Sábado, 23 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

JORNAL DE DEBATES > ANTHONY SHADID (1968-2012)

Morre correspondente do NYT na Síria

Por OESP em 21/02/2012 na edição 682
Reproduzido do Estadao.com, 17/2/2012; título original “Correspondente do NYT na Síria morre de um ataque de asma”, intertítulo do OI

Anthony Shadid, correspondente internacional que trabalhava para o New York Times, The Washington Post, The Boston Globe e aAssociated Press morreu de um ataque de asma na última quinta-feira, conforme reportagem do NY Times. O jornalista cobriu durante duas décadas conflitos no Oriente Médio. Tyler Hicks, fotógrafo do NY Times que estava com Shadid, levou o seu corpo até a fronteira com a Turquia. Shadid, de 43 anos, estava cobrindo os eventos na Síria há uma semana, por meio de informações fornecidas pelo Exército de Libertação Sírio e outros grupos armados da oposição.

As condições exatas e a localização de Shadid na Síria quando morreu ainda não estão claras. No entanto, Hicks disse que Shadid, que possuía medicamentos para asma, começou a apresentar os sintomas de uma crise quando ambos se preparavam para sair do país na última quinta-feira (16/02). Jill Abramson, editora-executiva do jornal, informou sobre a morte de Shadid aos funcionários por meio de um comunicado que dizia: “Anthony morreu como viveu: determinado a ser testemunha da transformação pela qual passa o Oriente Médio.”

Dois prêmios Pulitzer

O governo sírio controla de forma estrita jornalistas estrangeiros, o que exigiu que os dois entrassem no país por uma região montanhosa na fronteira com a Turquia, próxima à cidade de Idlib. Hicks contou que a fronteira é demarcada com uma cerca que ambos saltaram para conseguir entrar no país. Guias com cavalos os aguardavam do outro lado. Já na primeira noite, Hicks afirmou que Shadid sofreu um ataque inicial de asma, aparentemente como resultado de uma alergia aos cavalos. Porém, o jornalista se recuperou após descansar. No entanto, após uma semana, Shadid sofreu um novo ataque mais severo, também motivado pela proximidade aos cavalos, enquanto caminhava pela fronteira. De acordo com o relato do fotógrafo, o jornalista desfaleceu no chão e deixou de respirar alguns minutos depois.

Shadid era norte-americano de origem libanesa e falava árabe com fluência. Ganhou o prêmio Pulitzer pela cobertura em 2004 da invasão e ocupação do Iraque e também em 2010 também devido à cobertura dos conflitos no país.

***

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem