Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

JORNAL DE DEBATES > CENSURA EM GAZA

Hamas dissolve sindicato dos jornalistas

06/09/2007 na edição 449

O Hamas decidiu fechar a filial da Faixa de Gaza do Sindicato dos Jornalistas Palestinos, que tem grande parte dos membros filiados à facção rival Fatah. Ao mesmo tempo, o grupo que hoje – depois de um golpe que dissolveu o governo em conjunto entre os dois partidos – comanda a região anunciou a criação de um Comitê Governamental para a Mídia.


Recentemente, o Hamas também informou que colocaria em prática uma lei de 1995 que proíbe a publicação de informações que possam ‘prejudicar a unidade nacional, incitar crimes, ódio ou dissidência religiosa’ e a divulgação de ‘dados secretos’ sobre a polícia, forças de segurança, suas armas ou treinamento. ‘Depois de decidir pela aplicação da lei que permite o aumento do controle sobre a mídia, o Hamas novamente adota medidas arbitrárias para restringir ainda mais a liberdade dos jornalistas’, protestou a organização Repórteres Sem Fronteiras [6/9/07]. ‘Ainda que o sindicato fosse pró-Fatah, tal interferência em uma organização de profissionais de imprensa é inaceitável’.


A decisão de dissolver o sindicato segue uma onda de críticas ao Hamas por abuso de poder das autoridades sobre jornalistas e veículos de comunicação na Faixa da Gaza. Depois do golpe, em junho, o Fatah transferiu-se para a Cisjordânia, e muitos jornalistas que apoiavam a facção, entre eles líderes do sindicato, também se mudaram. Desde então as forças do Hamas já tentaram invadir a filial em Gaza para prender o diretor Sakher Abu el-Oun. Em comunicado, o sindicato afirmou que ‘aqueles que controlam Gaza não têm o direito de intervir em questões internas dos jornalistas, que têm sido constantemente, e diariamente, assediados’.


Granada e detenção


Os jornalistas Barbara Lohr e Frédéric Bak, da emissora franco-germânica Arte, ficaram levemente feridos por uma granada arremessada por policiais quando cobriam uma manifestação pró-Fatah que reuniu aproximadamente 10 mil pessoas, em 31/8. Foi o maior protesto desde que o Hamas tomou o governo, e 12 pessoas foram feridas na tentativa de dispersar a multidão.


Em outro incidente, o correspondente da rádio Sawt Al Hurriya em Gaza, Tawfik Abu Jarad, foi detido de 2 a 4/9. Jarad foi levado de sua casa, ao norte da Faixa de Gaza, para um centro de detenção do Hamas para interrogatório sobre seu trabalho para a estação de rádio, fechada em junho.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem