Sábado, 23 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

JORNAL DE DEBATES > IRAQUE

EUA provocam protestos ao fecharem jornal

06/04/2004 na edição 271

Os americanos fecharam o semanário xiita al-Hawza, jornal muito popular no Iraque, sob acusação de que estaria publicando mentiras que incitam a violência. A atitude provocou protestos. ‘Onde está a democracia agora?’ gritavam os manifestantes inconformados em Bagdá. As autoridades de ocupação disseram que o jornal poderia voltar a funcionar em 60 dias, mas seus editores afirmam que não podem ficar sem trabalhar até lá.

Al-Hawza é conhecido entre jornalistas iraquianos por criar rumores contra os americanos. O veículo é tido como porta-voz do jovem clérigo xiita Moktada al-Sadr, um dos mais fervorosos críticos da presença dos EUA no Iraque, que vem ameaçando criar uma milícia própria. De acordo com The New York Times [29/3/04], é possível que o fechamento do semanário só aumente o apoio a al-Sadr e a rejeição aos americanos.

Outro incidente anterior serviu para piorar a imagem dos EUA na região: os militares americanos admitiram que mataram dois jornalistas da rede al-Arabiya no mês passado, mas afirmaram que se tratou de um acidente. Um veículo com um ocupante teria avançado sobre um bloqueio militar e os soldados, temendo que se tratasse de um carro-bomba, abriram fogo, atingindo os jornalistas, que estavam em outro automóvel, mais atrás. Segundo nota do Washington Post [30/3/04], no momento do incidente, as forças nem teriam percebido que haviam acertado inocentes. A notícia da morte de Ali Khatib e Ali Abdel-Aziz só chegou mais tarde aos americanos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem