Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

JORNAL DE DEBATES > FOX BUSINESS NETWORK

Canal de Murdoch estréia sem grandes novidades

17/10/2007 na edição 455

O canal de notícias financeiras Fox Business Network (FBN), da News Corporation, estreou nesta segunda-feira (15/10) com a equipe batendo o sino de abertura do pregão da bolsa Nasdaq. No programa Fox Business Morning, apresentado pela ex-repórter da Forbes Jenna Lee e a ex-âncora da Bloomberg Nicole Petallides, alguns entrevistados de peso, como a pré-candidata à presidência dos EUA Hillary Clinton; o ex-presidente do Federal Reserve (banco central americano) Alan Greespan; e o dono da companhia Virgin, Richard Branson. Mesmo assim, as primeiras impressões não foram muito animadoras.


Há algumas semanas, o magnata da mídia Rupert Murdoch, dono da News Corp, havia prometido que o FBN seria ‘acessível a todos’, evitando o economês e com uma programação bem diferenciada das rivais CNBC e Bloomberg. Parece que a tentativa foi frustrada. Dos três convidados, dois estavam também na CNBC: Greenspan e Branson. A entrevista de Hillary ainda teve de ser encerrada antes do previsto, pois houve uma falha técnica na gravação.


Tudo igual


‘Não acho que o canal vá mudar o estilo de TV que conhecemos. Até agora, nada foi extraordinário’, avaliou Robert Thompson, professor de mídia e cultura popular da Universidade Syracuse. A grande – e inusitada – diferença no perfil dos entrevistados ficou por conta de Robert John Burck, mais conhecido como ‘Naked Cowboy’ (caubói pelado), que foi entrevistado ao vivo. Burck ganha a vida tocando violão e posando com turistas na Times Square, em Nova York, vestido apenas com chapéu de vaqueiro, botas e cueca. ‘Recebo dinheiro de todos do planeta’, gabou-se, revelando que consegue acumular US$ 250 mil por ano.


A Fox News também apresentou problemas no seu início. Só após quatro anos, o canal de notícias a cabo conseguiu ultrapassar a audiência da CNN, permanecendo na liderança até hoje. ‘Antes das emissoras perceberem quem as atingiu, a Fox News estava acima de todas’, afirmou Thompson.


De olho no mercado financeiro


O FBN faz parte dos planos de Murdoch de dominar o mercado de notícias financeiras – tanto na TV quanto no jornalismo impresso. Este ano, a News Corporation comprou, por pouco mais de US$ 5 bilhões, a Dow Jones, publisher do jornal financeiro Wall Street Journal. Os repórteres do diário ainda não poderão contribuir com o FBN, pois um contrato do WSJ com a emissora CNBC prevê fornecimento de conteúdo até 2012.


O novo canal tem alcance de pouco mais de 30 milhões de lares americanos – o que equivale a 1/3 do alcance da CNBC. Murdoch já anunciou que considera lançar versões do FBN em outros países, além de investir US$ 30 milhões no canal ao longo dos próximos três anos. Informações de Alessandra Stanley [The New York Times, 16/10/07] e Kenneth Li [Reuters, 15/10/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem