Greve à vista no serviço árabe da rede | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

JORNAL DE DEBATES > BBC WORLD SERVICE

Greve à vista no serviço árabe da rede

05/09/2008 na edição 501

Funcionários do setor em árabe do BBC World Service (Serviço Mundial), com sede em Londres, votaram por uma paralisação depois que o National Union of Journalists (NUJ), sindicato que representa os funcionários da rede britânica, alegou que a administração da BBC oferece poucos recursos para que o serviço funcione adequadamente. A ação pode afetar as transmissões radiofônicas e sítio em árabe do Serviço Mundial, noticia Leigh Holmwood [The Guardian, 3/9/08].


Mais de 80% dos membros filiados ao NUJ votaram a favor da greve. A BBC terá até 12/9 para responder à votação; caso contrário, terá início uma paralisação ‘séria e significativa’. Segundo Paul McLaughlin, do sindicato, a demanda do trabalho em árabe é muito grande para uma equipe muito pequena. ‘A BBC quer que façamos o serviço desta maneira. Se quisesse um serviço decente, teria que pagar por isso’, afirmou.


O canal de TV em árabe do Serviço Mundial da BBC foi lançado oficialmente em março – de acordo com o NUJ, sem recursos suficientes e sem condições de pôr em prática os planos de expansão da programação de 12 para 24 horas a partir de outubro. O Serviço Mundial da BBC em árabe tem uma equipe de aproximadamente 250 pessoas e custa, por ano, US$ 70 milhões. Os serviços de rádio e internet têm audiência global de 14 milhões de pessoas por semana.


Outro lado


Para a BBC, não há justificativas para a greve. ‘Estamos desapontados com o resultado da votação, especialmente quando uma minoria da assembléia se recusou a apresentar nossa última oferta para todos os membros’, declarou a rede. ‘Já fizemos propostas a diversas queixas deles – incluindo redução de turnos noturnos. Vamos tomar medidas para garantir que a programação e os serviços online em árabe continuem ininterruptos. A BBC se comprometeu a encontrar um caminho para o diálogo com sua equipe e está aberta à discussão’.


Nigel Chapman, diretor do Serviço Mundial, afirmou que a rede implementaria uma escala 24 horas para a equipe. ‘O NUJ alega que não respondemos às demandas. Não é verdade. Oferecemos um bom pacote em resposta aos temas discutidos’, contou. Segundo ele, o sindicato pediu que a semana de trabalho tenha 34 horas e escalas para que possam ser pagas despesas de deslocamento com táxis. ‘Não podemos justificar gastar mais de US$ 1 milhão do dinheiro público anualmente para pagar táxis de funcionários que querem trabalhar em horários que não batem com os quais queremos manter’.


O total das demandas – mais funcionários e táxis – corresponderia a um gasto de US$ 3 milhões por ano. ‘Como o orçamento da BBC é fixo para os próximos três anos, teríamos que fechar duas unidades de serviços em outros idiomas do BBC World Service’, diz Chapman.


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem