Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

JORNAL DE DEBATES > IRAQUE

Emissora reúne jovens em busca da paz

29/03/2007 na edição 426

Em meio à guerra e sob ameaças, seis iraquianos optaram por ficar longe de suas famílias para manter no ar uma rede de rádio e TV. O objetivo? Promover a paz no Iraque. ‘Eu recebi ameaças. Eles me falaram para parar de fazer isto. Mas eu acredito neste trabalho, não posso largar’, afirma Samir Khamis, árabe sunita de 28 anos, co-fundador da Independent Radio and Television Network (IRTN).


Oficialmente inaugurada esta semana, embora já estivesse em funcionamento há alguns meses, a emissora tem seu estúdio nos arredores de Baquba, capital da violenta província de Diyala, onde é grande a tensão entre grupos extremistas xiitas e sunitas. ‘Eu ligo para minha família, mas não os vejo há cinco meses. Eu peço a Deus para protegê-los’, diz Khamis.


Outra engajada na causa é Donia Abdul Latif, de apenas 20 anos. Ela é apresentadora, DJ, editora e produtora. ‘Estou tentando ajudar os iraquianos a conseguir a liberdade. Liberdade não é lutar ou matar. Liberdade é poder falar livremente, ser livre na sociedade, vestir-se do jeito que quiser, fazer o que quiser’, afirma a jovem, que também defende os direitos da mulher de combater o conservadorismo islâmico. Donia conta com o apoio de seus pais, que ainda tentaram fazê-la desistir de trabalhar no local, por razões de segurança. ‘Este trabalho é muito perigoso. É perigoso falar livremente. Mas se eu tiver medo e todos tiverem medo, quem ajudará o Iraque? Ninguém’, desabafa.


As condições de trabalho são precárias; falta, por exemplo, água corrente. O que há em abundância são soldados iraquianos e americanos. Das 15 pessoas que faziam parte da equipe inicial, apenas seis continuam no projeto.


Patrocínio e independência


A estação é protegida por tropas americanas e iraquianas. Os EUA foram os maiores financiadores da rede, doando US$150 mil para o ano de 2007. Além dele, o governo iraquiano, que vem sendo acusado de participar na disputa sectária sunita-xiita, e o governo da província de Diyala, no norte de Bagdá, patrocinaram a IRTN. Os EUA ainda dão apoio logístico e compram espaço publicitário para campanhas públicas.


A rede alega ser a única independente da região. ‘Os EUA não controlam nossas mensagens, embora nos dêem proteção’, conta Khamis. Ironicamente, a antena usada para a rádio foi construída por ordens do ex-presidente Saddam Hussein, em 1986. Informações de Patrick Fort [AFP, 27/3/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem