Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

JORNAL DE DEBATES > TELEGRAPH GROUP

Jornalistas britânicos ameaçam greve

17/02/2004 na edição 264

Jornalistas que trabalham no Telegraph Group, uma das companhias de mídia mais conservadoras da Europa, votaram expressivamente em favor de uma greve no jornal. Segundo a National Union of Journalists (NUJ), sindicato que representa os profissionais da empresa, 83% da equipe afirmaram que apoiariam uma greve, ‘se fosse necessário’. O resultado representa uma extraordinária evolução para o Telegraph, que até o ano passado não tinha um sindicato. A NUJ, que foi reconhecida oficialmente pela empresa apenas em maio de 2003, afirmou que 150 dos 220 membros do sindicato participaram da votação.

O motivo da ameaça de greve, segundo Ciar Byrne [The Guardian, 11/2/04], é a insatisfação salarial dos jornalistas. Depois de ter o valor do salário congelado por um ano, os profissionais tiveram um pequeno reajuste em 2002. Agora, rejeitam o aumento de 3% proposto pela empresa, reivindicando reajuste de pelo menos 8%.

Ao mesmo tempo em que a empresa resiste em dar o aumento, seu dono, Conrad Black, é acusado de pagar a si próprio e a colegas diretores milhões de libras em taxas não-autorizadas.

A votação foi feita no último mês, dois dias após os irmãos Barclay fazerem uma oferta de 260 milhões de libras pelo grupo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem