Quarta-feira, 23 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

JORNAL DE DEBATES > MÍDIA & PUBLICIDADE

Duas ousadias contra
a propaganda de cerveja

Por Alberto Dines em 12/05/2008 na edição 484

Duas ousadias chamaram a atenção nas edições de jornais e revistas do último fim de semana. Ambas relacionadas com a proposta de restringir a propaganda de cerveja na televisão.


Contrariando a posição de outros grupos jornalísticos que não admitem qualquer tipo de regulação na mídia, a Folha de S.Paulo manifestou-se claramente a favor das restrições no editorial de ontem.


É verdade que a Folha não tem interesses no segmento de televisão e, portanto, não está preocupada com os prejuízos que rondam os grupos de mídia atuantes na TV. De qualquer forma, esta quebra na unanimidade deve ser saudada, porque abre caminho para a tão reclamada diversidade da mídia.


A outra ousadia, talvez ainda mais notável, foi assumida pelo jornalista Roberto Pompeu de Toleto, o articulista da última página da Veja. Seu artigo na última edição do semanário é arrasador: ataca os parlamentares que são empresários de TV – uma das maiores aberrações do Congresso – ataca os publicitários da Abap, que patrocinaram a campanha de anúncios para manter a cerveja na TV e ataca, sobretudo, o farisaísmo das corporações ligadas à mídia que fingem defender o ‘sagrado direito de informar’ quando, na verdade, estão apenas defendendo sua irresponsável submissão aos interesses do mercado.


Os gestos de independência acontecem no momento em que nossa mídia é novamente criticada pela unissonância e falta de diversidade e servem para lembrar que os caminhos para o bem comum são necessariamente diferenciados e contraditórios.

Todos os comentários

  1. Comentou em 14/05/2008 valdir sales

    A veinculação de propaganda na tv de: bebidas, cigarros, remedios, produtos para emagrecer e de beleza já deveriam ser banido da tv há muito tempo. Bebidas, cigarros e remedios, por ser viciantes, se o telespectador não fosse bombardeado diariamente com tais propagandas, o consumo seria bem menor, e não levaria milhares de pessoas ao vicio; como assistir a uma partida de futebol na tv, e não beber, se a propria tv, praticamente coloca na boca de milhares de expectador a cerveja, e o cigarro. Os produtos relacionados a emagrecimento e a beleza por propaganda enganosa, porque o garoto ou garota propaganda não usam tais produtos para emagrecer ou para ficar bonitos/as, já que eles são magros/as e bonitos/as, e essas propagandas levam milhares de pessoas gastar milhares de reais em tais produtos, sem que alcancem os tais resultados propagados nas referidas propagandas.
    Os hospitais, postos de saude, manicomios, anda entupidos de pessoas em decorrencia do consumo excessivo destes produtos, e o governo gasta bilhões de reais para trata-los, mas isso a tv não mostra, porque isso não lhes interessa, o que realmente interessa a tv e os fabricantes destes priodutos é os bilhões de reais que eles vão ganhar, o restante é desrespeito e hipocrisia para com o povo brasileiro.

  2. Comentou em 12/05/2008 Eugenio Celso Sanchez Vaquero

    Ousadias bastante interessantes. Interesse público! Se a moda pegar então, e na mídia não mais houver unanimidade – que como já se disse, é burra.
    O direito de informar além de sagrado é individual; tanto quanto o de ser informado. Basta notar que um pressupõe o outro.
    Observar isto é a única garantia de diversidade e da tão desejada liberdade de imprensa.

  3. Comentou em 12/05/2008 Eugenio Celso Sanchez Vaquero

    Ousadias bastante interessantes. Interesse público! Se a moda pegar então, e na mídia não mais houver unanimidade – que como já se disse, é burra.
    O direito de informar além de sagrado é individual; tanto quanto o de ser informado. Basta notar que um pressupõe o outro.
    Observar isto é a única garantia de diversidade e da tão desejada liberdade de imprensa.

  4. Comentou em 12/05/2008 acreucho nascimento

    É engraçado como os publicitários fazem as coisas. Um corredor de Fórmula I não pode nem fumar, nem beber, mas faz propaganda dos dois produtos.
    Teóricamente, atletas de qualquer tipo não devem beber, nem fumar, nem ter qualquer tipo de vício, porém as partidas de futebol e outros esportes, são patrocinadas por empresas que fabricam e comercializam bebidas alcoólicas.
    Agora, me admira muito a mentalidade dos fabricantes de cervejas e assemelhados, bebidas não precisam de propaganda pra vender, o povo já bebe demais, o povo bebe pra esquecer e afogar as mágoas.
    O que acho esdrúxulo é ligar bebidas alcoólicas com esporte.

  5. Comentou em 12/05/2008 Carlos N Mendes

    Em se tratando de Brasil, raposa cuidando do galinheiro é REGRA. Sempre foi assim. Quando se informa que houveram mais de 1.000 mortes no campo no Pará e só há UM assassino relacionado à essas mortes preso, pode-se até pensar que as galinhas acham que as raposas são obras de Deus e, por isso mesmo, inevitáveis. E a raposas devem estar realmente achando que o Brasil é seu por direito, visto o esforço para retomarem o Galinheiro-mor.

  6. Comentou em 12/05/2008 João damacena

    se não querem liberar marcha da maconha, tem que proibir também a proganda de bebidas alcóolicas, essa tbém uma droga.

  7. Comentou em 12/05/2008 João damacena

    se não querem liberar marcha da maconha, tem que proibir também a proganda de bebidas alcóolicas, essa tbém uma droga.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem