo de contratações para o setor público é feito com cartas marcadas. Desta vez, o jornal paulista antecipa a escolha do consórcio de empresas que seriam encarregadas das obras de dois lotes da linha 5 do metrô de São Paulo. A licitação foi aberta quando José Serra era governador do estado.


A Folha também publica um artigo, de autoria do físico Rogério Cezar de Cerqueira Leite, que considera pífia a atuação de Serra como ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso. Munição para o último debate, na Rede Globo.


Agressividade diminuiu


Para alguns analistas apressados, pode parecer que a Folha de S.Paulo, considerando perdida a candidatura do PSDB, tenta equilibrar seu conteúdo diante das evidências de que teremos um novo governo do PT. Mas o histórico do jornal paulista não autoriza essa interpretação.


A Folha tem sido, em sua fase moderna, inaugurada no final dos anos 1980, o jornal mais surpreendente do país. Para o bem e para o mal. É possível que novas pesquisas do Datafolha, ainda não divulgadas ao público, tenham influenciado o jogo das pressões internas no jornal.


Outro aspecto interessante que diferencia a edição de terça-feira (26/10) dos jornais é a admissão de que a quebra de sigilos fiscais de figuras ligadas ao PSDB pode ter sido produzida por personagens do próprio partido, na disputa pré-eleitoral entre os então governadores de São Paulo e de Minas Gerais, José Serra e Aécio Neves.


Os diários continuam recheados de escândalos, alguns requentados, mas percebe-se que o nível da agressividade diminuiu. Mesmo porque há muitas evidências de que o barulho da imprensa não define o voto da maioria.


***


A Justiça atrasada


Tudo indica que os brasileiros vão voltar às urnas, no domingo (31/10), sem ter uma decisão do Judiciário sobre o critério para a confirmação de candidaturas.


Com grande número de candidatos eleitos ainda sub judice, questões importantes como a formação das bancadas no Congressso Nacional e nas Asssembléias Legislativas ficam em suspenso. Esse é o tema desta terça-feira (26/10) do Observatório da Imprensa na TV.




Alberto Dines:


Na quarta-feira (27) o Supremo retomará a discussão da Lei da Ficha Limpa, desta vez enfocando o caso de Jader Barbalho, que renunciou para não ser cassado. O julgamento anterior, sobre o caso de Joaquim Roriz, terminou empatado e ficaram em suspenso mais de 200 candidaturas sufragadas por cerca de oito milhões de eleitores. Teme-se que o empate volte a repetir-se.


Será uma desgraça institucional porque a promessa de dirimir a questão antes do segundo turno não poderá ser cumprida. É uma situação inédita. A imprensa ainda não conseguiu alertar a sociedade para os riscos de manter sub judice um pleito que compreende a sucessão presidencial (evidentemente fora da discussão). O Observatório da Imprensa desta noite vai tratar novamente da Ficha Limpa. Hoje pela TV Brasil, às 22 horas, ao vivo. Em São Paulo pelo Canal 4 da Net e 181 da TVA.


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 26/10/2010 Herman Fulfaro

    Esqueci de uma quarta, mas nada desprezível quarta hipótese, que explicaria esse surpreendente comportamento da Folha como mera nuvem de fumaça para esconder as gravíssimas denuncias de corrupção efetivadas pelo jornalista Amaury Junior contra o Sr. José Serra, Gregório Marin Preciado, Ricardo Sergio de Oliveira, o próprio ex-presidente FHC e outros, denúncias essas perfeitamente consubstanciadas em documentos públicos e postos por ele à disposição de toda imprensa após o depoimento prestou ontem na PF, e que estão, ademais, à disposição de qualquer do povo que tenha um mínimo de isenção de ânimo e muito estomago para ler (não é preciso julgar), apenas ler para perceber o quanto o Serra, que se auto-intitula um candidato ficha-limpa, com um passado de 40 anos sem máculas, está muito longe disso… Leiam, e depois desqualifiquem o jornalista o quanto quiserem, mas leiam! Faz bem para a democracia e para a pele:
    http://www.brasilianas.org/blog/luisnassif/a-carta-de-amaury-jr

  2. Comentou em 26/10/2010 Herman Fulfaro

    Esqueci de uma quarta, mas nada desprezível quarta hipótese, que explicaria esse surpreendente comportamento da Folha como mera nuvem de fumaça para esconder as gravíssimas denuncias de corrupção efetivadas pelo jornalista Amaury Junior contra o Sr. José Serra, Gregório Marin Preciado, Ricardo Sergio de Oliveira, o próprio ex-presidente FHC e outros, denúncias essas perfeitamente consubstanciadas em documentos públicos e postos por ele à disposição de toda imprensa após o depoimento prestou ontem na PF, e que estão, ademais, à disposição de qualquer do povo que tenha um mínimo de isenção de ânimo e muito estomago para ler (não é preciso julgar), apenas ler para perceber o quanto o Serra, que se auto-intitula um candidato ficha-limpa, com um passado de 40 anos sem máculas, está muito longe disso… Leiam, e depois desqualifiquem o jornalista o quanto quiserem, mas leiam! Faz bem para a democracia e para a pele:
    http://www.brasilianas.org/blog/luisnassif/a-carta-de-amaury-jr

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem