Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

JORNAL DE DEBATES > MÍDIA & AQUECIMENTO GLOBAL

Indicadores de uma catástrofe anunciada

Por Alberto Dines em 05/02/2007 na edição 418

Se existisse imprensa quando o Todo Poderoso alertou Noé para o Dilúvio, a reação não seria tão frenética como a da última sexta e sábado (2 e 3/2) quando foi divulgado, em Paris, o relatório sobre os efeitos desastrosos do aquecimento global.


As previsões são tão claras, tão transparentes e cientificamente tão comprovadas que não sobra outro caminho senão levá-las a sério. A certeza quase absoluta de que o homem é o grande responsável pela transformação do clima agrava-se ainda mais quando se constata que todos são igualmente culpados, diligentes parceiros na preparação da catástrofe. Inclusive nós, brasileiros.


Estamos acabando com os pulmões da Amazônia, com o que sobrou da Mata Atlântica, estamos acabando com o Pantanal e estamos desertificando os pampas. E, no entanto, há mais de 30 anos o Brasil reinventou o álcool-combustível, uma revolução verde capaz de neutralizar os efeitos perniciosos da queima da gasolina.


Segunda marcha


Os jornais e revistas de sábado e domingo, com o sói acontecer no primeiro fim de semana do mês, estavam carregados de anúncios de carrões espetaculares. Os fabricantes ofereciam câmbio automático, motores possantes, um deles prometia um notebook como brinde e, outro, jurava que seria capaz de colocar uma loura ao lado do motorista.


O sistema flex de combustível – o bicombustível, criação brasileira – não entusiasmou fabricantes e concessionárias, nem mesmo entusiasmou os jornalistas que preparam as informações dos cadernos de automóveis e de classificados. Como se estivéssemos no melhor dos mundos, engrenamos uma segunda e partimos velozmente em direção do apocalipse.

Todos os comentários

  1. Comentou em 05/02/2007 Danilo Rodrigues

    Moderador, por favor DESCONSIDERE meu comentário. Revi a notícia e o homem manifestava-se sim quanto às condições de atendimento do posto, não só pelo fim da propaganda externa.

  2. Comentou em 05/02/2007 Ivan Bispo

    E pensar, Dines, que o nosso cerrado é serrado de todas as formas na nossa mídia, nunca foi pautado, pouco estudado, pouco valorizado. O berço das águas de nosso Brasil precisa urgentemente ser monitorado e trabalhado para que abasteça o país no limiar desse novo tempo.

  3. Comentou em 05/02/2007 Ivan Moraes

    ‘Estamos acabando com os pulmões da Amazônia, com o que sobrou da Mata Atlântica, estamos acabando com o Pantanal e estamos desertificando os pampas’: entao vamos la: quem esta dando suporte logistico invisivel aa transposicao do Sao Francisco eh a Opus Dei?

  4. Comentou em 21/11/2006 humberto pereira Cavalcanti

    Ilustrissimos e ilustríssimas do Observatório da Imprensa

    a imprensa se cala:

    [ Deu na Folha de Pernambuco – Recife http://www.folhape.com.br hoje]:

    Antiga corrupção nas obras do litoral sul Ipojuca/Porto de Galinhas.
    ‘Obras para turismo no estado começam em 2007 ‘
    [ Deu na Folha de Pernambuco – Recife http://www.folhape.com.br hoje]:

    A notícia fala por alto de possíveis dificuldades do novo governador,
    porém… por que não aparece nenhuma reportagem sobre os prováveis desvios de verbas e usos eleitoreiros dessas obras há anos e anos?

    A imprensa local e nacional tem se calado.

    atenciosamente,
    humberto pereira cavalcanti
    rua dr. geraldo de andrade, 58 ap. 1
    espinheiro
    recife – pe
    cep 52021-220
    id 2023900679-RS
    fone 81-9973 2937 e 81-3076 9425

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem