Domingo, 22 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

JORNAL DE DEBATES > VÔO 1907, SEIS MESES DEPOIS

Crise aérea e jornalismo chapa-branca

Por Alberto Dines em 30/03/2007 na edição 426

Ao dar posse na quinta-feira (29/3) ao jornalista Franklin Martins como ministro-secretário da Comunicação Social, o presidente Lula condenou o que ele chamou de jornalismo chapa-branca.


Mas o que está acontecendo na cobertura da maior tragédia em céus brasileiros é algo muito pior do que o jornalismo oficial. Há seis meses ininterruptos, desde aquele fatídico 29 de setembro, o governo tenta controlar o noticiário empurrando os desdobramentos do doloroso episódio para debaixo do tapete.


Não se trata de manipulação jornalística, é manipulação política. Na quinta-feira, o macabro aniversário foi comemorado com dois eventos: um apagão aéreo em Manaus, com todas as aparências de ter sido provocado por uma greve branca dos controladores de tráfego aéreo, e a decisão do STF que valida outra decisão, esta da Câmara dos Deputados, de instalar uma CPI sobre o caos aéreo.


Shows políticos


É preciso não esquecer que o desastre ocorreu dois dias antes do primeiro turno das eleições presidenciais e que, ao longo das semanas seguintes, o ministro da Defesa, Waldir Pires, empenhou-se ativamente em jogar a culpa nos pilotos americanos, ignorando o sofrimento dos controladores de tráfego aéreo de Brasília que conhecem o outro lado da tragédia.


O presidente da República está certamente no auge da sua popularidade, as posses dos novos ministros são verdadeiros shows políticos, mas cada vôo comercial hoje no Brasil converteu-se em comício oposicionista.


Ignorar esta realidade é um exemplo dramático do jornalismo chapa-branca.

Todos os comentários

  1. Comentou em 02/04/2007 Ivan Berger

    O que há de tão difícil para entender sobre o tal apagão aéreo ? Aquilo que era só suspeita,ou seja,que esse caos todo que de uma hora para outra se abateu sobre o sistema de controle aéreo está ligado ao descontentamento dos operadores de vôo,detonado pela repercussão do acidente do jato da Gol,os acontecimentos do fim de semana acabaram com as dúvidas.Diante da habitual parcimônia do governo,os operadores resolveram dar uma basta ao clima de constrangimento e opressão ao qual a categoria é submetida com essa subordinação ao regime militar.Nada que envolva política,e muito menos configure algum tipo de conspiração, conforme a interpretação de alguns mais afoitos.Tivesse Lula agido com mais energia logo no início dessa celeuma,ao invés de por panos quentes e acobertar o atrapalhado Ministro de Defesa,e a situação não teria chegado a esse ponto de desgaste.Por incrível que pareça,com o presidente pisando em ovos em função da linha conciliatória que parece ter adotado nessa segundo mandato,o governo se ressente de um Zé Dirceu para impor sua autoridade.

  2. Comentou em 02/04/2007 Ivan Berger

    O que há de tão difícil para entender sobre o tal apagão aéreo ? Aquilo que era só suspeita,ou seja,que esse caos todo que de uma hora para outra se abateu sobre o sistema de controle aéreo está ligado ao descontentamento dos operadores de vôo,detonado pela repercussão do acidente do jato da Gol,os acontecimentos do fim de semana acabaram com as dúvidas.Diante da habitual parcimônia do governo,os operadores resolveram dar uma basta ao clima de constrangimento e opressão ao qual a categoria é submetida com essa subordinação ao regime militar.Nada que envolva política,e muito menos configure algum tipo de conspiração, conforme a interpretação de alguns mais afoitos.Tivesse Lula agido com mais energia logo no início dessa celeuma,ao invés de por panos quentes e acobertar o atrapalhado Ministro de Defesa,e a situação não teria chegado a esse ponto de desgaste.Por incrível que pareça,com o presidente pisando em ovos em função da linha conciliatória que parece ter adotado nessa segundo mandato,o governo se ressente de um Zé Dirceu para impor sua autoridade.

  3. Comentou em 01/04/2007 Rogério Ferraz Alencar

    Paulo Bandarra: eu não estou culpando a mídia pelo que o governo faz há quatro anos, até porque o que o presidente está fazendo é muito melhor do que outros fizeram. A mídia está há quatro anos tentando desqualificar o governo e derruba-lo. Nesse problema da aviação, a imprensa extrapolou e incentivou uma categoria que, agora vemos, tem muito poder, a peitar o governo.

  4. Comentou em 01/04/2007 Paulo Bandarra

    Caro Rogério Ferraz Alencar, culpar a mídia pelo que o presidente faz há quatro nos no poder seria uma insensatez! Mídia não toma decisões e nem indica e mantém ministros incompetentes (como a ministra que justificou o racismo por interesses próprios)! E a última que o mesmo tomou foi a gota d`água! Todos os sargentos das forças armadas ganham o mesmo, e usar uma função que lhes foi designada para chantagear à população não tem outro nome que falta de vergonha e de espírito militar! O que hoje dá motivo de que qualquer militar faça o mesmo incentivado pelo presidente depois de seis meses de gestão inepta do problema! Depois de ‘civilizados’ passarão a fazer greve toda a hora como faz o INPS, por exemplo, ou os policiais civis! Vão privatizar para esta categoria a função que explorarão contra o povo! Não foi a solução, mas a colocação do país nas mãos de um grupo para ser chantageado! Olhe o RGS. Um estado que trabalha apenas para pagar folhas de pagamento e que servidores não aceitam receber o que ganham a mais de 2 500 real com dez dias de defasagem!

  5. Comentou em 31/03/2007 Fábio Ourique

    PRA INÍCIO DE CONVERSA, ACHO QUE É IGNORÂNCIA FALAR DE APAGÃO AÉREO, REFERENDANDO DISCURSOS PLANTADOS, PELA MÍDIA MARQUETEIRA. TUDO VENDE. A CRISE VENDE! O BOM DIA BRASIL VIROU UM MOEDOR DE CARNE DE AÇOUGUE. SÓ SAI SANGUE. ESSES CONTROLADORES TEM É QUE VIRAR CIVIS, SEM DIREITO A ESTABILIDADE! O GOVERNO DEVE TREINAR NOVOS E DEIXAR OUTROS TREINADOS DE PLANTÃO. O QUE FIZERAM NESTA GREVE ESTÁ COM OUTRO FOCO. NA CÂMARA QUEREM BAUBURDIA, NÃO CPI, NÃO QUEREM INVESTIGAR O ACIDENTE. OS APARELHOS NO BRASIL NÃO FICARAM OBSOLETOS DEPOIS QUE FHC SAIU DO GOVERNO… NÃO VAMOS VIRAR PAPAGAIOS REPRODUTORES DE OPINIÕES A LA GOEBBLES. ALBERTO DINES ESTÁ INCOMODADO? O GOVERNO IMPEDE O QUE? ALGUÉM INTREVISTOU ALGUM CONTROLADOR SOBRE O POR QUÊ E QUANDO OS EQUIPAMENTOS SE TORNARAM INEFICIENTES…
    EM MIM , NINGUÉM APLICA ! ! ! UM ABRAÇO AO FRANKLIN MARTINS ! ! ! GRANDE FASE.

  6. Comentou em 31/03/2007 Maria Isabel Lopes

    Da mesma forma que a culpabiliadade do acidente da Gol foi jogada nos controladores de vôo a ineficiência de um laudo técnico do acidente na linha 4 está sendo jogada nas costas do IPT. Controladores de vôo? IPT? Como areia nos olhos se jogam profissionais e um instiuto de pesquisa na lama para servir de bengala aos interesses políticos, públicos, privado, midiáticos e de mercado. Será que após tanto martelar na mídia os ’18 aquartelados do ar ‘ querem mesmo, ao mostrar a grande falha do sistema aéreo doméstico e de cargas, derrubar o Presidente ou como a mídia antes culpo-os no acidente querem jogar sobre suas costas aquilo que não conseguiram na eleição? Gostaria que a controladora de vôo nos esclarecesse isto. Isto é jornalismo chapa-marrom!

  7. Comentou em 31/03/2007 Fernando Guimarães

    O discurso político é caracterizado pela desonestidade intelectual. À esquerda e à direita. E quanto mais respeitável é o substantivo maior a carga dessa desonestidade. Ciência política, por exemplo. Parafraseando um autor cujo nome me foge à lembrança (a memória tenta me impingir o Groucho Marx, mas resisto à tentação), ao ligar o rádio e ouvir cientista político logo saco meu talão de cheques. Estamos no terreno da luta pelo poder, do choque de interesses, a manipulação de cenários reais ou virtuais é a principal moeda de troca. Palavras substituem idéias e tornam-se adagas prontas a serem enfiadas as costas de oponentes.
    O papel do Observador da Imprensa seria desmascarar essa manipulação, apontar elementos de desonestidade no âmbito do discurso jornalístico ou pretensamente jornalístico. E sua respeitabilidade, sua credibilidade seria tanto maior quanto conseguisse desmascarar esses truques inclusive nos veículos de idéias e ideologias esposadas pelos ou mais próximas aos observadores. Para falar mal de quem não gosto não preciso de ajuda.
    Infelizmente, esse espírito, essa missão parece ter perdido o rumo e se foi. Como o faço agora.

  8. Comentou em 30/03/2007 Marco Costa Costa

    Existe uma frase muito batida e que conhecemos de longa data, ou seja, tudo acaba em pizza? Os verdadeiros culpados são aqueles que controlam todo o sistema de aviação. Podemos incluir nesta lista comecemos com o como e dorme do Ministro, e os de segundo escalão. Mas quando todo o processo for concluído, com certeza absoluta, o faxineiro será o responsável pela tragédia, bem como seus auxiliares diretos.

  9. Comentou em 30/03/2007 Carlos Pontes

    Caro Alberto Dines, mais uma vez estou aqui para lhe parabenizar pela matéria, mais desta vez irei um pouco mais longe. Infelizmente a impresa chapa-branca está enraizada em nosso País, lembrando o fatídico episódio do vôo 1907 de 29 de setembro de 2006, a grande mídia mostrava initerruptamente as reportagens sobre o dinheiro do Dossiê, achado no mesmo dia e que tinha sido apresentado naquele dia com um único objetivo, manipular a opinião pública para as eleições, o engraçado é que, depois das eleições, essa mesma mídia não tocou mais no assunto e nem quis saber do conteúdo do tal Dossiê.
    Só que, em nenhum momento, essa mesma mídia explorou ou deu a mesma atenção ao fatídico episódio da queda do avião, onde 154 pessoas perderam suas vidas e até hoje, seis meses depois, não foi dito quem realmente errou e quem vai pagar pelo erro.
    Fica aqui mais uma colocação; como fica a situação das famílias que perderam seus entes queridos? Quem vai arcar com as despesas que as famílias estão tendo por conta dessa mesma tragédia? Como reparar a morte de 154 vidas? É um caso a se pensar.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem