Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1021
Menu

JORNAL DE DEBATES >

Debate vincula educação, guerra, paz e ciência

Por Larriza Thurler em 04/11/2015 na edição 875

Durante esta semana, o The Town Hall Theater, na Broadway, em Nova York, está sendo palco para o TED Talks Live. A iniciativa é uma co-produção do TED (organização sem fins lucrativos dedicada a espalhar ideias geralmente em formato de vídeos de até 18 minutos), da emissora pública PBS e dos grupos sem fins lucrativos para promover a mídia independente Corporation for Public Broadcasting (CPB) e Independent Television Service (ITVS). As palestras sobre educação, guerra e paz, e ciência, além das apresentações musicais e teatrais e minidocumentários serão exibidos pela PBS em 2016, em um programa especial com duração de três horas.

TED Talks Live - Nova Iorque / foto Ryan Lash

TED Talks Live – Nova Iorque / foto Ryan Lash

Os dois primeiros dias (1 e 2/11) dedicados ao tema “Revolução da Educação” foram apresentados pelo comediante e escritor Baratunde Thurston e pela atriz e cantora Sara Ramirez. Nomes como Julie Lythcott-Haims (jornalista autora do livro How to Raise an Adult, que será publicado em português em 2016), Sean McCombs (um dos professores mais jovens que receberam o prêmio National Teacher of the Year), Sal Khan (fundador da Khan Academy), Sam Kass (ex-chefe de cozinha da Casa Branca e analista de comida da NBC), Nadia Lopez (diretora de uma escola no Brooklyn) e Victor Rios (professor da UC Santa Barbara que trabalha com jovens marginalizados), dentre outros, apresentaram projetos e cases inovadores e promoveram reflexões sobre as escolas do futuro e métodos de ensino. Confira alguns destaques abaixo:

Repensando a escola

Sal Khan / Foto Ryan Lash

Sal Khan / Foto Ryan Lash

Sal Khan é fundador da Khan Academy, organização sem fins lucrativos com a missão de disseminar aulas em vídeo sobre temas como matemática, ciência da computação, história da arte, dentre outros. Atualmente, existem mais de 15 milhões de usuários de mais de 190 países registrados na plataforma online. Na sua fala, Khan lembrou a trajetória da Khan Academy, quando começou a fazer vídeos e postar no YouTube para ajudar os primos com dificuldades em matemática e se surpreendeu ao receber comentários que não eram de seus familiares. Seus vídeos fizeram tanto sucesso que ele decidiu largar o emprego para se dedicar a eles.

Khan destacou, ainda, a necessidade de se repensar o modelo de sala de aula, que separa alunos por idade e tem um modo passivo de aprender, o que não combina com as mudanças pelas quais o mundo vem passando. Para aplicar o modelo de ensino que apresenta em seu livro The One World Schoolhouse: Education Reimagined (em português Um Mundo, Uma Escola), ele abriu em 2013 uma escola, a Khan Lab School, na Califórnia. No Brasil, as aulas da Khan Academy passaram a ser traduzidas para o português desde o ano passado pela Fundação Lemann, que também oferece um programa gratuito que leva a Khan Academy a escolas públicas.

Educação como saída para violência

Nadia Lopez / Foto Ryan Lash

Nadia Lopez / Foto Ryan Lash

Nadia Lopez é diretora da escola pública Mott Hall Bridges Academy, localizada em um dos locais mais pobres e violentos em New York. Ela ficou conhecida quando um de seus alunos disse ao blog Humans of New York que ela era a maior influência na vida dele. O fundador do blog, Brandon Stanton, foi conhecê-la e iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro para que os alunos pudessem conhecer Harvard. Eles conseguiram mais de U$ 1 milhão, que foi usado não somente para visitar a universidade, mas também para criar um fundo para workshops e bolsas para universidades. “Quando abri a escola, meu objetivo era simples: abrir uma escola para fechar uma prisão [numa referência ao escritor Victor Hugo]”, disse Nadia. A diretora faz questão de acompanhar de perto os alunos e mostra-se à disposição para ajudá-los em questões que vão além da escola. “Todos têm meu celular e às vezes recebo ligações e mensagens de madrugada”, brincou.

Para marcar a estreia do primeiro evento do TED ao vivo aberto ao público em Nova York, o Empire State Building foi iluminado de vermelho nesta segunda (2/11). Outros eventos organizados de forma independente, os chamados TEDx, já foram realizados na cidade. Veja a programação completa neste link.

* Larriza Thurler é jornalista freelancer, doutoranda em Ciência da Informação e analista em Gestão do Conhecimento

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem