Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

JORNAL DE DEBATES > RENAN & CPMF

Jornalões não querem acuar o Congresso. Deveriam

Por Alberto Dines em 11/09/2007 na edição 450

Qualquer que seja o significado que se atribua ao verbo acuar, uma coisa é certa: o Senado deveria estar sendo acuado pela imprensa para decidir em sessão aberta e voto aberto o futuro do senador Renan Calheiros. Se a tropa de choque do presidente do Congresso não se sentisse acuada ele não teria sido condenado de forma tão flagrante na Comissão de Ética. Se a imprensa não pressiona os poderes constituídos, quem o fará?


A sociedade brasileira só foi informada na segunda-feira (10/9) que há um ano está estacionada na Câmara a emenda constitucional que acaba com o voto secreto no Congresso. Foi aprovada em primeiro turno em 5/9/2006, por 383 a zero. Normalmente, o segundo turno costuma ser votado cerca de 30 dias depois, informou a Folha de S.Paulo, em matéria de Ranier Bragon e Fábio Zanini. Se a imprensa se movimentasse com a devida antecedência e a necessária energia, a burocracia da Câmara não teria engavetado o andamento da PEC durante um ano – e, na quarta-feira (12/9), Renan poderia ser julgado pelos pares sem voto secreto.


Fora de lugar


Acontece que a imprensa não se fascina com o trabalho escoteiro, de formiguinha, prefere as denúncias sensacionais ou as grandes especulações políticas – com as honrosas exceções de praxe. Basta ver o teor das matérias que produzem manchetes não apenas nas edições de domingo, mas nos dias úteis.


Na mesma segunda-feira (10), a manchete da Folha entusiasmava-se com a tecnologia e proclamava que ‘Ensino a distância se sai melhor em exame’. E daí? O que importa saber que os alunos de turismo (das universidades privadas, naturalmente) têm melhor desempenho em cursos não presenciais? Mais importante, decisivo para o futuro do país, seria converter em manchete a chamada de uma coluna no pé da primeira página (‘Emenda do fim do voto secreto pára na Câmara e ajuda Renan’). Por que razão não optou por uma manchete jornalística e cidadã?


Seria injusto dizer que este que se assume como ‘o jornal a serviço do Brasil’ está favorecendo Renan Calheiros, melhor imaginar que gosta de atender ao lobby do ensino privado.


Imprensa burocrática


O Estado de S.Paulo saiu-se ainda pior: a manchete de primeira página no mesmo dia foi nitidamente a favor do senador acusado de quebrar o decoro parlamentar e envergonhar o Legislativo: ‘Renan articula e lembra o rigor da pena – pode ficar 12 anos fora da política’. O próprio evangelizador do jornal (Carlos Alberto di Franco) espuma de raiva na página 2 por causa do congresso do PT realizado 10 dias antes e passa ao largo dos pecados capitais e veniais cometidos pelo chefe do Poder Legislativo.


Não fosse a manchete do Globo (‘Oposição quer sessão aberta para tentar cassar Renan’) seria possível montar uma teoria comprovando que os jornalões não querem acuar o presidente do Congresso (ao contrário de Veja e do Jornal Nacional).


A grande imprensa diária burocratiza-se visivelmente, perde o elã, cumpre esquemas e fórmulas concebidas pelos marqueteiros e estrategistas e manda às favas sua agilidade e seus compromissos públicos. Não apenas num caso aberrante como este em que um senador-réu tem o privilégio de presidir a sessão que deverá julgá-lo.


Baixa umidade


A cobertura simplista do debate sobre o futuro da CPMF é outro indício do ramerrame vigente. Entre o ‘sim à CPFM’ e o ‘não à CPFM’ existem inúmeras opções democráticas, criativas e modernas. Ao invés de reduzir a discussão sobre a continuação do tributo ao confronto Oposição vs. Governo desperdiça-se uma preciosa oportunidade para discutir a reforma tributária e simplificar o emaranhado de taxas que torna tão atraente a sonegação.


A entrevista publicada pela Folha na segunda-feira (10/9, pág. A-12) com o vice-presidente da Fundação Getúlio Vargas, Marcos Cintra, deve ser vista como uma pauta de reportagens para as próximas semanas. É, ao mesmo tempo, um puxão de orelhas pelas toneladas de papel gastas em esquentar e politizar um assunto imperiosamente técnico.


A baixa umidade e a falta chuvas tirou o fôlego dos jornalões. Renan Calheiros está adorando.

Todos os comentários

  1. Comentou em 16/09/2007 Marcio Peralta

    Caro Dr. Paulo. Se, como afirmas nada mudou na política econômica dos tempos do FHC, deverias estar aplaudindo o governo do presidente Lula que republicana e coerentemente manteve o que estava dando certo . A verdade é que os resultados econômicos são escancaradamente positivos. A transparência da gestão também merece elogios, ou será que preferias os métodos do antigo procurador (engavetador) de FHC? É claro que a imprensa pode e deve pressionar, respeitados os limites da ética ,do pluralismo e da verdade factual. Os poderes constituidos tambem podem e devem ser pressionados pela sociedade organizada e a imprensa não é seu único porta voz como afirma o Dines ( ele está sendo apenas corporativo e precisa manter o rebanho)
    Os ‘julgamentos’ apressados e sumários guardam em seuas sentenças prejuizos irreparáveis que extrapolam a figura dos denunciados e podem contaminar toda a sociedade. As pressões sobre quem julga viciam as decisões, não existe a ‘fumaça do bom direito’ nelas. Denuncias carecem de provas, não de matérias jornalisticas de órgãos comprometidos até o pescoço com este ou aquele grupo econòmico. Métodos similares foram amplamente utilizados na ditadura, esquecestes?
    Não sabes porque a maioria ainda aprova o governo? Nos Estados Unidos pergunta similar foi respondida com a frase: ‘ E a economia, estúpido’
    É óbvio que a frase não é dirigida ao colega nem ao Dines.

  2. Comentou em 15/09/2007 Paulo Bandarra

    Seja mais sutil, hoteleiro. Vou fundar o movimento dos médicos SEM especialidade, para defender a dignidade deles que são discriminados! OH! Vergonha!!! E que não colocam também o CRM! Seja menos explícito, menos, menos! Está dando muito na vista! Abraços!

  3. Comentou em 13/09/2007 Hélio Souza

    Não cid elas, é tudo mentira da ‘golpista FSP’. Os Senadores não disseram nada daquilo. Será que você está acreditando numa mídia tão golpista?

  4. Comentou em 13/09/2007 Henry Fulfaro

    Eu não queria, mas estou estrebuchando de tanto rir, depois de ver a mídia meses e meses bombardeando noite e dia o Renan, transformando-o num perfeito moribundo, dando a cassação como favas contadas e, apesar de tantos rolos de vídeo gastos pelo Ali Kamel, tanta tinta gasta pelos jornalões, tanta saliva gasta pela Miriam Leitão, Jabor, Lucia Hipolito, Merval Pereira, Jô Soares e mais os jornalistas puxa-saco de patrão amargarem a mais fragorosa e retumbante derrota desde a reeleição do presidente Lula. Não que eu goste do Renan; claro que não, e deveria ter sido cassado mesmo, mas nunca por imposição da imprensa, que há tempos não faz outro jogo se não vestir a camisa do PSDB/PFL, razão pela qual imagino que o senador, nessas alturas do campeonato, tem toda razão da vida e mais um pouco se estiver cantarolando um tiquinho de Chico Buarque, assim: “apesar de você (imprensa), amanhã há de ser, outro dia…você (imprensa) que inventou o pecado, esqueceu-se de inventar o perdão…”

  5. Comentou em 13/09/2007 Alexandre Machado

    Passa de meia-noite, e estou aqui ainda acordado e mandando um cínico top,top,top para a grande mídia que me faz torcer por um ex-ministro da justiça, que na minha opinião, não vale um tostão.
    Nem comento mais os devaneios do Sr. Dines, pois tenho que dormir para amanhã poder trabalhar e sustentar 3 filhos em escola particular. Pagar minhas prestações, aluguel, financiamentos, planos de saúde, as exorbitantes tarifas herdadas de FHC.
    Sem ganhar bolsa-família ou qualquer benefício direto do governo.
    Boa noite e Top,Top, Top prá quem mereceu.

  6. Comentou em 13/09/2007 João Henrique Pederiva

    Interessante a análise, mas me parece que lhe faltam alguns dados, entre os quais destacaria dois:
    1) a inexistência de regimento da própria Comissão de Ética, o que não depende de emenda constitucional, mas do próprio Senado;
    2) a concordância dos relatores Casagrande e Almeida Lima quanto ao mérito de enviar o julgamento dos pares para o Supremo.

    De um lado, parece que a falta (ou o excesso) de fôlego dos jornalões em temas pontuais reflete a inconsistência ideológica que grassa no País. Dada a sua consistência no tempo, não se pode confundi-la com a baixa umidade. Aliás, memória curta e preconceituosa não é apanágio do caso Renan.

    De outro, é sintomática a falta de repercussão, junto à imprensa, da proposta de levar as investigações e os julgamentos éticos ao Supremo. Talvez porque isso não seja do interesse das fontes … ou dos próprios jornalistas.

  7. Comentou em 12/09/2007 Nena Noschese

    Sr.Dines
    Infelizmente minha crença na Mídia teve seu crédito gravemente abalado no caso Escola de Base,como lembram fato desagradável ocorrido nesta mesma cidade. Creio que a Mídia não tem condições de ‘acuar’ ninguem ,visto que alguns dos seus importantes representantes, cometem crimes gravíssimos, como de sonegação e até mesmo assassinato (outro fato também desagradável ocorrido aqui nesta cidade) aliás, cadê o homem??? Assim sendo seria interessante que a Mídia cumprisse o seu papel de informar os acontecimentos com imparcialidade ,feito isso e com uma real pesquisa dos fatos emitir sua livre e sempre bem vinda opinião ,no caso sempre pessoal ( obs:tem que assinar em baixo) e bastaria isso para ser considerada Midia, sem nenhum outro adjetivo que por ventura possa denegrí-la.

  8. Comentou em 12/09/2007 Ismael Teixeira Antuña

    Descobri onde se localiza o observatório do Dines: no Monte Olimpo!
    Lá, onde a Deusa Imprensa guarda por nós, pobres mortais.
    Que acuar nada, Dines. Não seria melhor fechar o Congresso?
    Todo poder aos ‘Jornalões’!
    Dines para pitonisa!

  9. Comentou em 12/09/2007 Ismael Teixeira Antuña

    Descobri onde se localiza o observatório do Dines: no Monte Olimpo!
    Lá, onde a Deusa Imprensa guarda por nós, pobres mortais.
    Que acuar nada, Dines. Não seria melhor fechar o Congresso?
    Todo poder aos ‘Jornalões’!
    Dines para pitonisa!

  10. Comentou em 12/09/2007 douglas Puodzius

    ‘Às Favas com os Escrupulos…’ Até que ponto alguem, julgando-se senhor da verdade, pode aceitar um desvio ético para realizar aquilo que pensa ser o melhor para seu país? Talvez, Jarbas imaginasse, que de sua sentença nasceria o melhor dos Mundos. Todavia, ao contrario, depois de algumas decadas, ele procura se livrar dos corpos torturados que jazem em seu pretenso Eldorado. ‘Às Favas com os Escrupulos…’. O mundo da democracia gira dentro de um universo, cujo o equilibrio exige a harmonia das liberdades, a contrariedade das idéias e das expressões. Exige processos, com ampla defesa e respeito à prévia inocencia até que haja prova em contrário. Infelizmente, alguns ignoram que a grande idéia de ser o porta vóz daquilo que se convencionou chamar de verdade, é em si, anti democratica. Afronta o mundo dos homens de bem e empobrecem o debate, quando não, o aniquilam de vez. assim é que alguns desses ignorantes, apoiados em suas crenças, tentam acuar os demais, buscando impor-lhes sua verdadeira e una verdade. É comportamento, inerente à elite branca e golpista que vai se revelando aos poucos. Vai antieticamente operando seu jeito dissimulado com objetivo de empurrar suas coisas goela abaixo de todos, Usa, como sempre, seus jornais, revistas, televisões, radios, blogueiros e pretensos observadores de imprensa.

  11. Comentou em 12/09/2007 Michel Santana

    Como assim acuar??? Mais do que já acuou???? Agora vai virar uma luta pessoal da imprensa contra Renan??? Sinto muito Sr. Dines, mas não é bem assim que funciona. Por acaso o senhor quer que a imprensa se torne um ‘quarto poder institucional’?? O papel da imprensa é colocar os ‘pingos nos is’, e até o momento creio que está conseguindo levar.

    Nosso papel é averiguar! Nosso papel é ser uma PF da Imprensa, essa é nossa contribuição para o caso Renan. Creio que os jornalistas estão dando o máximo para descobrir as falcatruas do senador, mas é complicado encontrar fatos verossímeis para ‘acuá-lo’, como o senhor diz.

    A Imprensa é mostrar à população o que está havendo nos três poderes, e não legislar por eles. Às vezes esquecemos que aqueles engravatados são nossos representantes. O Brasil até parece que adotou a famosa frase ‘Se hai gobierno, soy contra’.

    Enquanto não soubermos ponderar um pouco de nossos eleitos sempre surgirá artigos como este do Dines.

  12. Comentou em 12/09/2007 Menjol Almeida

    Gostaria que alguém me explicasse por que a imprensa ( O OI também, uma vez que faz parte da imprensa que deveria observar, e não defender) não acua o governo de São Paulo a respeito dos R$ 1 bilhão desviados da CDHU (o governador não sabia? Onde anda o Geraldo Choque-De-Gestão?) segundo acusação do Ministério Público de SP.

  13. Comentou em 11/09/2007 Jedeão Carneiro

    Jornalões não querem acuar o congresso para abrir logo a CPI das Falcatruas da Abril. Deveriam.

  14. Comentou em 11/09/2007 Henry Fulfaro

    Nesse ponto dou toda razão ao Dines, pois quando se fala em acuar o Congresso está se falando em acuar TODOS os parlamentares, independentemente da sigla partidária. Mas, se é lícito pressionar os congressistas (basta dizer que o lobby é atividade válida, normal e exercida a plena luz do dia dentro do Congresso americano), no meu entender não é lícito e nem tampouco decente acuar ministros do STF como fez a imprensa dias atrás, eis que os primeiros são representantes do povo e como tal estão lá para agir em nosso nome, como se fossem nossos procuradores, e não é à toa que eles possuem um mandato, ou seja, uma procuração daqueles que os elegeram. Os juizes não possuem mandato e nem tampouco podem ou devem agir de acordo com este ou aquele grupo de interessados, mas devem julgar de acordo com a lei ou, nos casos em que a lei e a justiça forem conflitantes, de acordo com o que é justo, de modo que no caso do judiciário a coação, pressão ou lobby simplesmente beira a imoralidade.

  15. Comentou em 11/09/2007 Henry Fulfaro

    Nesse ponto dou toda razão ao Dines, pois quando se fala em acuar o Congresso está se falando em acuar TODOS os parlamentares, independentemente da sigla partidária. Mas, se é lícito pressionar os congressistas (basta dizer que o lobby é atividade válida, normal e exercida a plena luz do dia dentro do Congresso americano), no meu entender não é lícito e nem tampouco decente acuar ministros do STF como fez a imprensa dias atrás, eis que os primeiros são representantes do povo e como tal estão lá para agir em nosso nome, como se fossem nossos procuradores, e não é à toa que eles possuem um mandato, ou seja, uma procuração daqueles que os elegeram. Os juizes não possuem mandato e nem tampouco podem ou devem agir de acordo com este ou aquele grupo de interessados, mas devem julgar de acordo com a lei ou, nos casos em que a lei e a justiça forem conflitantes, de acordo com o que é justo, de modo que no caso do judiciário a coação, pressão ou lobby simplesmente beira a imoralidade.

  16. Comentou em 11/09/2007 Vagner Xanrrier

    Bom, fico feliz em ler uma matéria que fala indiretamente de hipocrisia ou diretamente como queiram, mas a verdade, nos faz enxergar o tipo de matéria publicada falando da ação da imprensa e não precisamos ser inteligentes suficientes e perceber como Alberto Dines comenta no Jornal de Debates sobre Jornalões a real de toda uma história em menos de poucos dias um comportamento hipócrita de todo um senado federal com seus senadores,perdoem-me se generalizei, mas a verdade dos fatos me faz crer o quanto todos os senadores e alguns profissionais de imprensa sabiam da Emenda constitucional que acaba com o voto secreto na camara e ninguém antes,muito antes mesmo fizeram força em dar fim no voto secreto .
    Até quando vou procurar em jornais, Internet ou o veículo que possa ser , a nos dar informaçõs exatas, verdadeiras como foi a opinião de Alberto Dines, meus parabéns, eu um simples leitor que vos escreve, devido a excelente matéria que você fez.

  17. Comentou em 11/09/2007 java kendrick Kendrick

    Acuar como? São farinha do mesmo saco. A quadrilha do congresso, faz décadas que está lá. Apenas os mal informados, mal intencionados pensam que o Lula seria o pai da corrupção. Eu sei desde pequenino. Veja o país que herdamos, veja a infra-estrutura herdada por Lula.Os grandes joranis são cumplices de tudo o que é de ruim. Sempre estiveram ao lado da elite exclusora e irresponsável que fez nosso país o campeão da miséria, das desigualdades, etcccccccccccccccccc.

  18. Comentou em 11/09/2007 Paulo Santos

    Eu gostaria de saber por que a mídia não se escandaliza com o fato de muitos congressistas, e não somente o Renan, terem participação em meios de comunicação, numa verdadeira afronta à Constituição Federal?

  19. Comentou em 11/09/2007 jose BRITO da silva brito da silva

    A imprensa fala tento em acoar os outros, mas quem acoa a imprensa, se ha algum fato com alguem da da imprensa o cooporativismo não deixa ir em frete.

  20. Comentou em 15/02/2007 Sarah Loame Oliveira da Silva

    Parabéns pelo site, ele é maravilhoso.Vocês podem não ser os donos da verdade ,mas se aproximam dela. Conheci o site recentemente e lamento por não tê-lo conhecido antes,ele é o melhor do Jornalismo. Pena que os programas não sejam exibidos em minha cidade, mas fico na torcida para que essa lacuna seja logo preenchida.Até a próxima.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem